01/04/08 - 01/05/08 ~ NETOIN!

quarta-feira, 30 de abril de 2008

A letra de "Itsuka tokeru namida"...

Manatsu e Ichika: as personagens principais do anime "Uta-Kata".

Eis aqui a letra da música "Itsuka tokeru namida", que é entoada no encerramento do anime "Uta-Kata". A música é do grupo japonês Savage Genius.
Ano hi deawa na kereba
Ima mo waraete ta no ka na
Ano hi nakushita egao
Itsuka tokeru namida

Hora kotoshi mo ame furu
Gogo hakanai utakata no iro
Sora mo yasashiku mienai wa
Datte hitori da mono

Itazura na sadame ni
Kotoba mo denai wa
Wakari aeta futari
Mou modore nai no

Ano hi deawa na kereba
Ima mo waraete ta no ka na
Ano hi nakushita egao
Itsuka tokeru namida

Hora urei na kaze furu tari
Yureru kanashimi no ito
Hoka no dare no hoda denai wa
Kitto anata igai

Shiosai no kaori ni
Anata wa sagasu yo
Nukumori no kioku ni
Hayaku naru to towo

Ano hi deawa na kereba
Ima mo waratte no kana
Ano hi nakushita egao
Ima wa tooi chizuku

Ano hi deawa na kereba
Ima mo waratte no kana
Ano hi nakushita egao
Mune ni notoshita mama

Ano hi deawa na kereba
Ima mo waratte no kana
Ano hi nakushita egao
Itsuka tokeru namida

Ano hi deawa na kereba
Ano hi nakushita egao
-------------------------------------------------------------------------------------------------

Fonte: site
Just Some Lyrics.

terça-feira, 29 de abril de 2008

Uma nova parceria, e o novo visual do co-irmão...


A nova parceria com o "Outro Blog da Mary"


Imagem do "Outro Blog da Mary".

É certo que o último post do "NETOIN!" tratou-se exclusivamente das parcerias do blog. Contudo, novamente o assunto vem à tona.

Isso se deve ao fato do mais novo parceiro do "NETOIN!" ser o conhecido "Outro Blog da Mary". Tal blog é administrado pela jovem Maria Fahur.

O blog em questão não é preso a uma única questão, no entanto nota-se claramente que seu contexto é apresentado como uma espécie de diário, pois são muitos os posts que falam do dia-a-dia da Maria. Mas como ressaltado anteriormente, o blog retrata outros assuntos também.

Possuindo um visual limpo e leitura agradável, o "Outro Blog da Mary" merece a sua visita.

O "NETOIN! Mais!" de novo visual

Imagem do blog "NETOIN! Mais!".

Apesar do pouco tempo de existência, o blog "NETOIN! Mais!" está mudando a sua cara para acompanhar a evolução apresentada por toda a blogosfera.

O template usado pelo "NETOIN! Mais!" ( apresentado pelo blog "Templates para Você" ) foi modificado em algumas partes, mantendo ainda assim a sua identidade original.

Com isso, o "NETOIN! Mais!" passa a adquirir uma imagem mais moderna e enxuta, com novos menus de fácil acesso, e uma navegação mais rápida e dinâmica. Visite-o e verifique o fato.

[ made in NETOIN! ]

quarta-feira, 23 de abril de 2008

As novas parcerias do "NETOIN!"...

Quando das primeiras parcerias, o "NETOIN!" apresentou-as adequadamente. Contudo, novas parcerias surgiram, o que deixa a pessoa que escreve texto muito gratificada.

Parceria é mais que uma troca de links ou banners. Acredito que seja confiança, uma espécie de acordo entre blogs. Isso faz com que os blogs sejam mais conhecidos e vistos na blogosfera.

Vamos às apresentações.

"Reflexos": apresentação atrasada, mas aqui está...

Imagem do blog "Reflexos".

O blog "Reflexos" é administrado por uma jovem conhecida por "".

O blog fala de animes, em seu contexto próprio. Além de suas reviews sobre os títulos ali postados, no blog são facilmente encontrados links para downloads de animes, bem como de vários portais do segmento.

Textos curtos e diretos: essa é a força-motriz do "Reflexos", uma característica trabalhada em diversos blogs, mas de seu modo bem peculiar.

É um blog que merece a sua visita.

No "Dotaku - O Diário do Otaku", animação japonesa ao limite...

Imagem do blog "Dotaku - O Diário do Otaku".

Este blog firmou parceria com o "NETOIN!" a poucas semanas. No "Dotaku" o trabalho é dividido em uma equipe, sendo o idealizador do blog o jovem "Kendier".

O blog segue a sugestão concebida em sua nome. Ele atende aos fãs da animação japonesa, os conhecidos otakus, e o faz com maestria.

No "Dotaku", você encontrará muitas reviews de animes. Também são encontrados muitos vídeos neste blog. Recentemente, até os games ganharam espaço no blog, fato este consumado em post recente sobre os video-games da geração atual ( PlayStation3, X-Box 360 e o Nintendo Wii ).

Dê uma olhada neste blog e surpreenda-se também.

O universo dos doramas está no "Kawai"...

Imagem do blog "Kawai".

Uma das parcerias firmadas recentemente é com o blog "Kawai", que é mantido sob a tutela de uma jovem chamada Elayne.

No "Kawai", o dorama é o assunto central. Os doramas fazem parte da cultura japonesa, assim como os animes e os tokusatsus. Pode-se entender o dorama como um tipo de mini-série ou novela nipônica, mas contendo todos as características culturais e de vida da terra do Sol nascente.

É um blog de leitura agradável e bem apresentado. Faça uma visita e descubra você mesmo.

Diversão e curiosidades no "Blog Silence"...

Imagem do "Blog Silence".

Trata-se de uma parceria bem recente a do "NETOIN!" com o "Blog Silence", cuja administração pertence ao jovem Rodrigo.

Este blog tem basicamente de tudo um pouco. Você pode fazer nele downloads bem interessantes, principalmente para quem não desgruda de seu celular.

Através deste blog pode-se também dar boas risadas com seus textos interessantes e imagens hilárias. Curiosidades também fazem parte do contexto apresentado pelo "Blog Silence".

Visite-o e tire as suas próprias conclusões.

-------------------------------------------------------------------------------------------------

O "NETOIN!" deseja aos proprietários destes blogs os votos sinceros de sucesso, neste universo tão vasto e em evolução que é a blogosfera.

Um selo para o "NETOIN!"...

O primeiro selo oferecido ao "NETOIN!".

E o blog "NETOIN!", pela primeira vez em sua história, é indicado para receber um selo.

Este selo, de nome "este blog vale medalha de ouro", foi criado inicialmente pelo autor do "Blog Silence". Não demorou para que tal premiação se espalhasse pela blogosfera.

Eis então que Leandro Nisishima, dono do blog parceiro "Subete Animes", recebeu o selo de um de seus blogs parceiros, e indicou o "NETOIN!" para recebê-lo.

É com grande satisfação que o "NETOIN!" recebe este selo, como humilde prova de reconhecimento e de que seus textos tem se espalhado pela web, cumprindo com o seu papel.

Ao blog "Subete Animes", a gratidão do "NETOIN!" por receber tal selo.

-------------------------------------------------------------------------------------------------

E para manter os compromissos estabelecidos com o selo, seguem-se aqui os indicados pelo "NETOIN!" a recebê-lo:

*
Códigos Blog;
*Dotaku - O Diário do Otaku;
*Kawai;
*Templates para você;
*The Key of the Broken Hearts.

segunda-feira, 21 de abril de 2008

O anime "Uta-Kata" possui uma ótima estória!

Uta-Kata.

Os animes japoneses são detentores de tramas dos mais diversos segmentos. De fato, muitos são os animes que são considerados verdadeiros clássicos por conta desta característica.

Entretanto, será aqui relatado sobre um anime que não é um clássico, e quem nem está no "top" dos mais vistos. No entanto, este anime é possuidor de uma trama que inicia de forma inocente, que pouco a pouco vai se transformando em algo mais forte.

O anime que segue a descrição acima, e do qual será aqui tratado, chama-se "Uta-Kata".

Poema e fragmento...

Tachibana Ichika, uma jovem de 14 anos que é uma das protagonistas da série.

Estando separadas, as palavras "uta" e "kata" significam respectivamente "poema" e "fragmento". No entanto, quando estas palavras estão juntas seu significado é alterado para "bolha" ( no original, "utakata" ) . Um fato curioso, que faz muito sentido no decorrer de "Uta-Kata".

O anime conta a estória de uma jovem chamada Tachibana Ichika, que relata sobre as suas últimas férias de verão. De certa forma, este anime apresenta-se como uma inocente estória colegial, onde são apresentados os personagens e o modo como vive Ichika, que é conhecida entre suas colegas por fazer tudo sempre da forma mais certa e correta.

Sei-san e Kai-san são os professores particulares da Ichika.

Ichika tem uma vida social normal, onde se dá muito bem com seus pais e amigas. Aliás, ela estuda em uma escola feminina, sendo assim seu contato direto com garotos se faz através de seus professores particulares, os universitários Sei-san e Kai-san. A jovem Ichika possui uma certa "quedinha" pelo Sei.

Na escola, Ichika possui três amigas: Satsuki, Keiko e Michiru. Cada uma delas com sua personalidade marcante e única, muito embora este seja um fato comum entre grande parte dos animes...

A vida de Ichika prosseguia na mais perfeita normalidade, até que um fato misterioso veio a ocorrer com ela...

A estória ganha aqui seu ponto-chave...

Satsuki, Keiko e Michiru: as grandes amigas da Ichika.

Por esquecer seu celular na escola, Ichika volta para buscá-lo. No prédio abandonado, ela vê o seu celular pelo espelho. No entanto, vê apenas o seu reflexo, mais tarde segurado por uma estranha garota.

Oferecendo uma troca de favores aceita pela Ichika, em virtude de um amuleto muito especial estar pendurado junto ao celular ( tal amuleto foi um presente do Sei-san ), a misteriosa garota sai do espelho ao seu encontro.

O amuleto junto ao celular: este amuleto não é apenas especial,
mas também misterioso...


A garota que saiu do espelho devolve o celular para Ichika, que estranha o fato do amuleto ter ganho cores em suas bolinhas. Neste instante, uma luz forte sai de um deles e Ichika começa a transformar-se. A estranha garota, de nome Manatsu, diz a Ichika que esse é o poder de um Djinn ( pode ser interpretado como Deus, espírito... ).

O favor que Manatsu quer de Ichika é que ela faça um texto ( tarefa de férias ), contando sobre os doze Djinns.

A trama

Manatsu, a misteriosa garota que saiu do espelho.

O título "Uta-Kata", pelo descrito acima, parece ser um tipo de estória comum ( algo como um clichê ) de uma garota que misteriosamente ganha poderes mágicos e tal. No entanto, o anime não é bem isso...

Cada vez que libera o poder de um dos Djinns, Ichika começa a sentir e expressar diferentes sentimentos e sensações. No início, Ichika acha tudo fabuloso e esplendoroso, mas a sua opinião muda gradativamente, na medida em que os acontecimentos ao seu redor começam a exigir mais de sua pessoa.

Ichika surpresa ao receber o poder do Djinn do Sol.

Como acreditava no início que o poder dos Djinns a ajudaria sempre, Ichika começou a se desestabilizar emocionalmente ao perceber que tal poder não poderia resolver tudo. Muito embora a Manatsu tentava conter certos anseios da Ichika, os poderes dos Djins começaram a dominar a jovem possuidora do amuleto.

Ichika começa a mentir, coisa que nunca fizera. Também começa a possuir sentimentos hostis como a inveja e o ciúme, chegando inclusive a não confiar mais em si mesma. Tudo isso porque Ichika começou, através do poder dos Djinns, a ver o mundo de outra forma. De fato, uma forma na qual Ichika não conhecia...

O olhar de Ichika quando dominada por sentimentos hostis, não podendo controlar apropriadamente o poder dos Djinns, e nem a si mesma...

Todos esses acontecimentos sempre são observados atentamente por uma estranha e bela mulher, de nome Saya. Inclusive, os jovens Sei e Kai aparentam saber de algo que muito poderia ajudar Ichika...

O anime "Uta-Kata" é mais do que um anime comum. Na verdade, este anime possui um drama focalizado nos sentimentos humanos e nas reações sobre eles. O anime fala de amizade, amor, confiança e compreensão de uma forma notável...

Objetivamente...

A misteriosa Saya-san: o que ela quer!?

O anime "Uta-Kata" realmente começa de uma forma mais leve e inocente. Mas com o passar de seus doze episódios, ele ganha em profundidade e conteúdo.

Abrangendo temas específicos como sentimentos e amizade, "Uta-Kata" prende as atenções de quem o assiste, durante os eventos que cercam Ichika em sua adolescência, a fase da vida em que tudo se quer saber e experimentar...

Contando com um episódio OVA que dá o encerramento ideal à série, e possuidor de canções maravilhosas do grupo japonês Savage Genius ( escutar "Omoi wo Kanadete" e "Itsuka Tokeru Namida" é muito agradável ), "Uta-Kata" tem o dom de prender sua atenção, como se você estivesse no lugar da Ichika.

É uma ótima experiência assistir à este anime. Altamente recomendado!

[ made in NETOIN! ]

-------------------------------------------------------------------------------------------------

Acesse aqui o site do anime "Uta-Kata".
Para saber mais sobre "Uta-Kata", acesse o fan-site do anime aqui.

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Um pouco sobre "Happy World!"...

Takeshi não aceita ter sido "o escolhido" para carregar um triste fardo, por assim dizer...

Realmente, o universo da animação japonesa é vasto, o bastante para se achar estórias e personagens dos mais variados tipos e gêneros.

Imagine então uma série de OVA, com apenas três episódios, e detentora de uma estória interessante e aparentemente sem um final. Trata-se de "Happy World!", anime do qual será tratado neste texto.

Apresentando os personagens

Logo no início deste anime aparece um garoto muito azarado. Aparentemente, tudo que acontece de errado recai apenas nele, mesmo em circunstâncias nas quais ele não possui culpa nem de maneira indireta. Seu nome é Oomura Takeshi.

Ocorre que Takeshi estava correndo de um cão, até que o garoto conseguiu enganar seu perseguidor. Porém, ao bater no poste que temporariamente o salvou, algo do mesmo poste caiu sobre o rapaz, matando-o. Neste momento uma luz paira sobre ele e uma voz angelical se faz presente...

Elle, o anjo enviado dos céus para ajudar o azarado Takeshi.

Bom, um anjo desce à Terra, pedindo desculpas para o rapaz estirado no chão, pedindo para ele não morrer. Através de uma prece, acaba trazendo-o de volta à vida. Este anjo é uma garota, de nome Elle.

Assustado e confuso, Takeshi finge que Elle não existe, mas para a sua infelicidade apenas ele pode ver este anjo, o que acaba originando alguns pequenos constrangimentos. Elle tenta explicar à Takeshi que ele foi o escolhido dos céus para receber apenas infelicidade, o que consistia em um fato raro. Segundo contava Elle, todos os humanos nascem com a mesma quantidade de felicidade e de infelicidade, mas com Takeshi foi diferente.

É a partir deste ponto que tem início a nova vida do rapaz, sendo acompanhado por um anjo, na esperança de ter esta espécie de "maldição" atenuada...

A estória é simples, porém interessante

À partir do descrito no texto acima, Takeshi passou a acreditar em Elle, não que isso significasse aceitá-la ao seu lado.

Se o Takeshi estiver com problemas, Elle parte ao seu auxílio.

A estória, apesar de simples, possui um foco no drama bem acentuado. Isso se mostra verdadeiro já quando Elle conta ao Takeshi que todo o azar que o rapaz possui é por culpa do seu pai. Takeshi nunca teve uma vida familiar feliz, e se enfureceu muito com tal revelação.

Takeshi chegou a ter uma chance de passar a maldição "para frente", mas acabou voltando atrás, após ajudar no salvamento de uma garotinha que iria "herdar" tal fardo.

Hoje Takeshi vive com sua irmã na casa de uma tia ( que não gosta de ser chamada de tia ). Aliás, os momentos de humor em "Happy World!" devem-se às pequenas cenas no lar de Takeshi. Então, Elle passou a viver com o rapaz neste lugar, chegando inclusive a freqüentar a mesma escola que Takeshi ( e a mesma turma, diga-se de passagem ).

Na escola, Takeshi e Elle deparam-se com algumas das duras realidades da vida...

Na escola mais um triste fato é mostrado, tratando-se de uma colega de classe de Takeshi que sofre de um problema de nascença. Tal problema faz com essa garota ande muito devagar, e fale em igual velocidade ( aliás, ela faz tudo de uma maneira bem lenta ). Assista a esta parte do anime e tire as suas próprias conclusões, pois realmente choca com o emocional...

Objetivamente

O título "Happy World!" é possuidor de uma estória simples e convidativa, mostrando um mundo muito próximo da realidade.

Entretanto, este anime peca em um singelo e importante detalhe: ele não tem fim. Após assistir ao terceiro episódio, você terá a impressão de que "Happy World!" poderia ter mais episódios, para dar o devido complemento à série.

De qualquer forma, "Happy World!" merece ser assistido. Algumas coisas que ocorrem na realidade são demonstradas com competência, podendo trazer à tona sentimentos que variam da alegria à mais profunda tristeza.

[ made in NETOIN! ]

quinta-feira, 10 de abril de 2008

Entendendo os diferentes universos de "Tenchi Muyo!"...

Tenchi e Sasami: cena divertida da série de OVA...

Muitos devem se recordar que no ano 2000 a Rede Bandeirantes de televisão investiu pesado na animação japonesa. Além de "Dragon Ball Z" que já era exibido a mais tempo, foram por ela trazidos a Saga de Cell ( do próprio "Dragon Ball Z" ), "Jibaku-kun" ( "Bucky" por estes lados ), "El Hazard" e por fim "Tenchi Muyo!".

Entretanto, o anime "Tenchi Muyo!" teve as três séries exibidas, sendo elas a "Universe", a "Tenchi in Tokyo" e a série OVA ( exibida em agosto de 2001, boas lembranças... ).

Entender "Tenchi Muyo!" significa desbravar os seus três "universos", cada qual possuindo uma estória com contextos diferenciados, mas iguais em um único ponto: no fato das garotas ( em especial a Aeka e a Ryoko ) serem obsecadas pelo Tenchi.

Vamos à "Tenchi Universe"...

Nesta série tudo começa com uma perseguição no espaço, onde graças à este acontecimento Tenchi conhece a pirata espacial Ryoko e a detetive da Polícia Galática Mihoshi.

A série "Universe" pode ser marcada pelo apelo envolto nos sentimentos da Aeka ( a princesa coroada da família real do planeta Jurai ) e da Ryoko. Sem maiores problemas, nota-se claramente a forma como as duas tentam conquistar o Tenchi.

Os demais personagens são bem analisados, principalmente a princesa Sasami ( irmã da Aeka ), a cientista Washu e a detetive Kiyone ( parceira da Mihoshi, coitada... ).

Nesta mesma série, a família do Tenchi aparece bastante. Seu pai Nobuyuki vive tentando persuadi-lo a agir de uma forma mais "conveniente" com as visitantes do espaço, enquanto que seu avô Katsuhito é mais sério e busca disciplinar seu neto.

Aeka: explosiva...

No contexto da estória, o anime apresenta-se como uma típica comédia romântica na qual um rapaz é cercado por belas mulheres ( alguém já ouviu falar de "Love Hina" ou "Shuffle!"? ), onde a maioria delas tentam conquistá-lo. No entanto, eventos mais sérios se fazem presentes.

Vítima de um acontecimento inesperado ( a aparição do antigo guerreiro lendário, cujo nome é Yosho ), as princesas Aeka e Sasami são presas ( sendo a Aeka acusada de golpe de Estado ). À partir deste ponto a série ganha em emoção, com o aparecimento de Nagi ( uma caçadora de recompensas atrás da Ryoko ), e sem deixar de lado as eternas brigas pelo Tenchi envolvendo uma certa princesa juraiana e uma certa pirata procurada em todo o universo...

A emoção aumenta quando se é descoberto que o tal Yosho que assumiu o trono juraiano é falso ( sendo ele Kagato, que em outras épocas era o maior amigo do Katsuhito e hoje é o seu maior rival ), e que o verdadeiro guerreiro lendário é o avô do Tenchi ( que abandonou Jurai após certos acontecimentos-chave desta trama ).

Com isso, Tenchi é um descendente direto da família real de Jurai, para a alegria da Aeka e espanto da Ryoko, que prova seus sentimentos ao jovem ajudando-o a salvar a princesa coroada do planeta Jurai das mãos do falso imperador Kagato.

Uma garota rouba a cena na série "Tenchi in Tokyo"!

A turma reunida. Que pose a do Nobuyuki...

A série "in Tokyo" não é uma continuação direta da série "Universe" como várias pessoas chegaram a pensar. Na verdade, esta é uma série nova dentro do contexto de "Tenchi Muyo!".

Aqui, além dos traços diferenciados, a estória gira em torno da ida de Tenchi para realizar seus estudos em Tóquio. Este fato entristece o pessoal da casa do jovem, mas não muda o sentimento das garotas pelo Tenchi.

Entretanto, uma nova personagem rouba a cena nesta série: Sakuya. Uma garota aparentemente normal, que sente atraída pelo Tenchi desde o momento em que o vê na escola. A partir deste ponto, não chega a ser novidade exclamar que o anime passa a ficar focado na forma como as garotas reagem e intervêem na vida do Tenchi.

Tenchi e Sakuya.

Entretanto, uma força poderosa passa a usar do fato da família do Tenchi ser a guardiã da Terra para concretizar uma ambição: o domínio do mundo, tendo como responsável a pequena Yugi, que guarda consigo uma triste estória desde épocas mais antigas no planeta Jurai.

Reviravoltas eletrizantes e fatos interessantes são revelados pouco a pouco, dando emoção à série em questão. No entanto, esta série em uma comparação com a série "Universe" fica devendo.

Entre os grandes diferenciais com a série "Universe", pode-se citar o fato do avô do Tenchi não ser juraiano ( logo não existe nenhuma ligação direta com Jurai ). Também pode-se citar que Ryo-Ohki pertence a Sasami ( e não a Ryoko ), podendo inclusive transformar-se em um robô de batalha ( além de uma pequena nave espacial ).

O OVA é interessante - "Tenchi Muyo: Ryo-Ohki"

Kagato, um vilão digno do maior respeito.

A série de OVA é realmente interessante, contando com mais um contexto diferenciado dentro do universo de "Tenchi Muyo!".

No OVA, Ryoko estava aprisionada a longos 700 anos em uma caverna, sendo libertada sem querer pelo Tenchi, que no ato estava desobedecendo uma ordem de seu avô Katsuhito. Na procura por seu irmão ( e noivo prometido ) Yosho, a princesa Aeka chega à Terra, onde todo o circo fica plenamente armado ( literalmente ).

A aparição da Mihoshi ( e seu súbito interesse no Tenchi ), bem como as disputas da Ryoko e da Aeka pela atenção do Tenchi se fazem muito presentes. É conveniente ressaltar que na série de OVA o fator ecchi se faz muito mais presente ( e apelativo ) do que nas séries anteriormente detalhadas.

O pessoal na série de OVA.

O estória do OVA nos seus seis primeiros episódios concentra-se na ambição do criminoso procurado Kagato em obter o poder supremo, não medindo esforços para tanto. É interessante vê-lo em ação, controlando mentalmente a Ryoko, e mais tarde mostrando seu poder na nave de batalha, onde detém a cientista Washu presa em uma espécie de "mundo invertido" dentro da nave.

Após a batalha com Kagato ( são ótimos os episódios desta trama ), onde fica claro que Katsuhito é o noivo prometido da Aeka ( Yosho, seu irmão desaparecido ), a série volta-se para o dia-a-dia do Tenchi com as garotas na Terra. Destaque para lá de interessante no fato da Washu disputar a atenção e os sentimentos do Tenchi de igual para igual com a Aeka e com a Ryoko. A Mihoshi também apresenta interesses pelo rapaz, mas não procura chamar pela atenção dele.

No final da saga, a família real Jurai vem à Terra, e mais problemas ficam no aguardo do Tenchi ( sortudo ou azarado? ).

Uma baixa significativa fica por conta da Kiyone, que no OVA não dá as caras, fazendo-se presente apenas em um episódio especial que conta uma aventura da Mihoshi na Polícia Galática.

Objetivamente

Este texto serviu apenas para demonstrar algumas das muitas diferenças entre as séries do anime "Tenchi Muyo!". O título é bom, e merecedor de sua atenção.

[ made in NETOIN! ]

-------------------------------------------------------------------------------------------------

Esse texto trata da opinião pessoal de seu criador à respeito do assunto.

domingo, 6 de abril de 2008

Um anime simples e divertido: isto é "Narue no Sekai"!

Até aqui, tudo normal...

O universo da animação japonesa é bem amplo, o bastante para atender a uma quantidade de gostos diversos na mesma proporção. Em resumo: assim como existem animes com temas mais sérios e adultos, existem também animes de contexto mais simples e às vezes até mais infantis, não que isso signifique que um anime assim seja exatamente ruim...

Assim como já foi mostrado no texto sobre "Kage Kara Mamoru!", mais um anime de contexto similar é aqui apresentado. Trata-se de "Narue no Sekai", ou traduzindo literalmente, "O Mundo de Narue".

Um pouco sobre os seus personagens

Narue Nanase e Izuka Kazuto.

Em "Narue no Sekai" não existe uma trama complexa à ser resolvida, ou um grupo de pessoas que lute por alguma coisa. Como mencionado anteriormente, trata-se de um título com uma estória simples e direta, que flui bem em seus doze episódios. Isso acaba tornando o anime divertido e agradável de se assistir.

Logo no início nos é apresentado a personagem principal, a jovem e quieta Narue Nanase. Parece que existe um boato na escola de que esta menina é uma extraterrestre, devido ao seu comportamento e distância dos demais estudantes. Ao mesmo passo, um segundo protagonista nos é apresentado, sendo ele Izuka Kazuto, um menino normal ( diga-se de passagem ).

Aparentemente uma garota da mesma sala que a Narue se sente muito incomodada com tal boato. O nome desta garota é Hajime Yagi, e ela diz que não descansará enquanto não revelar para todos a "grande farsa" que é a Narue...

O primeiro contato entre a Narue e o Kazuto se dá com um salvamento. Sim, pois nossa amiga salva o rapaz de um ataque de um pequeno monstro alienígena. O rapaz tenta na escola buscar mais informações sobre a Narue, uma vez que ela deixou cair um taco de beisebol que usou no salvamento ( seria esta uma alusão ao esporte mais popular do Japão!? ), e ele anseia devolver este objeto à ela e agradecê-la apropriadamente pela ajuda...

Masaki Maruo, o amigo de Izuka Kazuto.

Para isso o Kazuto conta com seu amigo de classe Masaki Maruo, um jovem extrovertido que aparentemente se mostra muito disposto a ajudá-lo. Maruo é amigo de infância da Yagi, sendo vizinho dela inclusive.

Kazuto ( de uma forma desajeitada ) agradece à Narue pelo salvamento do outro dia, convidando-a para tomar um chá. Ela diz uma série de coisas para ver se o rapaz manteria ainda assim o convite que lhe fez, inclusive contando-lhe que ela é uma extraterrestre. Narue fica muito contente quando Kazuto ( sem notar ) diz não se importar com o fato dela ser uma alienígena...

Bom, o fato de Narue ser uma alienígena é mostrado no apartamento onde mora com o seu pai ( seu nome é Tadashi Nanase ), quando ele está para ser morto por um ninja do espaço, fato que deixa Kazuto com medo ( embora estivesse com vontade de proteger a Narue ).

A estória se passa de maneira agradável...

A jovem Yagi se faz de forte para esconder sua solidão.

A julgar pelo descrito no texto acima, "Narue no Sekai" aparenta ser apenas "mais um anime". Mas na verdade não é bem assim...

O título apresenta momentos de expressão de sentimentos simples, porém objetivos. Os personagens aparecem no anime em momentos coerentes, e eles possuem suas estórias em particular, mas que não chegam à serem tratadas com arcos ou algo do gênero.

Yagi é uma garota que se mostra muito forte, e que adora ver as estrelas e estudá-las, sonhando em um dia encontrar um OVNI de verdade. Mas ela sofre muito com a solidão, pois a sua mãe vive apenas nas viagens de trabalho, não tendo tempo para sua filha. Possivelmente, insistir em "descobrir a farsa" que é a Narue para ela é algo que pode ser tratado como algo para enganar a sua solidão...

Aparentemente, o forte da Narue não está nas máquinas de dança...

A Narue possui ainda uma irmã mais velha ( que não aparenta ser mais velha, em virtude de um efeito espacial ), chamada Kanaka Nanase. Ela é explosiva e não mede palavras. Acaba fazendo amizade com a Yagi na escola, fato este que incomoda a Narue.

Momentos de humor e descontração se passam tranqüilamente neste anime. Os mais notórios estão no modo como a Yagi trata Maruo, como a Kanaka trata às vezes o Izuka, e em pequenos trocadilhos espalhados ao longo da estória.

Sentimentos escondidos sob rótulos de palavras como ciúme e confiança se fazem presente neste anime da forma mais inocente possível. Entretanto, "Narue no Sekai" possui momentos ecchi igualmente leves e bem relevantes, ficando anos-luz de distância neste segmento ao apresentado em animes como "Love Hina" e "Shuffle!" por exemplo.

Objetivamente

Izuka, Narue e Kanaka.

O anime "Narue no Sekai" é visivelmente destinado a um público mais infantil. No entanto, as características deste título aqui apresentadas fazem com que se vale dar uma olhadinha nele.

Assista ao anime se estiver procurando por algo nada complexo, ideal para se descontrair e relaxar um pouco. Recomendado!

[ made in NETOIN! ]

terça-feira, 1 de abril de 2008

Os cem anos de imigração japonesa no Brasil!

Prefácio...

E a grande matéria anteriormente anunciada chegou!
O "NETOIN!" é um blog cuja maior parte dos textos são direcionados à animação e/ou cultura japonesa. Portanto, o que será visto à seguir não estará fora do contexto do referido blog.

Um trabalho árduo aqui será postado, neste que será um trabalho em conjunto bem preparado, com a união de três blogs em torno do seguinte tema: o centenário da imigração japonesa no Brasil.

Amigo leitor, aprecie!

Primeira parte - O começo de tudo ( 1908 à 1939 )

Introdução

O centenário simbolizado.

No próximo mês de junho, o Brasil comemorará os cem anos de imigração japonesa. Mesmo com a data ainda um pouco longe, os preparativos para a grande festa já estão sendo feitos a um bom tempo.

Em se tratando de um blog sobre animes e mangás, intimamente ligado com a cultura japonesa, o "Subete Animes", em parceria com o "NETOIN!" e o "The Key of the Broken Hearts", preparou um especial sobre a história da imigração. A matéria será dividida em três partes, sendo que cada uma será publicada simultaneamente pelos três blogs, a cada começo de mês, começando agora em abril.

A primeira parte que ficou sob a minha responsabilidade ( Leandro Nisishima, dono do blog "Subete Animes" ), tratando-se da chegada do primeiro navio de imigrantes, o Kasato Maru ( 1908 ), até pouco antes de começar a Segunda Guerra Mundial ( 1939 ). Antes de falar propriamente da chegada dos japoneses, segue-se um resumo da história do Japão durante esse período. No caso do Brasil, achei desnecessário falar sobre a situação do país nessa época, afinal isso é algo que pode ser encontrado em qualquer livro de história...

Enquanto isso, no Japão...

Um desenho para retratar o Japão.

O Japão atualmente é conhecido por ser um país altamente desenvolvido e com tecnologia de ponta. Porém, o que pouca gente sabe, é que a terra do sol nascente nem sempre viveu esse período de intensa prosperidade. Para quem mora no Brasil isso pode não ser novidade, afinal por qual motivo alguém deixaria para trás a sua terra natal, em busca de condições melhores de vida num país totalmente desconhecido? Isso somente acontece em períodos de crise numa determinada nação.

Pois bem, durante os anos que antecederam a chegada do Kasato Maru ao porto de Santos, o Japão vivia uma época bastante conturbada, onde a crise tomava conta de população. No cronograma histórico japonês, essa época ficou conhecida como a Era Meiji ( 1868 – 1912 ). Esse período é totalmente oposto ao anterior, o Xogunato Tokugawa. Agora o importante era modernizar o Japão, e guiá-lo de acordo com as tendências mundiais. O país finalmente saiu do seu isolamento, e começou a interagir com o mundo.

O movimento foi controlado pelas elites japonesas, e contou com reformas em praticamente todos os setores da sociedade ( comércio, economia, educação, forças armadas, entre outros ). Toda a população mobilizou as suas forças, com o objetivo de lançar o Japão no mercado mundial. Como a mudança precisava ser feita rapidamente, o governo permitiu a entrada de inúmeros cientistas e pesquisadores estrangeiros, que passaram os mais diversos conhecimentos aos japoneses. Tudo isso foi absorvido e usado para criar um novo Japão. É nessa época que começa a nascer também, o que mais tarde ficaria conhecido como nacionalismo japonês.

Para fazer o país crescer, o governo sabia que precisaria de um povo unido e interessado no crescimento da nação. A campanha realizada pelos governantes se focou justamente em fazer o povo japonês se sentir único e superior. Usando algumas crenças antigas e misturando-as com outras mais novas, surgiu o conceito que definia a nação japonesa. A primeira bandeira nacional surgiu nessa época, junto disso, a xenofobia provinda da idéia de um povo único que formava uma grande família, datam esse período. A imagem do imperador como um ser divino e inabalável reforçou ainda mais o nacionalismo.

Porém, na medida em que a revolução prosseguia, várias controvérsias começaram a surgir. Nem todos os setores da sociedade concordaram com as mudanças, em especial a classe dos agricultores e os samurais. O segundo grupo deu bastante trabalho aos governantes, comandando revoltas, e se opondo de todas as formas possíveis aos novos padrões de vida. Para os samurais a adaptação ao novo estilo de vida não era tão fácil, e aliado a antiga classe dominante, os guerreiros entraram em confronto com o novo governo.

Devido às guerras, e o crescimento da população, o Japão começou a entrar numa grande crise. A Era Meiji, embora tenha conseguido modernizar o país, não conseguiu manter sobre o seu controle todos os setores da sociedade. E no meio da crise, o governo japonês começou a tomar medidas para estabilizar o país. Uma das soluções encontradas foi a liberação da mão-de-obra para outras nações. O objetivo era reduzir a carga demográfica, e com isso diminuir os protestos por melhores condições de vida e trabalho.

A chegada do Kasato Maru

O Kasato Maru, navio que trouxe os primeiros japoneses às terras brasileiras.

Mesmo que o governo japonês precisasse liberar mão-de-obra, o principal problema que surgia com isso era: para onde mandar esse pessoal? Em primeiro lugar, seria necessário encontrar um país com falta de mão-de-obra, e interessado em trazer toda essa força de trabalho.

A Europa não era um destino ideal, até por que o continente corria um risco iminente de guerra, e ninguém iria querer trabalhar por lá. Na Ásia havia algumas regiões como a Coréia que já haviam sido conquistadas, porém o envio de japoneses ao país não aliviou a alta carga demográfica. Mesmo a mobilização de tropas para combater na Guerra Russo-Japonesa ainda não havia sido suficiente para abalar o grande número de revoltas. Claro que a vitória esmagadora sobre os russos melhorou um pouco a situação no país, porém ainda era preciso achar um destino para a mão-de-obra ociosa.

E os EUA? Bom, a terra do tio Sam sempre conhecida por defender a liberdade e a democracia, não via com bons olhos a chegada dos japoneses, tanto que em 1907 os EUA simplesmente impediram a entrada de novos imigrantes.

A solução apareceria com um tratado firmado entre o Japão e um certo país chamado Brasil ( onde será que fica esse lugar? ) em 1895. Esse tratado foi estabelecido para aproximar comercialmente os dois países, mas até aquele momento, não havia tido nenhuma aplicação prática. Para não deixar o acordo apenas de enfeite, e devido aos interesses coincidentes dos dois países, a imigração acabou sendo liberada.

Do lado brasileiro, a abolição da escravidão ocasionou a falta de mão-de-obra nas fazendas de café, e a liberação da imigração foi uma das formas encontradas para amenizar o problema. Pelo lado japonês ( como já foi mencionado ), a liberação de mão-de-obra ajudava a aliviar a carga demográfica do país, e diminuía o número de desempregados, reduzindo os protestos. Com o acordo assinado, bastava apenas conseguir juntar pessoas para embarcar.

A forte campanha governamental, que apresentava o Brasil como uma terra de riquezas, e a mensagem esperançosa de enriquecer em pouco tempo, haviam sido suficientes para que famílias inteiras resolvessem embarcar no Kasato Maru. A intenção era ficar mais ou menos cinco anos no Brasil, e depois retornar rico para casa ( talvez todo mundo já saiba o resultado ).

A primeira leva de imigrantes era formada por famílias provindas, em grande maioria, de Okinawa e Kagoshima. Da capital Tóquio saíram apenas três. Com tudo pronto e resolvido, o Kasato Maru saiu do porto de Kobe, no dia 27 de Abril de 1908. A despedida contou com um discurso das autoridades japonesas dizendo aos imigrantes para que “sempre se comportassem com a honra de legítimos japoneses”. Com isso, às 17h55, o Kasato Maru começou a se movimentar, e assim, iniciava a história da imigração.

Diferente do que acontece hoje com o movimento Dekassegui, as dificuldades dos japoneses começariam ainda dentro do barco. E não se trata somente do tempo para atravessar o oceano. A alimentação não era das melhores, os quartos ficavam em depósitos de carvão de pedra, e no meio dessas condições, inúmeras doenças começavam a proliferar. Para piorar, houve alguns atritos entre tripulantes e imigrantes.

Claro que mesmo com todas as adversidades, os imigrantes ainda puderam organizar algumas festas, mas boa parte do percurso não foi nada feliz. O Kasato Maru chegaria ao porto de Santos, após 52 dias de viagem, no dia 18 de junho de 1908, às 9h30. O primeiro contato entre japoneses e brasileiros havia finalmente acontecido.

O duro trabalho nas fazendas de café

Vamos para o Brasil?

Antes de iniciar essa parte, penso que a história da imigração japonesa é um bom exemplo para os milhares de dekasseguis que vão para o Japão. Digo isso, pois é realmente estranho ouvir as reclamações deles com relação ao modo de ser dos japoneses, da comida, ou melhor dizendo, da cultura de um modo geral. Sem querer parecer chato, a verdade é que a vida dos primeiros imigrantes foi terrivelmente mais dura do que a de qualquer Dekassegui. Antes de partir para o Japão, penso que muitos deveriam ler a história da imigração, isso realmente é uma lição de vida. Não acredita? Então vamos para a próxima parte...

Assim que os japoneses desembarcaram no porto de Santos, a população local ficou curiosa com relação aos estranhos imigrantes, que eram bem diferentes dos europeus. O porte físico ( mais baixos, magros, de olhos puxados ), o comportamento, a organização, entre outros atributos, causaram espanto nos brasileiros. A nova vida, entretanto, não guardaria tanto tempo para admirar a paisagem, e nem para receber elogios da população brasileira.

Logo que chegaram, os japoneses foram imediatamente levados até a Hospedaria de Imigrantes, localizada no bairro da Moóca. No local receberam as vacinas preventivas, tiveram a bagagem inspecionada e assinaram os contratos de trabalho. Durante algum tempo, antes das famílias terem os seus locais de trabalho definidos, o comportamento dos nipônicos impressionou os funcionários da alfândega. A paciência durante a demorada inspeção da bagagem, a boa recepção a comida brasileira ( embora eles não estivessem acostumados ) e a sujeira inexistente no pátio do refeitório deixaram as marcas da sociedade japonesa. E mesmo com tanta educação, os primeiros imigrantes não eram nada ingênuos.

Devido à quantidade de objetos dentro das suas bagagens, alguns fiscais pensaram em cobrar taxas extras sobre elas. Entretanto não conseguiram, em parte, devido ao suborno realizado por um dos interpretes dos imigrantes. Depois dos processos burocráticos, as famílias enfim foram enviadas para as fazendas de café.

As famílias foram espalhadas por seis locais diferentes, a saber: São Martino, Floresta, Sobrado, Guatapará, Dummont e Canaã. Até esse momento, a viagem por terras desconhecidas tinha sido calma e tranqüila, e a visão utópica de enriquecer nesse lugar, ainda permanecia firme e forte na mente dos imigrantes. Porém, a partir desse momento, a desilusão tomaria conta dos japoneses.

O começo do pesadelo estaria ligado à baixa produtividade de todos os seis cafezais. Nenhum deles conseguia oferecer o mesmo retorno de 50 ou 60 anos atrás. As safras estavam ficando cada vez menores, sendo que alguns estavam praticamente estagnados. Para aumentar os problemas, as moradias do local não contribuíam muito. Eram pequenas, velhas, sem mobílias, de madeira, sujas e com mau cheiro. Diria que os japoneses viviam na condição de favelados, ou até pior. Nem banheiro as casas tinham, as necessidades eram feitas atrás da cerca onde os porcos eram criados.

Embora tenha dito que a colheita não andava tão boa na época, as condições de trabalho não eram mais fáceis por causa disso. Os japoneses acordavam às 4 horas da manhã, caminhavam por um longo percurso até o local de trabalho e ainda passavam o dia inteiro trabalhando sob o sol forte, para ter uma colheita que não era nem de um terço em relação ao auge da plantação de café.

Isso tudo já seria o suficiente para provocar uma revolta. E acreditem que, além disso, ainda existia um quarto fator agravante, sendo este a comida. Mesmo que da primeira vez os japoneses tenham aceitado de bom grado a comida brasileira, eles não se acostumaram a ela tão rápido. Além de o arroz ser diferente, e de produtos como feijão, bacalhau e toucinho não agradarem ao paladar deles, cada um desses produtos era vendido a preços elevados nos mercadinhos das fazendas. Some-se à isso a água usada para fazer os alimentos, que era tirada de poços ou tanques de uso comum, e quase sempre estava contaminada. É necessário dizer que isso provocou revoltas entre os imigrantes?

As revoltas e um novo começo

Japoneses no cafezal.

Revoltados e armados com enxadas e lanças de bambus, vários japoneses se uniram contra os abusos praticados nas fazendas de café. Esse conturbado período foi marcado por inúmeras tentativas de fuga. Estima-se que 45% dos japoneses tenham conseguido escapar dos cafezais. A maioria conseguiu se livrar das fazendas de café, porém isso não significou melhora nas condições de vida no curto prazo.

O pouco dinheiro que possuíam teria que ser usado de maneira racional e inteligente, ou senão os imigrantes estariam com os dias contados. Os japoneses passaram a comprar pequenas terras perto das fazendas de plantação de café. Mesmo caindo diante das doenças tropicais, e desbravando matas e florestas, os colonos aos poucos começaram a crescer. O dinheiro escasso provindo das suas pequenas plantações foi investido em terras cada vez maiores, que mais tarde formariam os núcleos da colônia.

Um detalhe interessante de se observar foi que, somente graças à união dos colonos, a prosperidade deles foi possível. O ditado “a união faz a força” descreve perfeitamente esse momento. Depois de anos sofrendo com as doenças tropicais, com o ataque de animais selvagens, com o isolamento no meio das matas e florestas de São Paulo, os japoneses começaram a fundar alguns núcleos, como Birigui, Brejão e Cotia.

Nesses locais, muitas das tradições e costumes eram perfeitamente reproduzidas pelos imigrantes. Alguns matsuris ( festivais ) se faziam presentes em determinadas épocas do ano. O crescimento dos núcleos aumentou ainda mais com a chegada das ferrovias a determinadas regiões do estado de São Paulo. Novos núcleos surgiram em volta da linha Sorocabana, Mogiana e Paulista. No Paraná, as primeiras colônias surgiriam com a crise de 1929, que abalou a economia mundial.

A queda no valor do café, fez com que o plantio do produto fosse proibido no estado de São Paulo. Com isso, alguns imigrantes se dirigiram para o norte do Paraná, e com algum esforço, fundaram 30 novos núcleos. A perseverança dos japoneses começava a finalmente ser reconhecida, com o começo da integração deles a sociedade brasileira. É verdade que muitos ainda viviam da agricultura, e alguns do comércio. Mas os sinais de mudança estavam começando a acontecer. A cidade de Campo Grande, atualmente a capital do Estado do Mato Grosso do Sul, seria o próximo destino dos japoneses, a mais tarde até a Amazônia foi “invadida”.


A melhora nas condições de vida, e o acesso à educação

Os japoneses mostrando que podiam lidar com momentos ruins, semeando um futuro diferente para eles...

Esse processo ocorreu paralelamente à ascensão dos primeiros imigrantes na sociedade brasileira, mas preferi destacar isso neste tópico em separado.

A formação dos núcleos coloniais e a interação entre os imigrantes, não serviram apenas como meios de ascensão econômica, como também permitiram a eles realizar festivais, e promover a cultura entre os mais novos. Alguns jornais começaram a surgir a partir de 1915, e eram todos escritos a mão. A intenção era levar informações variadas aos colonos.

A educação, sempre presente na sociedade japonesa, começou a ser transmitida para os mais novos. O objetivo dos primeiros imigrantes era ensinar sobretudo a língua e os costumes do Japão, pois esses ainda acreditavam que um dia retornariam a terra natal, e era importante saber falar o idioma, para não fazer feio. A primeira escola japonesa foi inaugurada em 1915. Entretanto com a dispersão da colônia, principalmente nos anos do pós-guerra, essas escolas começaram a perder um pouco a sua força.

Hoje, as escolas especializadas no ensino de língua japonesa chegam a ter mais brasileiros do que descendentes de japoneses. A educação inicial nas escolas japonesas se converteu no desejo de ver os descendentes ingressarem na faculdade, e por isso as escolas mais freqüentadas atualmente são as brasileiras. Como se pôde perceber, a educação nunca foi deixada de lado pelos japoneses.

No próximo capítulo...

A bomba atômica cai em solo japonês: é o fim da Segunda Guerra Mundial.

O "Subete Animes" é um blog especializado em animação japonesa, assim como o "NETOIN!" e o "The Key of the Broken Hearts" também os são. Então, nada melhor do que entrar no clima dos animes. Não percam o próximo episódio do especial dos cem anos da imigração japonesa no Brasil.

Dessa vez, passo a responsabilidade para o meu amigo DeCyber ( dono do blog "The Key of the Broken Hearts" ), que irá falar um pouco sobre a Era Vargas e o período da Segunda Guerra Mundial. Um pequeno prefácio à seguir...

"Durante a Era Vargas, a colônia foi marcada por vários episódios tristes, principalmente com o término do conflito. O começo do governo de Getúlio Vargas marcava um período de prosperidade e orgulho dos japoneses. A volta ao Japão estava longe, mas o respeito à terra natal e ao imperador era forte. A derrota na guerra irá desiludir alguns japoneses, separando-os em dois grupos..."

Estejam atentos, para não perder o segundo episódio do especial. Sayonara a todos que conseguiram corajosamente chegar até essa ultima linha de texto.


[ adaptado do blog "Subete Animes" ]

-------------------------------------------------------------------------------------------------

A primeira parte desta matéria foi feita por Leandro Nisishima, do "Subete Animes".
As próximas partes serão postadas pelo DeCyber ( do "The Key of the Broken Hearts" ) em maio, e por minha pessoa ( Carlírio Neto - "NETOIN!" ) em junho.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - NETOIN! 2006-2017
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons