Retrospectiva'2011 - parte #2: mangás e animes... ~ Netoin!

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Retrospectiva'2011 - parte #2: mangás e animes...

A beleza: Ikoku Meiro no Croisée.

Amigo visitante, seja bem-vindo ao NETOIN!.

Esta é a segunda e última parte da Retrospectiva’2011, que desta vez abrangerá o contexto dos mangás publicados no Brasil e dos animes que surgiram no respectivo ano. Dentro de uma análise bem simples, porém com pretensões bem ambiciosas, você estará à par da opinião deste humilde blogueiro sobre o tema proposto.

Entenda-se, porém, que o benefício da dúvida é algo que deve ser respeitado. Desta forma, esta postagem estará mais diretamente ligada a uma franca e aberta opinião pessoal sobre os temas propostos. Haverá breves citações à algumas obras, mas elas não estarão niveladas em critério mais fechado como preferência pessoal ou algo deste gênero.

O convite lhe é feito: visitante, esteja à vontade. O NETOIN! busca, com esta segunda parte da Retrospectiva’2011, dar uma opinião mais limpa e direta sobre os temas propostos. Faz-se citar que a sua opinião é sempre bem-vinda, então fique à vontade para citar as suas palavras referentes a este texto, seja via e-mail ou através dos comentários do post.

Tenha uma boa leitura.

Os mangás no Brasil

Os cinco primeiros volumes de Bem-vindo à NHK.

De histórias regadas às lutas intensas, passando por dramas emocionais e contos pesados, culminando com os enredos mais simples e carismáticos: este, provavelmente, pode ser o rótulo que resume todas as obras publicadas no Brasil ao longo do ano de 2011.

Com um leque de escolhas mais amplo e que, com fácil dedução, acabou por satisfazer os mais variados tipos de gostos pessoais, os mangás que surgiram em solo brasileiro despertaram, também, diferentes tipos de interesse dentro do chamado público consumidor.

Fazendo uma breve análise sobre as obras que encerraram as suas publicações em 2011 ( vindas de anos anteriores ), somando-se às obras que surgiram no citado ano ( tendo sido encerradas no mesmo ou não ), o que se tem é um cenário aberto às mais abertas trocas de opiniões possíveis.

Detalhe de um dos dois volumes de Contos de Amor para Você.

Entre os mais diversos títulos publicados, as editoras nacionais buscaram as fatias deste público que mais lhe competem, dentro daquilo que ( na teoria ) poderia se fazer esperar delas. A afirmativa, contudo, faz referência apenas às obras ( nomes e quantidade ) trazidas pelas editoras, pois há outras questões que vieram à tona de forma impactante em 2011. Neste caso, faz-se uma clara referência à qualidade das publicações que, para várias pessoas, acabou deixando a desejar em sua consistência.

É bem verdade que boa parte deste público, como já se fez citar em anterior oportunidade, não está pensando muito neste lado da questão, estando satisfeitos com o fato das suas obras estarem ali, publicadas, prontas para a aquisição. Contudo, muitos também já estão dentro do outro grupo de raciocínio que busca, unicamente, um melhor cuidado por parte das editoras sobre aquilo que estão publicando ( e que deverão trazer ). Em ambos os casos a compra é feita para o entretenimento pessoal e, porque não ressaltar, até para um ganho cultural. À se pensar e refletir...

O mangá de Kobato, em detalhe.

No que tange sobre as obras ( em si ) que desembarcaram em solo brasileiro, a alegria pode ( e deve ) ser estampada. O mercado da área, que teve seu impacto inicial entre os anos de 2000 e de 2001, vê agora uma crescente pujante. Vários títulos, trazidos pelas editoras já conhecidas e por outras que buscam seu espaço ( ou que estão iniciando na área de mangás ), estão disponíveis para a pronta aquisição.

Este humilde blogueiro sempre esperou com paciência para que certas obras viessem à ser publicadas no País. Com satisfação, o ano de 2011 trouxe até obras nas quais não se esperava, em mente, vir para o Brasil. Ao menos, não tão cedo. Mesmo ponderando entre as situações citadas nas linhas mais acima, o saldo atual acaba sendo positivo, mas sem nunca deixar para trás as situações que necessitam de um maior cuidado e avaliação.

Títulos que encerraram as suas publicações em 2011, que tiveram início ( e até fim ) de publicação no citado ano ou que encerrarão mais para frente, fizeram a carteira deste humilde blogueiro tremer compulsivamente. Obras como Bem-vindo à NHK, Elfen Lied, Contos de Amor para Você, Kimi ni Todoke, K-ON!, Solanin, Histórias de Menino e Kobato estão aí para provar isso ( dentre as adquiridas por este blogueiro em 2011 ). Isso sem contar tantas outras publicações que surgiram, ao longo do citado ano, em território brasileiro.

O primeiro volume de K-ON! no Brasil.

Algumas circunstâncias tornam-se interessantes de serem citadas. Este é o caso do primeiro volume de Kobato ( pivô das reclamações citadas anteriormente ), do primeiro volume de K-ON! ( que chamou a atenção pela ótima qualidade de impressão, mas cuja incógnita persiste em existir ) e de Solanin e Histórias de Menino ( que marcam a entrada de uma nova editora no mercado de mangás ).

Deve-se ressaltar, sempre, que 2011 foi um ano determinante no que diz respeito aos mangás no Brasil. Destacam-se, para tanto, os anúncios feitos pela Editora Panini para 2012, a volta de Saint Seiya pela Editora JBC prevista para o início de 2012, a chegada da Editora L&PM no mercado de mangás ( versão pocket ) e outras notícias que, talvez, possam apartar no próximo ano.

Para pensar: se 2011 teve uma grande importância, é muito provável que 2012 também possa ser um marco nas publicações de mangás em nosso País. Resta apenas aguardar e acompanhar os acontecimentos.

Os animes em 2011...

O kawai: Yuru Yuri.

Quando se faz referência aos animes exibidos ao longo de 2011, a primeira coisa que vem à mente é a palavra moe. O termo em questão consegue ser um grande divisor de águas entre os fãs de animes. A razão para tanto vem de dois princípios distintos.

O primeiro destes princípios remete ao mercado atual de animes que, muito embora não faça a exigência de presença do efeito moe nas obras, salienta com ênfase o porque da presença do mesmo. O moe é um verdadeiro estímulo de adoração para muitos onde, às vezes, beira-se o inexplicável. Garotas bonitinhas em universos coloridos e histórias carismáticas ( às vezes, nem tanto assim ) fazem a festa de muitos.

O segundo princípio dita o caminho contrário. Existem muitas pessoas que classificam o moe como a causa de maior impacto na “decadência da animação japonesa”. Nesta linha de raciocínio, fez-se perder o estímulo às boas histórias para prevalecer uma alusão às personagens fofas e delicadas que se fazem presente em grande parte dos gêneros de animes existentes ( para não se dizer em todos ).

A descontração: Nichijou.

Para este humilde blogueiro, o moe não pode ser categorizado como um vilão a ser combatido. De igual forma, também não deve ser idolatrado como a salvação de muitos animes por aí. O equilíbrio e a boa dosagem podem fazer a diferença entre a boa qualidade e o dito dispensável.

Por mais que exista quem não aceite o fato comentado nos parágrafos acima, a verdade é que o moe existe a mais tempo do que se faz imaginar. Doravante a isto, ocorre que é justamente nesta época atual que ele - o moe – está em evidência e ganhando destaques opinativos pessoais, sejam eles negativos ou positivos.

O drama: Ano Hana.

Obras representativas apareceram em 2011, para fazer valer a máxima de que a criatividade ainda existe ou que, minimamente, boas histórias ainda são produzidas. Seja em vias de uma desconstrução de gênero, de uma história de vida próxima da realidade, de um futuro fictício muito mais acerca de todos, de uma comédia descompromissada e interessante ou algo que o faça raciocinar muito ( onde temas como o amor tomam parte ), os animes em 2011 procuraram agradar à uma grande parte do público.

Por suposto, Puella Magi Madoka Magica pode ter sido o convite perfeito para que você embarque a um novo modo de ver e sentir o gênero mahou shoujo, nas mais variadas formas e nos mais diversos sentidos. Não muito obstante, o anime Steins;Gate provou que um sci-fi pode ser muito bem feito e ainda introduzir, quem o assiste, à certos fatos que podem estar próximos da realidade. Ano Hana caracterizou-se por um ser um drama muito bem feito e de grande ( e merecida ) acolhida, mas que pecou ao forçar quem o assiste à ter certas emoções.

A nova visão: Puella Magi Madoka Magica.

Ikoku Meiro no Croisée foi um livro aberto para uma das histórias mais bonitas do ano, onde a pequena protagonista em muito contribuiu para deixar tal afirmativa em foco. Por sinal, Tamayura ~hitotose~ foi um convite muito bem-vindo para o retorno do gênero slice-of-life às suas mais tenras e nobres raízes. Pertencente ao mesmo grupo, Nichijou brindou a todos com uma combinação chamativa e interessante do cotidiano e do humor onde, mais do que nunca, prevaleceu a proficiência nos costumes japoneses para um melhor entendimento do anime.

Para se falar de garotinhas no cotidiano, Yuru Yuri mostra um belo aparato com ambientação propícia, sendo um convite declarado para ver fofura em alto nível. Hanasaku Iroha pode ter sentido o peso da injustiça em razão de alguns episódios, mas mostrou possuir uma história convidativa e pertinente ao seu propósito. Usando da palavra pertinência, Dog Days chegou a abusar do propósito estabelecido, mas nem por tal razão merece alguma crítica mais pesada ou de demérito para a obra.

A ideologia e o raciocínio: Mawaru Penguindrum.

De toda a forma, Usagi Drop pode ser colocado como o anime mais próximo da realidade em 2011, dada a sua história simples e muito eficaz, com direito a uma personagem admirável em sua essência e atuação. Quando se fala em corresponder expectativas, Fate/Zero mostrou, em sua primeira parte, que histórias conhecidas ainda podem resultar em excelentes animações, dignas o bastante de elogios e de serem lembradas por um bom tempo. Não distante a isto, Mawaru Penguindrum também manifestou forte presença, em sua história que buscou casar de forma interessante gêneros como o romance e o drama, regados à um enredo preso em dilemas e à forte manifestação ao pensamento.

Denpa Onna to Seishun Otoko buscou unir o nonsense com pitadas elegantes de slice-of-life, resultando em um anime bastante prático em seu ideal e interessante de se assistir. A-Channel foi um slice-of-life mais comum, sendo passado em ambientação escolar e com um grupo de protagonistas que até perdem alguns pontos em carisma, mas que cumprem bem os seus papéis. A segunda temporada de Kimi ni Todoke brindou a todos com mais voltas ininterruptas envolvendo o Kazehaya e a Sawako. E Un-GO, em sua premissa misteriosa e sistemática, surpreendeu pela condução e pelo foco contido, o tempo, no desdobrar de seu enredo.

Ainda merecem citação as animações que se encerrarão no início de 2012. Neste caso, Chihayafuru desponta como uma grande obra a ser citada, unindo carisma dos seus personagens e momentos de grande emoção em seu decorrer. Por fim, Shakugan no Shana III Final tem mostrado que a história ainda possui muitos desdobramentos para serem esclarecidos, mas que o fluxo em seu prosseguimento está certeiro.

Objetivamente

A promessa: Usagi Drop.

Desta forma encerra-se a Retrospectiva’2011 do blog, que foi dividida em duas partes. Centrada mais nas opiniões pessoais deste blogueiro, o que deverá ser um fato presente em 2012, as postagens procuraram passar uma ideia mais clara e precisa sobre aquilo que, em uma visão bem pessoal, mereceu ser aqui destacado.

De igual forma, esta foi a última postagem do NETOIN! em 2011. A sensação de um dever ter sido mais do que bem cumprido é evidente, e o fato do blog estar em franco crescimento é uma outra razão de importância para crer que, em 2012, novos desafios a serem batidos deverão aparecer.

Ficam aqui registrados os agradecimentos deste humilde blogueiro por sua visita, ao longo deste ano que está para se encerrar. E fica o convite para que, em 2012, você continue a prestigiar o NETOIN!, pois o trabalho para que isso corra continuará efetivamente ( até quando for possível blogar ).

Grato por tudo, e até 2012!
Do blog NETOIN! para você!

[ made in NETOIN! ]

  • 3Blogger
  • Disqus

3 Comentários

  1. Oi!!
    Hey não conhecia seu blog mas gostei1 Totalmente focado em animes e mangás1 Meu blog é assim, embora eu aborde outras coisas também...
    sabe dos mangás lançados esse ano eu não gostei acho que de nenhum. Entretanto 2012 promete em termos de mangá. Fiquei super feliz ao saber que a Panini lançará Kuroshitusji e o renomado seinen Monster.
    Bom to te seguindo..se puder me segue!

    ResponderExcluir
  2. Como sempre, bem direto e feliz seu post. Ler isso é bom para mim, afinal, sempre acabo vendo as séries que o senhor comenta com olhos otimistas.
    Feliz ano novo para você Doutor.

    ResponderExcluir

Dê a sua opinião sobre este texto do NETOIN!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as ideias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!

comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - Netoin! 2006-2017
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons