Vários trovões! Um Incubator! Momento de união! - Parte #3 de 4! ~ Netoin!

sábado, 20 de outubro de 2012

Vários trovões! Um Incubator! Momento de união! - Parte #3 de 4!


Esta história expressa apenas passagens fictícias da série em questão, 
vindas da mente do criador deste texto. Puella Magi Madoka Magica, sua história original  e personagens pertencem exclusivamente aos seus criadores.

* continuação do capítulo anterior *

Vários trovões! Um Incubator! Momento de união!
por: Carlírio Neto

Capítulo #3 – Surprise

Incrivelmente a Madoka continuava servindo de escoro absoluto para uma das paredes de seu quarto. Estava muito brava com o Kyuubei, aquela criatura tão desalmada e sem coração. Mas estava também chateada com ela própria...

Cutucar aonde dói nos outros é algo que o Kyuubei sempre fez muito bem, e sem precisar de muito esforço para alcançar os seus objetivos. A Madoka era o alvo preferido dele. Aliás, sempre foi. Com tanta inocência em seu coração e em seus pensamentos, tudo que a garota mágica com medo de trovão queria fazer era estar do lado de alguém em especial...

Mas a covardia e a timidez não permitiam sonhos assim para a Madoka. Ou melhor, até permitiam. Porém nada passaria de lapsos mentais, de algo que jamais seria real e verdadeiro. Ela queria ter a Homura por perto, nem que fosse para dizer um simples “oi”. É claro que a Madoka queria mais, bem mais...

Uma das frases mais comuns da história da humanidade sempre esteve ligada à timidez humana. Segundo tal frase, as pessoas caladas e quietas sempre foram as mais perigosas no quesito ação. Na hora do “vamos ver”. Na precisão do momento. Tudo bem, a idéia já deve ter ficado muito clara por aqui...

Os trovões cismavam com a pobre garota. Parecia que tinham vida própria e, mais ainda, davam a entender que sabiam do medo horripilante que a Madoka tinha deles. Por mais absurda que esta idéia possa ser, tal temor não era uma exclusividade desta garota mágica. Seguir em frente com os seus sonhos era muito importante para a Madoka. Lutar contra as perigosas bruxas era importante para a Madoka...

As bruxas... Madoka havia se lembrado daquela coisa chamada Challantis. Era horrível, desde a sua concepção até o seu avassalador poder. Sozinha ela nunca teria derrotado tamanha aberração. Em sua mente passava-se unicamente o momento no qual a Homura havia aparecido na batalha, ajudando-a a derrotar tamanha besta poderosa.

Madoka suou frio só de lembrar-se do momento em que a Homura havia segurado as suas mãos, se aproximado de seu rosto e lhe perguntado se estava tudo bem.

- Ai, ai... – um suspiro bem esperado da Madoka

Mas a Homura também sabia dar medo na Madoka. Aquele olhar frio e penetrante dava sinais negativos para a garota mágica. Madoka gostava muito da Homura, porém tinha uma vaga idéia de que tal sentimento nunca lhe poderia ser correspondido. Poderia ser a força da timidez dela ou, quem sabe, a razão querendo falar mais alto do que o coração. Não era tão difícil de se notar o que se passava na cabeça da pobre Madoka...

Trovões e mais trovões...

Madoka dava verdadeiros berros em razão do medo que ela tinha destes trovões. Em um deles, ela acabou correndo até a cama. Ficou escondida sob as cobertas. Engraçado o comportamento de uma poderosa garota mágica como ela, até porque, ela era um ser humano normal como todo mundo fazia se apresentar...

Alguns passos podiam ser escutados pela Madoka. Sorrateiramente alguém havia entrado em sua casa. Por onde? Provavelmente aquele Incubator tenha deixado a porta aberta, propositadamente. Mas a garota mágica que não gosta de trovões não tinha tempo para sentir raiva. Estava totalmente envolvida pelo medo daqueles trovões tão poderosos.

- Q-Q-Quem está aí? Fale agora! – gritou a Madoka, olhando para a porta de seu quarto

Mas ela não obteve nenhuma resposta. Entretanto, os passos continuaram. Aquilo estava deixando a garota sem poder respirar. Sentia-se muito mal e queria, de todas as formas, saber quem estava se aproximando de seu cantinho na casa.

- O-Olha... Diz quem está aí, agora!!!

O silêncio, uma vez mais, foi a resposta direcionada para a Madoka. Ela já não tinha mais nada a perder, por isso resolveu se levantar e ir até a porta...

- E-eu estou indo aí, hein? – frase dita com um tom ameaçador e voz de veludo pela Madoka

Ao se aproximar da porta, um vulto se fez parar em sua frente. Foi o suficiente para ela tremer nas bases, literalmente. Ela olhou profundamente para aquela sombra que estava parada em seu caminho. Foi quando a dita sombra ergueu o braço e encostou a sua mão no ombro da Madoka. Não contente com isso, ainda fizera questão de emanar um demoníaco som...

- Buuuuuu...

E a Madoka desmaiou no chão.

Este vulto era de ninguém mais do que a Homura. Ela continuava com aquele olhar gélido e frio para a Madoka, mesmo vendo-a desmaiada à sua frente. Sendo assim, a senhorita vulto assustador pegou a sua amiga no colo e a colocou na cama.

Enquanto a Madoka ficara completamente paralisada sobre a cama, a Homura ficou observando a sua amiga. Ainda com aquele olhar frio e penetrante. Contudo, a mente desta garota estava trabalhando de uma forma totalmente diferente do seu semblante naquele momento...

- Kaname Madoka, você é realmente linda... – Homura sussurrou a frase enquanto aproximava o seu rosto ao da sua amiga, ainda ligeiramente inconsciente

A respiração da Homura aumentava na medida em que aproximava o seu rosto ao da Madoka. Ela não estava mais conseguindo se conter. Inacreditável era imaginar que Kyuubei foi o co-responsável direto por este momento, fato este que fazia a Homura ficar muito brava. E a raça Incubator aparentava ter vencido a raça humana novamente...

A Homura se aproximava cada vez mais rápido da Madoka. A respiração dela estava muito ofegante. Começava a suar muito frio. Gentilmente, a Homura segurou a mão direita da Madoka com a sua mão esquerda, entrelaçando os dedos como um casal que se dão as mãos na normalidade da situação. A boca da Homura se movia por vontade própria, ao mesmo passo em que os seus olhos já estavam fechados. A Madoka, neste meio tempo, abria os olhos lentamente e...

- H-Homura-chan... É voc... – a Madoka foi interrompida

A senhorita frieza no olhar beijou suavemente os lábios da senhorita que odiava trovões. De olhos abertos e perplexos, a Madoka passou a receber este gesto de muito carinho da Homura, em um misto de alegria e de muita revolta por parte da garota mágica...

* continua... *

Na quarta, dia 24 de outubro...
Capítulo #4: Sentimental

[ made in NETOIN! ]


O autor do NETOIN! é...
Carlírio Neto Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade deste humilde blogueiro. Veja um pouco mais sobre o autor do blog NETOIN!aqui.

  • 2Blogger
  • Disqus

2 Comentários

  1. Desculpa, mas assim....
    ----------------

    - Buuuuuu...

    E a Madoka desmaiou no chão.

    ----------------
    Melhor parte EVER! <3 Ri muito imaginando a Madoka capotando.
    De resto, vamos ao capítulo quarto! x)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações

      Como se poderia dizer por aí: "É a Madoka [madokando] geral!"^^


      Até mais!

      Excluir

Dê a sua opinião sobre este texto do NETOIN!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as ideias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!

comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - Netoin! 2006-2017
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons