Evento: Tooru Furuya em Curitiba/PR! ~ Netoin!

domingo, 4 de agosto de 2013

Evento: Tooru Furuya em Curitiba/PR!

A preparação no Cine Guarani...
- Foto por Carlírio Neto. No MuMA, Curitiba/PR, em 13 de julho de 2013 -

No último mês de julho, Curitiba/PR se tornou um palco bastante peculiar no que tange à eventos da cultura japonesa na cidade. Primeiro houve a amostra da ação itinerante conhecida como "Japan: Kingdom of Characters", que já teve seu espaço aqui no NETOIN! e mostrou ser um evento de grande respaldo.

Não à toa, o supracitado evento já se fez presente em diversos Países, tendo chegado ao Brasil no mês de junho'2013. A capital paranaense foi o segundo palco do mesmo em terras brasileiras, uma vez que a estreia havia sido em São Paulo/SP. Como outras capitais receberão a visita de personagens japoneses (para contar um pouco da história dos mesmos na sociedade japonesa), é questão de tempo para que outras tantas opiniões surjam na internet sobre tal ação.

Mas um visitante ilustre apareceu na capital paranaense. Alguém cujos fãs brasileiros de animes devem conhecer bem, não tanto pelo seu nome (embora seja trivial a fama do mesmo), mas sim pelos personagens que tiveram as suas vozes vindas diretamente desta pessoa. Carisma, seriedade e profissionalismo são as marcas registradas deste dublador (conhecido pelo termo seiyu no Japão)
 que pisou em solo curitibano, alegrou muitas pessoas e fez valer cada minuto de sua estadia na capital paranaense.

Nobre visitante, é hora de saberes um pouco sobre como foi a visita de Tooru Furuya à Curitiba/PR, fato este que ocorreu no mês de julho, e que agora aparece para você, aqui no NETOIN!. Tenha uma boa leitura.

Um final de semana incrível...

Palestra  e sessão de autógrafos no MuMA, em Curitiba/PR.
- Foto por Carlírio Neto, em 13 de julho de 2013 -

A primeira coisa que se pode vir em mente é sobre a expectativa que se cria, por naturalidade, quando uma pessoa tão conhecida dentre os fãs da cultura japonesa resolve visitar a cidade (ou região) onde você vive. Obviamente, minha pessoa criou uma ideia. E para um imenso catalizador de sorte, a imagem criada acabou sendo melhora em bom nível, pois o representante da terra do sol nascente que veio palestrar em Curitiba/PR é dono de um incrível carisma e, porque não enfatizar, detentor de um enorme senso de responsabilidade.

Este é Tooru Furuya, um nobre vindo do Japão para falar sobre sua profissão, contar um pouco da própria história e falar das impressões que teve do Brasil, durante os dias em que esteve na capital do Paraná. O incrível à se ressaltar aqui, entretanto, não foi apenas o modo como o Furuya se comportou durante os dois dias de conversações, mas sim a forma com a qual ele tratou o público presente, sendo este um fato muito digno e de grande representatividade.

A apresentação dele no na palestra e sessão de autógrafos realizada no Cine Guarani (nas dependências do MuMA, no Portão Cultural, em 13 de julho) foi bem interessante. Se alguém esperava encontrar uma pessoa que fosse levantar a voz e falar coisas apenas de âmbito profissional, ou com alguns resquícios de proletariado nas palavras, acabou encontrando o carisma personificado em um ser humano. Não apenas na forma convidativa de exaltar todos os presentes, mas também nas expressões e na simplicidade no modo de ser e de interagir.

Furuya relembrando dublagens de algumas passagens em Saint Seiya.
- Foto por Carlírio Neto, em 13 de julho de 2013 -

Falar da profissão de dublador foi algo que Furuya fez bem pouco na primeira palestra (acima citada). Ele preferiu falar, de forma mais precisa, sobre o que é ser dublador e a emoção que existe em você "emprestar" a sua voz para o personagem que está sendo por ti interpretado. Isso não significa, porém, que ele não tenha citado alguns percalços da área no Japão, estando entre eles o assédio deveras exagerado em alguns casos. Mas nada que, de alguma forma, chegue a canalizar um ponto negativo em atuar com tal profissão e de seguir adiante na mesma.

Quando lhe foi perguntado sobre Curitiba/PR, Furuya arriscou algumas palavras em bom português para dizer o que pensava, mas com aquele sotaque oriental bem conhecido (especialmente se você vive em São Paulo/SP e costuma ir ao bairro da Liberdade, nobre visitante). Para ele, as mulheres curitibanas são muito bonitas (o que fez o público feminino aplaudi-lo de pé). Furuya também ficou muito feliz em ver tanta área verde em uma cidade tão importante (Curitiba/PR é uma das capitais com mais áreas verdes do Brasil). E o dublador japonês ainda exaltou o seu fascínio pelo churrasco local (se ele tivesse ido ao Estado do Rio Grande do Sul veria "o" churrasco).

Esbanjando carisma, Furuya ainda fez questão de demonstrar o seu profissionalismo na arte da dublagem, juntamente com alguns fãs de Saint Seiya que estavam trajados à caráter para a ocasião (leia-se como cosplays). Certas passagens do mangá foram demonstradas no palco, o que acabou fazendo muitos no público presente perderem o fôlego e sorrirem em demasia (dada a fama e reconhecimento que Saint Seiya possui a nível brasileiro e internacional). Ao final do evento, Tooru Furuya fez questão de apertar a mão de cada pessoa presente no público, na saída do Cine Guarani. Para a minha pessoa, este foi um ato de profissionalismo somado ao caráter mais do que engrandecedor que ele, Tooru Furuya, demonstrou possuir.

Tudo preparado no auditório do MON para o Talk Show!
- Foto por Carlírio Neto, em 14 de julho de 2013 -

Mas a passagem de Tooru Furuya por Curitiba/PR não parou aí. Seguindo com o programa traçado, no domingo dia 14 de julho o dublador japonês se fez presente no talk show, sendo tal evento sediado no auditório do Museu Oscar Niemeyer (o MON, popularmente conhecido como "museu do olho" entre os curitibanos). A ocasião era para uma conversa descontraída, troca de ideias e outras peculariedades de um evento deste porte.

O público presente para o talk show foi muito maior que o do dia anterior, no MuMA. Reflexo do poder assombroso que tem a junção entre o clima agradável na cidade com a expectativa de todos os presentes. Obviamente, muitas surpresas se fizeram transcorrer durante tal evento e, seguramente, alguns mitos foram desmentidos no mesmo.

No palco, sentados de frente para o público, estava o Tooru Furuya lado a lado com o dublador brasileiro do Seiya de Pégasus, e mais um senhor que auxiliava na tradução das falas do dublador japonês. Novamente, quem esperava por tons sérios logo no início do evento acabou não encontrando o que queria, e isto foi fantástico. Com isso, o Furuya acabou uma vez mais esbanjando o seu carisma para todos os presentes, mas de uma maneira muito mais aberta do que no dia anterior.

Dadas as apresentações, é hora do espetáculo!
- Foto por Carlírio Neto, em 14 de julho de 2013 -

Após as apresentações terem sido realizadas, Tooru Furuya foi questionado sobre a sua história de vida, desde quando havia começado a dublar até os dias atuais. Neste ponto começou a primeira oportunidade na qual a minha pessoa fez um living blogging, via Twitter, justamente sobre a presença do dublador japonês em Curitiba/PR. Uma verdadeira aventura que passará a ser compartilhada com você, nobre visitante, neste exato momento (aqui no NETOIN!).

Tooru Furuya começou falando de sua família, uma história bem polida e de longa data. Como qualquer garoto em tal fase da vida, ele possuía seus anseios e acabou optando pelas faculdades de economia e de administração. Não se rotulava como um estudante perfeito, mas conhecia muito bem o tudo que poderia fazer sempre apostando em sua capacidade. Aliás, é interessante aqui ressaltar que Tooru Furuya iniciou seus trabalhos como dublador quando estava encerrando o seu ensino equivalente ao antigo segundo grau brasileiro (atual ensino médio).

O Furuya havia recebido um convite de testes para interpretar um personagem no anime Mobile Suite Gundam, e foi à partir de então que ele resolveu levar mais à risca a profissão. Muitos personagens bem conhecidos do público brasileiro acabaram sendo por ele interpretados, destacando-se o Mamoru Chiba (Darien "Tuxedo Mask", em Sailor Moon), o Seiya de Pégasus (Saint Seiya) e o Yamcha (Dragon Ball Z). Outros personagens foram também por ele interpretados, tais como o Casshern (Casshern Sins), o Shikon no Tama (InuYasha) e o Daisuke Tokugawa (Space Battleship Yamato III). Segundo o próprio Furuya, o grande segredo para se dublar bem é estar se sentindo como parte do personagem, trajando roupas dele ou imitando alguns dos costumes do mesmo (ele enfatizou assim agir ao dublar o Seiya de Pégasus).

A conversa foi regada com muito bom humor e seriedade na medida.
- Foto por Carlírio Neto, em 14 de julho de 2013 -

Para o Furuya, defender alguns dos personagens que ele dublou foi quase uma obrigação. Por exemplo o Yamcha em Dragon Ball Z que, segundo ele, foi muito "mal julgado". Nas palavras de Furuya, o Yamcha era um personagem forte, bonitão e um ótimo partido para conquistar qualquer moça que queria (se bem que a Bulma não pensava assim). Entretanto, ele não usou de suas próprias dicas de dublagem ao trabalhar com o guerreiro de Dragon Ball Z, tal como fizera com o Seiya de Pégasus. Aqui ele preferiu a "neutralidade" da ocasião.

Entrando nos questionamentos sobre Sailor Moon, Tooru Furuya disse estar no paraíso quando adentrava ao set de trabalho. Ele era o único homem entre cinco belas mulheres, o que fazia com que Furuya se sentisse em um verdadeiro harém (desnecessário enfatizar que isto arrancou muitas risadas dos presentes no evento). Um sentimento mais do que esperado, conceituando de forma certeira. Partindo à partir de tal preposto, o dublador exaltou a importância que existe no chamado padrão de voz, onde a sua tem de estar plenamente de acordo com o personagem que vai interpretar, mesmo que sejam necessárias algumas ações para tanto.

O Furuya se usou como exemplo. Segundo o dublador, ele possuía muitas brechas entre os dentes, o que poderia atrapalhar consideravelmente o seu trabalho. Então ele acabou optando pelo uso de coroas em parte de sua arcada dentária, para que a fonética não fosse prejudicada, o que acabou tendo um resultado muito positivo. Mas nem apenas de apetrechos como este pode viver um dublador pois, segundo relatou o Furuya, é mais do que necessário que a pessoa já tenha passado por uma experiência similar (sentimentalmente falando) a que vai interpretar. Para ele, é muito difícil alguém dublar uma cena romântica sendo que não acredita no amor, por exemplo.

A conversação foi o ponto alto do evento!
- Foto por Carlírio Neto, em 14 de julho de 2013 -

No que tange à interação e comportamento, Furuya ressaltou que no Japão os ditos veteranos passam dicas bem preciosas para os novatos, mesmo que pudessem soar demasiadamente estranhas ao primeiro momento. O dublador citou uma dica que recebera anos atrás, na qual a mesma partia do pressuposto do trabalho com um personagem malvado. Furuya havia sido alertado de que deveria se portar como um malvado legítimo, inclusive andando com uma expressão carrancuda e zangado pelas ruas. Entre a normalidade e a repercussão, a dica possuía o seu nível de validez abrangente. Nisto, Furuya também comentou sobre o caso de Saint Seiya Hades, no qual ele disse que também deixaria para trás a dublagem do anime, caso os seus companheiros que ali estavam desde o início da obra fossem realmente substituídos. Um puro exemplo de ética profissional do dublador.

Outras características de interesse foram faladas pelo Furuya, sobre ser dublador no Japão. Entre elas está os rendimentos mensais, que não são exatamente como se podia imaginar (e que não há participação nos lucros da obra, a não ser que o dublador lance um Drama CD da mesma, por exemplo). Ele também falou que, no set de dublagens, a pessoa com mais falas fica isolada das demais (geralmente no canto esquerdo da sala). E também ressaltou que, em algumas ocasiões, mudar o próprio nome foi necessário, com o intuito das pessoas não fazerem uma hiperligação entre ele, Furuya, e o personagem que estava à dublar (como ocorrera com ele em Gundam). Neste quesito, Furuya ainda falou de sua preferência em personagens para serem dublados, sendo esta tarjada sobre os heróis (o dublador gosta deles porque, na visão do mesmo, todos gostam de heróis e eles geralmente são fortões e bonitões). E para finalizar este escopo, Furuya disse que ainda não havia recebido (até então) nenhum convite para dublar o Mamoru Chiba uma vez mais, no remake futuro de Sailor Moon (muito embora ele anseia em fazê-lo).

O evento encerrou-se em duas frentes, sendo estas as perguntas por e-mail e uma performance notável. Tooru Furuya falou muito sobre as expectativas quanto à Saint Seiya, corrigiu o dublador brasileiro sobre a fonética japonesa, uma vez mais falou da beleza das mulheres curitibanas e disse qual era a frase preferida dele, ao interpretar o Mamoru Chiba (sendo esta a seguinte: "Sailor Moon, você engordou novamente?"). Antes das despedidas, o Tooru Furuya cantou "Pégasus Fantasy" para os presentes no auditório do MON e, na sequência, entoou uma música inédita. Com isso, o evento para o grande público havia se fechado com chave de ouro, onde o carisma de Furuya se fez aparecer uma vez mais para todos, com estilo e propriedade.

Objetivamente

Ao final, apresentações musicais do Tooru Furuya!
- Foto por Carlírio Neto, em 14 de julho de 2013 -

Estes dois eventos, em um mesmo final de semana, fizeram os fãs de cultura japonesa em Curitiba/PR realmente se sentirem muito mais próximos de tal paixão. O modo simples de ser do Tooru Furuya realmente cativou à todos, dificilmente havendo alguma exceção para o caso. Desde os momentos nos quais o dublador chegou a arriscar palavras em português, até o tom sério em algumas oportunidades, fez com que os eventos ocorridos ganhassem ampla representatividade e notoriedade.

É bom ressaltar que a capital paranaense ainda precisa avançar no know-how (no que tange à ocasiões de tal magnitude), no intuito claro e objetivo de receber mais eventos como os relatados neste texto, amigo visitante. Ainda assim, a percepção geral sobre o mesmo foi muito positiva e, com isso, pode-se dizer que o Tooru Furuya deixou realmente uma ótima marca em solo curitibano.

Para a minha pessoa, um humilde blogueiro, ficou a sensação de ter acompanhado ótimas palestras e de ter se sentido enriquecido, dado o ganho cultural que as mesmas souberam promover. Com isso, a presença de Tooru Furuya em Curitiba/PR foi mais do que representativa e fica para você, amigo visitante, apenas uma certeza baseada em um anseio, estando este atrelado à vontade de ver a capital paranaense sediando mais eventos deste nível, trazendo mais pessoas para dialogar e dividir experiências da área, entre outras coisas.

No anseio de que tenhas gostado deste texto, fica 
o agradecimento deste blogueiro por ter acompanhado o mesmo até o fim.

Nobre visitante, até a próxima!

Reveja o post sobre o evento "Japan: Kingdom of Characters" clicando aqui

Visite o site da Japan Foundation, ao clicar aqui

Acesse o site do Consulado Geral do Japão em Curitiba/PR, clicando aqui

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]


O autor do NETOIN! é...
Carlírio Neto Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade deste humilde blogueiro. Veja um pouco mais sobre o autor do blog NETOIN!aqui.

  • 0Blogger
  • Disqus

Deixe o seu comentário

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre este texto do NETOIN!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as ideias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!

comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - Netoin! 2006-2017
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons