FestComix, editoras e uma opinião... ~ Netoin!

domingo, 4 de maio de 2014

FestComix, editoras e uma opinião...

A chamada para o evento.

Saudações, nobre visitante. O NETOIN! lhe convida para um post dos mais interessantes, uma vez que a pauta aqui estará centrada em um dos eventos mais conhecidos de São Paulo/SP e que, certamente, já atraiu a atenção de muitos residentes de outras cidades e Estados do Brasil (como é o caso de minha pessoa).

Trata-se da FestComix, que foi realizada pela última vez em 2012. Após um ano, o evento voltou para o deleite dos compradores de mangás, HQs, dentre outras publicações e itens. Possuindo suas características próprias, o evento em si teve alguns pontos de consideração. Além disto, algumas palestras foram realizadas nele, nas quais as editoras Panini e JBC acabaram mostrando o poderio que dispunham para seus públicos na ocasião.

Sinta-se convidado à acompanhar o resumo deste evento. Desde agora, tenha uma boa leitura.

A FestComix em si...

Itens à venda...

A FestComix é considerada como a maior e mais tradicional feira de quadrinhos e mangás do Brasil. A mesma costuma possuir um grande leque de opções para compra de publicações e aquisição de outros tipos de produtos, que variam de enfeites à vestuários temáticos. Contudo, a mesma não foi realizada em 2013, devido à problemas técnicos e de localização. Até então suas últimas edições haviam sido realizadas nas proximidades do coração paulistano, a Avenida Paulista, mais precisamente no Centro de Convenções São Luís. Com o aumento da demanda de público e outras circunstâncias, o evento em questão mudou de endereçamento na sua edição 2014, que foi realizada no Centro de Convenções Imigrantes (mesmo local onde se realiza o Festival do Japão e vários outros eventos).

O acesso até tal local não é difícil. Contudo, as reclamações que surgiram pela internet afora se deu por outra razão. Em sua última edição, o ingresso para a FestComix (de 2012) foi de dez Reais. Entretanto, em 2014 o valor aumentou para oitenta Reais na portaria (sendo quarenta Reais a meia-entrada no local e quinze Reais o ingresso antecipado adquirido, durante período determinado, na loja física ou virtual da Comix). A razão dada para tal aumento foi a mudança de local e a falta de patrocínios para o evento em si, que acabou sendo realizado simultaneamente ao X-5 Game Arena e também ao Mega Anime X (sendo que o ingresso valia para os três eventos).

O espaço delimitado para a FestComix'2014 foi um pouco maior que aquele de outrora no antigo endereçamento. Era possível caminhar sem problemas ou maiores apertos. Muito embora a primeira impressão tenha sido a de um público pequeno, bastou adentrar à área de vendas das publicações para notar que o pessoal ali se concentrava. Relatos anteriores em redes sociais como o Twitter diziam que, no dia primeiro de Maio, o evento esteve lotado e que no dia seguinte estava bem vazio. No sábado (3 de maio), quando minha pessoa lá esteve junto de grandiosas companhias, a impressão dada foi que o público presente era  menor do que se podia imaginar, mas que o evento nem de longe estava vazio.

Evento de games.

Muitas preciosidades em mangás estavam à venda no dito lugar. Para que você tenha uma ideia, cada edição antiga de Magic Knight Rayearth e de Chobits estavam sendo vendidas por apenas um Real. Além disto, haviam obras cujos descontos também chamavam a atenção. As publicações de momento também possuíam as suas reduções de preço. Assim como ocorrera com os mangás, os quadrinhos nacionais e HQs também tinham seus descontos nos valores, prontos para serem adquiridos pelos seus públicos.

Além disto, a FestComix contou com seus stands bem conhecidos, onde uma gama de produtos e itens eram oferecidos. Era possível comprar figures de vários personagens dos animes e mangás. Roupas temáticas estavam ali, no aguardo de aquisição. Sessões de autógrafos fizeram parte do leque de atrações do evento, que contou também com workshops e um concurso cosplay. Visitar o site oficial do evento pode ser um bom convite para você ter uma melhor ideia do mesmo, visitante (acesse-o ao clicar aqui).

A praça de alimentação se fazia presente, em razão dos eventos que corriam em paralelo (em específico ao X-5 Game Arena). Reclamações quanto aos valores era o que mais se ouvia nas mesas. E, diga-se de passagem, poder andar por tais eventos em paralelo acabou se mostrando como uma experiência válida. No mais, pode-se dizer que a FestComix teve seu objetivo primário na mais plena realização. Contudo, os valores dos ingressos acabaram sendo a maioria das reclamações.

As palestras...

A palestra da Panini.

Durante a FestComix já explanada ocorreram duas palestras. As duas maiores editoras brasileiras, no ramo da publicação de mangás em específico, estiveram lá para mostrar algumas novidades para o público presente. Obviamente, fala-se aqui da Panini e da JBC. Com horários distintos e um intervalo saudável entre os mesmos, estava feita a chamada de interesse para quem quisesse ficar por dentro das notícias que haveriam de aparecer no sábado, dia 3 de maio.

A Panini iniciou os trabalhos, por volta das treze horas. A editora já havia deixado claro de que traria quatro novos títulos. As apostas no fandom eram bem altas. E dado o impacto de tais apostas, é possível aqui mensurar que o resultado final ficou ligeiramente aquém do esperado inicialmente, muito embora os respectivos públicos-alvo das obras anunciadas realmente tiveram motivos para comemorações. Entretanto, falar das obras inacabadas ou que estão em pausa foi o primeiro tema levantado na palestra (como o caso de Homunculus, cujo último volume será vendido exclusivamente via internet uma vez que, segundo a editora em questão, sua vendagem de banca foi deveras baixa).

A editora chamou a responsabilidade com o anúncio da republicação de Berserk, para o deleite de boa parte entre os presentes na palestra. A obra é vista como muito aguardada por seus aficionados fãs e, embora ainda em andamento, sua republicação é por tais muito bem-vinda. Na sequência foi anunciado Pokémon Adventures, um título esperado mas de pouca aderência em apostas, que iniciará com a saga Black & White (e a editora mostrou tendência em publicar a série Red do mesmo, logo em seguida). Depois foi a vez de The Conductor ser citado como novo lançamento, sendo que a obra é um shoujo cuja publicação original já se fez encerrar.  Por fim, Defense Devil foi o último título oficial a ser citado, sendo o mesmo um shounen contendo romance, ecchi e poderes sobrenaturais em seu prosseguimento. Todos os quatro títulos foram anunciados para 2014, muito embora sem uma data oficial de lançamento.

A palestra da JBC.

Mais tarde, por volta das dezessete horas, foi a vez da JBC entrar em cena. E a atmosfera era deveras branda para tal palestra. Vale ressaltar que tal ambiente estava impregnado desta forma, especialmente após ter sido afirmado que a palestra não teria nenhum destaque de peso, e que seria a mais direta possível. Ainda assim, os trabalhos começaram falando-se da adaptação de nomes para o novo mangá da editora, sendo este Hoshi no Samidare, bem como uma nova informação sobre o relançamento de YuYu Hakusho (que será no formato tankobon).

Após isso, vieram os anúncios. Trataram-se de dois one-shots. O primeiro foi Tom Sawyer, uma obra que possui uma estória bem delicada na sua concepção, com toques dignos de uma estória direcionada ao público shoujo/seinen (sendo do mesmo autor de Saikano). O segundo foi Tsumitsuki, do mesmo autor de Another e que possui alguns dos ingredientes da série citada, como a temática sobrenatural. Em outras palavras, a editora em pauta resolveu cravar a aposta em dois títulos desconhecidos da grande maioria das pessoas (incluindo este humilde blogueiro), mas que poderão chamar a atenção dentro de suas possibilidades. Ambos serão publicados em 2014, mas também não foi divulgada uma data de lançamento.

Contudo, ambas as editoras deixaram o que tinham de melhor para o final, se é que minha pessoa pode assim exclamar. No caso da Panini, uma brincadeira com o público presente na palestra (valendo mangás que estavam na mesa) acabou rendendo uma informação de importância, pois graças à tal ação ficou claro que Assassination Classroom e Kuroko no Basket já devem ser da Panini (cuja divulgação oficial, presume-se, deverá ser feita em julho durante o Anime Friends). Por sua vez, a JBC reservou os quinze últimos segundos para deixar o maior trunfo aparecer, sendo que o mesmo atende pelo nome de Magi, como sendo o mais novo mangá (oficial) da editora em questão. O anúncio fez a euforia tomar conta dos presentes na palestra.

Um veredicto sobre as palestras...

Imagem meramente ilustrativa...

Uma chamada deve ficar bem clara para você, nobre visitante, sobre as palestras que ocorreram na FestComix. E ela se trata justamente sobre como responder à anseios, dúvidas e afins do público. Neste quesito, pode-se dizer que uma editora se saiu melhor que a outra na palestra em si.

Em dado momento, após a Panini ter anunciado seus quatro novos mangás e ter dado as dicas para outros dois, alguém fez uma pergunta sobre uma possível vinda de Magi para o Brasil. E a resposta foi contundente e direta, iniciando com uma inexistência de possibilidades atuais de acordo entre a Shogakukan e a Panini, o que significaria uma dificuldade maior para se trazer tal obra (questões de mercado, estabilidade e afins). Na sequência, no final da palestra da JBC, o anúncio oficial de Magi para o público brasileiro acabou fazendo com que todos os informes ditos na palestra anterior perdessem algum impacto. Muitas das pessoas presentes nas palestras interpretaram tal fato como um tipo de lição à ser levada adiante.

Entretanto, vale aqui ressaltar que ambas as editoras parecem ter falhado em algum ponto. À nível Brasil, os fãs do gênero shoujo (dentre outros, mas com ênfase neste) estão pedindo por um título de impacto nas bancas tem algum tempo. É fato que Sailor Moon tem mostrado-se como sendo uma publicação muito bem recebida, mas a ausência de obras que se tratam do romance puro, de conflitos emocionais na tangente ou de algo mais ligado ao josei ou seinen com peso de nome (por exemplo), acaba fazendo com que a prerrogativa encaminhada pelos fãs do gênero em pauta tenha muita validade.

É bem verdade que uma obra do gênero shoujo e outra atrelada à tal foram anunciadas nas palestras já citadas, e que outros títulos foram publicados em 2014 (mas seguindo a vertente do peso mínimo em seus nomes). Como não existe acesso aos números oficiais das editoras (mas o projeto de pesquisa, feito pelo blog Anime Portfólio, mostra auxiliar sobre o ponto de vista de parte do público nesta questão) se torna difícil ter um ponto de reflexão mais objetiva para explanação, mas a verdade é que o mercado de mangás brasileiro tem de saber aproveitar os momentos que surgem ao seu favor, e o público para obras do gênero shoujo tem de ser levado um pouco mais em consideração (como exemplo).

Em si, as obras anunciadas em caráter oficial, nos últimos anos, têm agradado muito ao público das mesmas. Isto identifica um crescimento no mercado local, que ainda assim precisa se fortalecer e dar uma atenção mais aguçada à todos que estão nele inseridos (independente de ser o dito alvo ou não). Existem questões importantes como valores de contrato, diagramação, liberação da editora matriz ou do responsável pela obra, expectativa de alcance e vendagem, entre tantas outras, que devem sim serem levadas em consideração. Mas não se pode deixar o público comprador (ou parte dele) para trás neste segmento.

Objetivamente

Estilo K-ON!.

Este foi o resumo do NETOIN! sobre a FestComix e também no que tange às palestras que ocorreram durante tal evento. Ter participado deste evento, ao lado de representantes de outros blogs e sites da área (ou não) sendo, acima disto, pessoas preciosas ao extremo foi muito satisfatório e algo que, seguramente, deixará lembranças na mente de minha pessoa. Minha pessoa lhe pede visitante, desde agora, sinceras desculpas se algo aqui foi descrito de maneira que tenha aparentado ser leviana ou de efeito similar (se tais pontos existirem, analisá-los é mais do que essencial).

Todas as chamadas aqui presentes tiveram apenas o caráter informativo da questão para serem levadas adiante. Não há uma real necessidade de insatisfação ou prenúncio para algum tipo de desentendimentos. O ideal é analisar todas as possibilidades e ver, de maneira honesta, como está o mercado brasileiro de mangás atual e como o mesmo pode ser mais alavancado, seguindo para frente sempre.

O convite fica feito para que você opine à respeito na área de comentários, deixando a sua mensagem sobre o evento ou sobre os lançamentos anunciados em si. Com total certeza esta foi uma experiência das mais válidas que, certamente, tem aqui um ponto positivo de forte e irrefutável observação.

A Hatsune Miku esava lá...

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]


Conheça o autor do NETOIN!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

  • 4Blogger
  • Disqus

4 Comentários

  1. é.... enquanto aí tinha mangá antigo vendido a 1 real. Na Bienal do Livro que aconteceu aqui em Brasília, tinha mangá antigo sendo vendido a quase 500% a mais que o preço da capa (Não é brincadeira).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações


      Nobre Leonel, na FestComix era possível achar estes mangás citados por um Real cada edição/volume...
      Porém, no bairro da Liberdade, tu encontrará o volume #1 de Sakura Card Captor (edição antiga, de 2001) por cento e vinte Reais...

      E sim, acredito em suas palavras.


      Até mais!

      Excluir
  2. Olá!!

    Eu gostaria muito de ter ido, mas com o ingresso nessas alturas e fora da época do pagamento atrapalhou e muito meus planos. Fiquei contente com o anúncio de Kuroko para a Panini. Desde que tive a oportunidade de assistir à primeira temporada do anime estou doida para que alguma editora o publique por aqui e fiquei contente por ser a Panini. Teremos tempo para respirar!! xD

    Realmente, concordo que fãs de shoujo estão um pouco órfãs de obras por aqui (e Sailor Moon não conta). Ainda tenho esperança que Usagi Drops saia pela NewPOP. O que mais se vê é anúncio de vários títulos mas nenhum que satisfaça esse público.

    Bom, interessante seu relato.

    Até a próxima!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações


      Bom, eu só estive na FestComix porque uma amiga de São Paulo comprou no ingresso antecipado de quinze Reais para mim (pois oitenta Reais eu não pagaria de maneira nenhuma). E estava bem interessante por lá...^^

      Quanto às palestras, Panini e JBC mostraram as suas cartas. Mas a segunda editora acabou se saindo bem melhor do que a primeira neste quesito.

      Ah, Sailor Moon conta como shoujo em sua demografia, nobre Natália (pode até soar estranho isso).

      Obrigado.^^


      Até mais!

      Excluir

Dê a sua opinião sobre este texto do NETOIN!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as ideias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!

comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - Netoin! 2006-2017
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons