01/12/14 - 01/01/15 ~ Netoin!

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Adeus, 2014! Seja bem-vindo, 2015!

O Netotin e sua festa particular.
Anseios de um ano melhor...

Um post curto para uma ideia longa, concreta e duradoura. A chamada trás para você, nobre visitante, a tradição da passagem de anos. O atual período, conhecido como 2014, está para encerrar-se com toda a sua força e presença. O bastão será passado para o próximo ciclo, à ser conhecido como 2015, e com ele novas aspirações buscarão serem concretizadas, além dos pontos positivos serem mantidos e da prerrogativa do aprendizado continuar sendo uma constante.

Para o NETOIN! em si, o ano que se encerra foi deveras representativo. Novas seções, altos números de visitas e de comentários em média por post, recorde de textos publicados no mesmo ano devidamente batido, melhora significativo nas visitações à este espaço na internet, sendo 2014 o melhor ano neste aspecto desde 2012. Uma alegria sem fim. Cuidar deste blog e manter sua identidade é um trabalho árduo que, seguramente, conseguiu premiar com grande responsabilidade tudo aquilo que houve de representativo.

Entretanto, para este humilde blogueiro o ano de 2014 foi digno de uma repaginação. Não foi um ciclo dos mais felizes. Como você deve ter lido no post de oitavo aniversário, a sobrevida deste blog chegou a ficar abalada em razão das atividades e ocorrências de natureza pessoal. Contudo, as ações e responsabilidades devem voltar para o seu devido lugar, aos poucos e com a famosa sina da realização.

Não, nobre visitante. Sem atribuições de culpas aqui. É graças à você que este espaço está na ativa que assim continuará. Embora seja incerto afirmar que 2015 baterá o recorde posts conquistados em 2014, a verdade é que tudo feito aqui vem com muita satisfação, humildade e paixão. O NETOIN! significa tudo isso para a minha pessoa. Não há razão de pensar diferentemente disto.

Que 2015 chegue e que, com ele, novas perspectivas se  tornem dignas realizações e que tudo isto possa aqui aparecer, sendo compartilhado com alegria e devoção.

Um Feliz Ano Novo para você!

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]


Conheça o autor do NETOIN!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

O NETOIN! e seus destaques da animação japonesa em 2014 - parte #1: o legado de baixo...

Wizard Barristers.
Opinião de um lado, gosto pessoal do outro...

exatamente um ano atrás, este humilde blogueiro lançava aqui no NETOIN! um post de recapitulação, nomeado como destaques da animação japonesa em 2013. Tal texto foi o mais longo de uma leva que se faz aqui presente desde 2010, na qual os destaques (do ponto de vista deste espaço na internet) são citados, elogiados e até criticados. Este tipo de trabalho é uma boa oportunidade para que  exista uma saudável e bem-vinda troca opinativa entre blogueiro e visitante, pois as diferenciações sobre ranks e tops são sempre muito variadas, cabendo muitas explanações sobre tais quando necessário.

O ano que está em seu penúltimo dia já teve a primeira parte da retrospectiva publicada, pois tratou-se do texto com os destaques em aberturas e encerramentos de 2014. Foi uma verdadeira compilação, partindo do pressuposto enaltecido pelos quatro posts de temporadas com tal temática, que proporcionaram eficácia na distribuição não apenas do top'5 dentro de tal, como também de um bottom'3 (enfatizando, no caso, as ditas piores aberturas e encerramentos do ano).

A chance deste post especial ficar longo neste ano era deveras alta, mesmo com o adiantamento em separado na tangente das músicas. Por tal razão, a minha pessoa resolveu seguir a proposta adotada pelo blog parceiro Alchemist Nany, que fez seus posts de animes e suas trilhas em destaque deste ano devidamente separados em duas partes e bem distribuídos, proporcionando uma experiência muito positiva para a causa.

Com isso, nobre visitante, o primeiro post especial com os destaques do ano está oficialmente aberto para você.  A temática adotada será a das menções negativas, em outras palavras, com as obras cujo apreço foi ruim ou que tenham deixado um gosto estranho, em se tratando de que poderiam ter saído bem melhores do que realmente foram. Não esqueça de um ponto importante, pois aqui estará registrada unicamente uma opinião, amparada em boa parte por gosto pessoal somado às todas características possíveis, como trabalho acerca do enredo, trilha sonora, carisma dos personagens, entre outras conformidades.

Desde agora, o NETOIN! lhe deseja uma boa leitura!

Introdução: o que poderá aparecer...

Inugami-san to Nekoyama-san.
O primeiro ponto de atenção estão nas regras que o NETOIN! adota para fazer tal tipo de post anual. É necessário saber delas, o que lhe proporcionará uma abrangência maior de compreensão, visitante. A primeira a se destacar é que somente animes que foram vistos pela minha pessoa poderão se fazer presentes, evitando assim que obras não visualizadas acabem ganhando menções que poderiam soar injustas, independente das mesmas de serem positivas ou negativas.

Em um segundo escalão, os animes de início em outubro'2013 e que terminaram em 2014 poderão aparecer em qualquer ponto deste especial anual. Desta forma, as obras à seguir tornam-se automaticamente elegíveis para o pleito: Golden Time, Kill la Kill, Kuroko no Basket 2, Magi: The Kingdom of Magic (Magi II), Nagi no Asukara, Samurai Flamenco e Yowamushi Pedal.

A terceira pauta é uma causa oposta à anterior, pois os animes que começaram em 2014 e que prosseguirão na temporada de janeiro'2015 (ou adiante) serão elegíveis apenas para o pleito do próximo ano. Neste caso, os animes que concorrerão daqui um ano são: Akatsuki no YonaCross Ange: Tenshi to Ryuu no RondoKiseijuu: Sei no Kakuritsu, Sailor Moon Crystal, Shingatsu wa Kimi no Uso, Shirobako e Yowamushi Pedal: Grande Road.

Como quarta menção entra um ponto a ser destacado, sendo este o fato dos títulos que tiveram duas temporadas sendo exibidas em 2014, desde que tenham apresentado início e fim no ano corrente, serão ranqueados como um anime apenas. Este é o caso direto de obras como Hitsugi no Chaika, Mushi-Shi Zoku-Shou, Space Dandy e Wixoss, por exemplo.

Por fim, se seguirão agora os nomes dos animes que, de acordo com as quatro normativas impostas mais acima, poderão acabar aparecendo neste post especial anual. Os mesmos estarão perfilados, mais abaixo, de acordo com as temporadas em que foram exibidos.

* janeiro'2014: Chuunibyou Demo Koi ga Shitai! RenGin no Saji 2nd Season (Silver Spoon 2)Hamatora The AnimationNisekoiNobunaga The FoolNobunagun; Pupa; PuPiPo!Saikin, Imouto no Yousu ga Chotto Okashiinda ga; Saki Zenkoku-hen (Saki 2); Sakura TrickSekai Seifuku Bouryaku no Zvezda; Space DandySuper Sonico The AnimationToaru Hikuushi e no KoiutaTonari no Seki-kunWake Up, Girls!Wizard Barristers Benmashi CecilWooser no Sono Higurashi Kakusei-hen (Wooser II).
* abril'2014: Isshuukan FriendsHaikyuu!!Mushi-Shi Zoku ShouPing Pong the AnimationNo Game, No LifeJojo's Bizarre Adventure: Stardust CrusadersMahouka Koukou no RettouseiBaby StepsBlack BulletRyuugajou Nanana no MaizokuninSoredemo Sekai wa UtsukushiiHitsugi no ChaikaSelector Infected WixossMekakucity ActorsGochuumon wa Usagi Desu ka?Abarenbou Kishi! MatsutarouCaptain EarthGokukoku no BrynhlidrAkuma no RiddleFuun Ishin Dai-ShogunMangaka-san to Assistant-san toInugami-san to Nekoyama-san.
* julho'2014: Ai Mai Mi Mousou CatastropheAkame ga Kill!Aldnoah Zero; Ao Haru Ride; Barakamon; DRAMAtical MurderFree! Eternal Summer; Gekkan Shoujo Nozaki-kun; GlasslipHanamonogatariHanayamataRail Wars!; Rokujouma no Shinryakusha!?; Shirogane no Ishi Argevollen; Yama no Susume Second Season; YamiShibai 2.
* outubro'2014: Amagi Brilliant ParkDenki-Gai no Honya-san; Fate/Stay Night: Unlimited Blade Works; Grisaia no Kajitsu; Hitsugi no Chaika: Avenging Battle; Inou-Battle wa Nichijou-kei no Naka deMushishi Zoku Shou 2; Ookami Shoujo to Kuro Ouji; Ore, Twintails ni Narimasu; Orenchi no Furo Jijou; Selector Spread Wixoss; Sora no MethodYuuki Yuuna wa Yuusha de Aru.
* total de animes elegíveis: setenta e seis.

Agora é chegado o momento...

A escalada dos piores...

Ore, Twintails ni Narimasu.
Pode soar injusto, abstrato ou no mínimo ingrato. Mesmo que se trate de uma opinião própria, baseada no que já foi descrito mais acima, é comum uma pessoa fazer sua seleção sobre aquilo que indicaria, o que não indicaria, o que acabou julgando como melhor e também o que acabou definindo como pior.

A ideia deste post, entretanto, está baseada justamente sobre aquilo que se pode determinar como o pior do ano. Na verdade, você verá aqui não necessariamente apenas aquilo que foi ruim, mas também algumas menções de obras que tiveram uma expectativa inicial lançada e que, de certa forma, acabaram não correspondendo.

Para tanto, o trabalho terá início com alguns destaques à parte, que lhe serão citados mais abaixo. Atente que se tratam de indicações baseadas de acordo com o que foi assistido ao longo deste ano. Desta forma, você poderá se sentir à vontade para questionar ou concordar à respeito do que será lido à partir de agora. Se quiseres deixar suas próprias menções sobre, serão bem-vindas na totalidade.

Pior animação: Fuun Ishin Dai-Shogun

Dai-Shogun.
O anime foi transmitido na temporada de abril. Sua estória contava as desventuras de um jovem que pertencia a uma importante família sem disto saber e que, de acordo com as tradições vigentes em tal universo, ele teria de manter sua virgindade para poder controlar um poderoso mecha, com o qual traria a ordem para o Japão que estava afundado em uma grave crise de ordem política.

Dai-Shogun tinha, assim, uma premissa das mais estranhas, inusitadas e de fazer com que qualquer pessoa ficasse boquiaberta. Foi o caso deste humilde blogueiro, que acompanhou a obra do início ao fim e que após tal jornada pôde concluir um ponto com grande e irrefutável pesar. Este anime teve, inapelavelmente, a pior animação de 2014.

Nem sequer existiu uma ponta de sutileza para se esconder os defeitos da obra. Na verdade, tudo nele soou proposital ao extremo. Cada quadro de animação se mostrou mais estático que o outro. As lutas, que se fizeram presentes na obra, foram castigadas por este mal trato que a mesma recebeu. Interessante notar que, mesmo quando os personagens abriam a boca para falar, a falta de movimentação se fazia presente com amplitude. Com exceção do último episódio, que apresentou uma boa luta e alguma animação durante quatro ou cinco minutos de tal capítulo, o restante do anime acabou fazendo valer esta triste nomeação.

Pior personagem: Matsutarou, de Abarenbou Kishi! Matsutarou

Matsutarou.
Em si, o anime esteve longe de ser ruim. A estória por detrás de Abarenbou Kishi! Matsutarou este com a vida de seu protagonista, Matsutarou, sendo ele um homem que não possuía muitos escrúpulos para serem conotados. Seu dia-a-dia se baseava em ficar vagando pela cidade onde morava, sem trabalhar e ainda por cima indo na escola "estudar" (uma vez que ele mais ia para lá por estar apaixonado por sua professora).

Após uma certa ocorrência, na qual ele ficou conhecido por sua força, o Matsutarou acabou sendo convidado a treinar em uma academia de sumô situada em Tóquio. Para ele isto foi significativo, pois o homem poderia ficar mais próximo de sua amada que, após o ano letivo ter se encerrado, acabou voltando para o seu lar (ao lado da mãe). Desnecessário aqui enfatizar que este personagem arranjou muitas encrencas enquanto esteve em Tóquio, tanto com o pessoal com quem treinava como também com praticantes do sumô provenientes de outras academias.

Contudo, o Matsutarou acabou se mostrando como um personagem muito desagradável. Tratava mal os vizinhos, as pessoas da própria família (incluindo nisto a sua mãe), colegas do sumô e da escola, cidadãos pelas ruas e vadiava como ninguém. É bem verdade que ele não era malvado, mas todas as suas razões eram pautadas na lei da força, na qual seus músculos prevaleciam ante o cérebro. A primazia de pior personagem do ano acabou ficando com ele (e por pouca diferença), uma vez que certo ciclista de Yowamushi Pedal também tentou arriscar lhe tirar tal posto.

Pior final: Aldnoah Zero

Aldnoah Zero.
Para esta categoria houveram muitos animes que concorreram ao triste posto. Poderia ter sido Wizard Barristers Benmashi Cecil, talvez Inugami-san to Nekoyama-san, quem sabe até Hitsugi no Chaika: Avenging Battle arriscaria ter merecido esta menção. Porém, nem mesmo estes animes superaram o final de Aldnoah Zero, anime este da temporada de julho que tinha tudo, em absoluto, para se sair ainda melhor do que foi.

Contudo, o episódio final de tal obra foi apenas uma clara amostra de como o anime vinha prosseguindo, o chamado resultado obtido por todo o conjunto. Embora seja verdade que o leque de possibilidades para a continuidade do anime (em janeiro'2015) tenha se aberto de maneira vistosa, o que foi mostrado no último capítulo acabou sendo considerado como um insulto por muitas pessoas.

Tiro na cabeça de uma princesa, matar uma pessoa que já estava no caminho para o outro mundo e acabar com a existência de um dos generais marcianos, da maneira como tudo ocorreu, colocaram o Slaine em uma bela "saia justa" para o prosseguimento da obra. Isto ganha um plus altamente perigoso quando os últimos PVs e cartazes de Aldnoah Zero 2 mostraram que não apenas a princesa continua viva, como mais alguém promete surpreender à todos. Mais do que nunca, aguardar se tornou preciso.

Pior episódio: Wizard Barristers Benmashi Cecil #11

Wizard Barristers.
Esta menção poderia caber ao terceiro episódio de DRAMAtical Murder (cuja liberação foi muito apressada em todos os sentidos possíveis), mas teve um anime que conseguiu ser ainda pior em um único episódio. E este foi Wizard Barristers Benmashi Cecil, mais precisamente no penúltimo capítulo do anime em citação.

Indo direto ao ponto, este era um episódio dos mais importantes. Toda a trama da obra poderia ter uma concisão ali, mostrando algumas razões para os combates sobre aqueles que tinham dons especiais e que, além disto, despontaria agradavelmente para um capítulo final que poderia dar alguns bons números finais à obra. Entretanto, tudo isto acabou passando de uma triste ilusão.

Basta aqui citar que, além da ação desenfreada e confusa que se fez apresentar no décimo primeiro capítulo do anime, houveram os famosos dois minutos que entraram definitivamente na pior parte da história da animação japonesa. Impossível não recordar daquele quadro estático, no qual o grande vilão e a Cecil conversavam ao longe, e que nada se movimentava. Céu, personagens, nem mesmo os lábios deles se moviam. Parecia que o computador tinha sido afetado por um erro de codecs ou que o Crunchyroll estava com algum problema de ordem técnica no streaming de tal episódio, mas na verdade era tudo proposital do anime em si. Esta menção jamais será esquecida.

Expectativas não correspondidas: YamiShibai 2

YamiShibai 2.
Esta é a menção que, dentre as outras citadas, poderá parecer como a amais injusta. Em primeiro lugar, porque foi mandada a primazia para um anime de curta duração. E depois houveram várias outras opções que poderiam ser aqui mencionadas, sendo este o caso do próprio Aldnoah Zero, de Wizard Barristers Benmashi Cecil ou até de Glasslip. Mas a citação acabou ficando para YamiShibai 2.

Em sua temporada antecessora, o anime em pauta conseguiu realmente chamar muito a atenção. Contar em poucos minutos alguns dos diversos temas do folclore japonês não soava como uma tarefa muito fácil, mas o anime nem havia se contentado em conseguir exercer bem tal tarefa como acabou tendo uma continuidade para, assim, tentar explorar ainda mais esta faceta terrorífica do arquipélago nipônico.

Porém, YamiShibai 2 não deu medo (para este humilde blogueiro) em nenhum dos seus episódios. Nem assustou ao menos. Não fez pensar, nem cogitou o mínimo do raciocínio sobre aquilo que se via na tela. Ficou aquém demais daquilo que sua temporada anterior havia mostrado. Infelizmente, o anime pouco acabou somando na experiência da área em 2014 e acabou ficando com esta triste menção.

O (top) bottom'5 de 2014...

5º lugar - Fuun Ishin Dai-Shogun


4º lugar - Wizard Barristers Benmashi Cecil


3º lugar - Saikin, Imouto no Yousu ga Chotto Okashiinda ga


2º lugar - Ore, Twintails ni Narimasu


1º lugar - Pupa


Esta listagem consegue realmente atribuir certas propriedades para si. Tem-se um anime curto como o pior do ano e digno o bastante para tal posto, sendo este Pupa. Depois (e bem de perto) tem-se a obra do rapaz que se transforma em mahou shoujo para salvar o mundo dos aliens, que desceram à Terra para roubar o poder proveniente das garotas que usam penteados do tipo "maria-chiquinha". Se a tangente fosse unicamente o enredo, então Saikin teria o posto de pior do ano com irrefutável categoria (graças à sua temática estranha por detrás do voto de castidade), mas acabou se salvando disto por ter apresentado um visual realmente decente e digno. A pobre Cecil nem teve muito o que contestar, pois o anime do qual ela participou acabou realmente não se ajudando, e isto sem considerar o horripilante décimo primeiro episódio (que já foi bem trabalhado mais acima). Por fim, o quinto lugar acabou nas mãos da "melhor animação estática do ano", promovida por ninguém menos do que Dai-Shogun e sua trupe.

Reveja os destaques anuais do NETOIN!
2010  /  2011  /  2012  /  2013

Nobre visitante, assim terminou a primeira parte de duas sobre 
os destaques de 2014 na animação japonesa.
Aguardem pois no primeiro dia de 2015 você verá o post
que encerra este especial, desta vez com as citações positivas!

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]


Conheça o autor do NETOIN!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

[N! Drops] Dez'2014 #84: uma vila cordial...

O logo de uma grande obra.
Caligrafia e algo mais...

Barakamon é um slice-of-life que possui as suas diferenciações dos demais, por mais que em alguns momentos ele lembre outras obras do gênero (como o aclamado Usagi Drop, de 2011). Acompanhar as desventuras do jovem Handa Seishuu, praticamente "exilado" em uma ilha interiorana do Japão, é uma experiência das mais gratificantes sob as mais diversas óticas. Após o fiasco no último concurso de caligrafia que ele participara em Tóquio, ter conhecido a pequena e alegre Kotoishi Naru em tão distante lugar tem lhe acalmado aos poucos e proporcionando, harmoniosamente, momentos únicos.

Entretanto, logo no primeiro episódio houve uma marca registrada deixada com grande categoria pelo anime. Em seus momentos finais, o capítulo mostrou um Handa mais sociável com a Naru, mesmo não entendendo muito bem o modo extrovertido e estabanado dela de se comportar. Após ter acompanhado um belo (e inesperado) pôr do Sol com ela, o rapaz teve a maior de surpresas ainda a sua espera, no caminho para sua casa.

Os residentes da pacata vila, pouco à pouco, foram se aproximando de tal residência e cumprimentavam, amigavelmente, o recém chegado naquele lugar. Obviamente, o Handa nada entendia a razão de tamanha gentileza protagonizada pelos locais, mas o pessoal da vila cuidou de mostrar para ele que, muito além da novidade por alguém ter se mudado para lá, estava a satisfação em receber e acolher da melhor maneira possível o novo residente.

Esta passagem, tão curta e singela, deixou muito emocionado este humilde blogueiro. Foi o momento no qual certos personagens foram apresentados (como o vice-diretor da escola local e a pequenina Kubota Hina) em meio a uma união de forças. Todos foram desempacotar os pertences do Harada, ajudá-lo a arrumar casa para, somente após tudo ter terminado, dele despedir e desejar boas-vindas à vila. Minha pessoa, tanto quanto o protagonista em questão, também iria achar estranha tamanha sensibilidade e educação daquele povo, mas é possível aqui conceituar sobre quanto o pai do Harada estava certo em mandá-lo para tal distante lugar.

Isto é Barakamon...

Momentos...


"Um belo pôr do Sol..."


"Quando uma desconhecida cumprimenta o surpreso rapaz..."


"O pessoal começa a se reunir..."


"Quando a pequena Naru apresenta sua grande amiga, Hina..."


"Quando o Handa falha em tentar entender a Hina..."


"O espírito de coletividade..."


"Na escrita tradicional: 'diversão'..."

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]


Conheça o autor do NETOIN!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

domingo, 28 de dezembro de 2014

Sora no Method - Episódio #13 (Final): o começo a partir do céu...

A tenra e inocente alegria...
E a Noel deu o aseu adeus...

Quando se fez publicar a análise do décimo segundo episódio de Sora no Method, na semana passada, a menção mais cruel era baseada em uma dúvida. Estava o questionamento totalmente ligado sobre como se daria o desenvolvimento do capítulo final, aquele que teria a responsabilidade de dar números finais para a obra e determinar, de maneira crível, se uma recomendação seria válida ou não sobre tal.

É com imensa alegria que este humilde blogueiro pode ressaltar, com um sorriso de um canto ao outro da face, que Sora no Method entregou um ótimo e digno episódio final. Obviamente ficaram alguns gostos amargos na boca, não houve a perfeição, mas ao se observar aquilo que a obra vinha trazendo, ao longo de treze semanas, então a avaliação acabou sendo muito mais positiva do que os temores anteriores faziam crer cogitar. E ela, a enigmática Noel, acabou sendo a responsável direta por mais da metade dos sorrisos que este anime conseguiu deixar na face de seu público.

Em si, o episódio final do anime prosseguiu com a resposta da pergunta tão aclamada pela Nonoka, ao longo de todo o capítulo anterior. A jovem se sentiu muito mais liberta e menos apreensiva, à partir do momento no qual a sua amiga Shione reapareceu naquele antigo observatório, dizendo lembrar-se da Noel e que gostaria de ver a garota na sua frente agir de uma maneira mais pró-ativa, pois esta é lembrança que a mesma deixara na mente da moça que, desta vez, não ostentava seus fones de ouvido nos ouvidos como outrora.

Esse cabelo...
Com termos mais diretos, a Shione e a Nonoka foram as únicas pessoas que sentiram falta da Noel (mesmo com o loop temporal para o passado de poucos meses após a volta da segunda garota citada), pois a ligação delas com a simpática baixinha de cabelos azuis foi muito mais intensa e vívida do que com os outros integrantes do elenco. Isto pode ser tanto colocado como um trunfo para o anime como também uma maneira "fácil demais" que a obra teve como levar (e explanar) o seu enredo na reta final. Independente disto, o capítulo buscou apenas levar adiante o laço de amizade entre as jovens Shione e Nonoka, além de mostrar que os demais possuíam um tipo de "vazio" em suas mentes que necessitava ser preenchido.

Yuzuki, Kohaku e Souta fizeram o que estava ao alcance deles para tentarem se lembrar de alguém que eles jamais haviam visto (importante lembrar que o anime deu um salto para o passado, no exato ponto em que a Nonoka voltava para aquela pequena cidade). Porém, algumas falas podem fazer com que este ideal soe insólito ou no mínimo estranho (exemplificando: em certo ponto do episódio, a Yuzuki mostra sua placa de "seja bem-vindo disco" ao Souta, e este responde à ela que gostava mais da placa "vai embora disco"). No mais, este episódio final se fez carregar de muita emoção e por uma busca à lembrança deixada por uma certa garotinha que, em meio a um belo campo de girassóis, conseguiu esbanjar alegria e felicidade na sua mais inocente forma possível.

Assim terminou Sora no Method, com um gosto de que poderia ter sido sim melhor desenvolvido, mas que mesmo com tal fato se mostrou digno de elogios. Conseguiu envolver, encantar e proporcionar bons momentos, em meio às chamadas sobre confiança, amizade e de um resgate às lembranças mais tenras. A obra não deixou uma marca tão expressiva na temporada outubro'2014, mas soube envolver com humildade o coração deste blogueiro.

E um viva para a amizade.

Trívia em Sora no Method #13


Sorriso - a Shione está vivendo em outra cidade. Em visita aos seus amigos, resolveu aceitar o convite da Nonoka para pousar na casa dela enquanto estiver por lá, de férias. E esta cena mostra o momento no qual o pai da segunda jovem citada dá o veredicto positivo para ela, dizendo que sua amiga poderá se hospedar naquela casa...

Momentos...


Ajuda - a Shione esteve longe de ser aquela garota que mostrou-se rancorosa (e um tanto quanto antipática) nos primeiros episódios do anime...


Desespero - o Souta tinha certeza que nunca havia conhecido a Noel antes, mas igual aos outros também sentia um grande vazio na mente para ser preenchido...


Chamada - a Shione buscou tranquilizar a Yuzuki em dado momento da conversa, pois ela estava extremamente chateada por não se lembrar da Noel...


Promessa - relembrando o evento de sete anos atrás, os cinco amigos chamaram pelo disco uma vez mais, no já abandonado observatório...


Girassóis - esta imagem contempla o momento do anime pós-promessa no observatório. A beleza visual encanta em todos os sentidos possíveis...


Busca - pode parecer apenas uma briga entre irmãos, mas na verdade a Yuzuki e o Souta buscavam, no álbum de fotografias, alguma pista que pudesse lhes ajudar sobre a Noel...


Voz #1 - a Shione sentiu-se incomodada...


Voz #2 - a Yuzuki sentiu-se surpresa...


Voz #3 - o Souta buscou orientação...


Voz #4 - a Kohaku ficou assustada...


Noel - sua alegria, carisma e extrema bondade jamais serão esquecidas...

Sora no Method - episódio #13 (final)
avaliação: 8.2/10.0

Considerações finais sobre Sora no Method



Imagens dos créditos finais do episódio. Uma explosão de fofura.

Sora no Method trouxe, em sua bagagem, um enredo que misturou de uma maneira no mínimo harmoniosa questões sobre a amizade e o envolvimento humano como um todo. Na figura da personagem Noel, carismática em níveis astronômicos e simples no seu enfoque, a obra em questão apoiou-se e teve um alicerce digno de atenção para explorar cada momento, diálogo e ação por parte do quinteto de amigos.

Para resumir um pouco toda a estória, a promessa feita no passado inicialmente não tinha sido esquecida por ninguém, mas a mudança abrupta da Nonoka para Tóquio entristeceu à todos, especialmente a Shione. Com o retorno de tal, sete anos após, buscou-se uma reaproximação com base naquele evento realizado no observatório. Enquanto a Yuzuki e a Kohaku tiveram uma boa receptividade, o Souta ficou claramente neutro e a Shione mostrou toda sua fúria e desconforto, taxando a Nonoka de mentirosa mesquinha e, sobretudo, aproveitadora dos demais.

A figura da Noel teve papel singular durante todo o anime. Ela buscou unir o grupo de amigos uma vez mais, e sempre ficava extremamente triste quando as suas boas ações não tinham o resultado esperado, o que acabou ocorrendo na maioria dos casos. E na proximidade dos momentos finais, Sora no Method buscou enaltecer tudo aquilo que a Noel havia feito em prol da amizade do grupo, sem esquecer de algumas características do quinteto principal de personagens. O resultado final, como mensurado mais acima no post, deixou claro que o anime ainda pecou em pontos que não devia, mas que o trabalho apresentado ainda conseguiu ser digno de elogios.

A responsabilidade pela animação de Sora no Method esteve à cargo do Estúdio 3Hz, que acabou realizando um trabalho bem competente. O visual da obra é extremamente belo, o desenho dos personagens é bem honesto e expressivo e os detalhes da ambientação agradam bastante. Acusticamente, este anime teve um trabalho tão digno quanto o seu visual, com melodias que souberam proporcionar emoção na medida certa (em especial os temas de abertura e de encerramento).

Possivelmente, o ponto fraco do anime ficou por conta de seu próprio enredo, que poderia ter sido melhor trabalhado. Além disto, mesmo com o final consumado é bem notório que algumas dúvidas ficaram sem resposta para algumas pessoas, em especial sobre o retorno no tempo em si. Por sorte, este fato possuiu seus momentos de contorno, o que tanto é digno de elogios à equipe responsável pela obra em si como também de chamada de atenção para a causa aos mesmos.

Sora no Method
temporada outubro'2014 - 13 episódios
estúdio: 3Hz - produção: Bandai Visual Lantis

avaliação final: sete pontos de dez possíveis

Este anime recebe a indicação positiva do NETOIN! para você, nobre visitante!


"Amigos para todo o sempre!"

Até breve, Noel!
Nobre visitante, minha pessoa e o NETOIN! lhe agradecem por ter acompanhado
mais esta aventura semanal, desta vez com Sora no Method.

Para a temporada de janeiro'2015, nenhum anime terá posts semanais objetivos.
Mas a seção [N! Drops] se encarregará de lhe deixar à par de todas as impressões
que os novos animes, somados aqueles que ainda continuarão, deixarão neste espaço.

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]


Conheça o autor do NETOIN!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - Netoin! 2006-2017
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons