[Guest Post] Saikano e a última canção de amor deste pequeno planeta... ~ Netoin!

sábado, 4 de abril de 2015

[Guest Post] Saikano e a última canção de amor deste pequeno planeta...

A chamada da vez.
Um guest post especial...

De tempos em tempos, o NETOIN! convida uma pessoa em especial, podendo ser um visitante deste espaço ou um blogueiro na área, para tecer suas opiniões e palavras sobre uma situação ou obra em específico. E por vezes, grandes pessoas tiveram a oportunidade de aqui apresentarem as suas linhas de raciocínio sobre os mais diversos temas acerca da animação e cultura japonesa.

Na presente oportunidade, um jovem amigo acabou sendo o convidado para trazer aqui, neste blog, o modo como ele vê e pensa sobre a obra de nome Saikano, cuja review do anime já foi aqui publicada em anterior oportunidade. E a pessoa da vez é o nobre Ian, sendo ele integrante do blog e projeto parceiro Shoujismo.

Além disto, é a primeira vez que ele posta um texto próprio na internet, em via de blogs ou sites. A responsabilidade, em si, é imensa. Mas vale imensamente o conteúdo por ele produzido e que, á partir deste momento, é compartilhado com você, nobre visitante.

Tenha uma boa leitura.

Saikano em mangá (divulgação).
Prefácio do autor deste guest post...

Quando me foi pedido para fazer esse post, fiquei bem receoso. 
Embora seja uma obra que amo com todas as minhas forças, é algo que me 
coloca em momentos bem reflexivos. Não prometo ser direto. Devaneios devem 
aparecer no meio deste post, já aviso. Mas tentarei falar de forma clara e 
concisa dessa obra que tanto aprecio.

Saishuu Heiki, KanojoSaikano
~  The Last Love Song on This Little Planet   ~

Chise, a protagonista de Saikano.
A história de Saikano gira em torno de Chise e Shuji, dois estudantes do Ensino Médio que começam a namorar após a declaração da menina. A dupla teria uma vida normal, se não fosse pelo fato de o mundo estar vivendo uma Terceira Guerra Mundial. Um dia, enquanto fazia compras com seus amigos em Sapporo, um bombardeio se inicia. Em meio aos escombros Shuji vê Chise, mas ela estava diferente. A menina ostentava asas feitas de lâminas e o seu braço havia se tornado uma arma de fogo. Ela havia sido modificada em laboratório e se tornara a arma suprema. A salvação do Japão na guerra que se instalava no mundo.

Vou começar falando duas coisas, e a primeira é que Saikano não tem um final feliz. Se está procurando pelo contrário, essa não é a obra certa para você. A segunda coisa é que existe algo nesta obra que me causa angústia (e que nunca conseguirei engolir), sendo o fato do exército japonês ter escolhido uma menina de 17 anos para ser a arma suprema. Não só isso, pois é dito pela própria Chise que ela é pequena, lenta, desastrada, não tira notas boas na escola, exceto em História. Ela adora essa matéria e tem facilidade em lembrar-se de datas importantes. Não importe o ângulo com o qual se olha para a situação, ela simplesmente não é certa. Não é como em Capitão América, por exemplo. Ele desejava poder para lutar e foi escolhido para o posto. Chise é apenas uma pequena garota desastrada.

Sempre fico com os olhos marejados ao pensar que se ela não tivesse sido escolhida, as coisas teriam sido tão mais fáceis. Por mais que ela e Shuji tentem esconder um do outro, o fato dela ser o que é assusta os dois, e assusta muito. Isso se alia a algo que mais acho fascinante na obra pois o autor, Shin Takahashi, consegue mostrar as dificuldades da adolescência e do primeiro amor e ao mesmo tempo mostrar as tristezas e tragédias da guerra, adicionando ainda o fator sci-fi, que seria uma menina modificada para se tornar uma arma mortal.

Saikano em mangá (divulgação).
O autor consegue, com maestria, mostrar todas as incertezas e dúvidas de um adolescente e ainda adicionar o fator agravante da guerra. Os dilemas pessoais que cada uma das personagens tem entram nisto. A vontade de fazer algo, de ser útil nesses momentos difíceis e ao mesmo tempo mostrar a necessidade de se estar com a pessoa amada, não só emocionalmente, mas fisicamente também. Takahashi consegue encaixar momentos de descontração dentro de uma obra que possui um plano de fundo tão sério.

Conversando com algumas pessoas, percebi que elas partilhavam de uma mesma opinião, pois nenhuma delas gostava do Shuji (o achavam egoísta). Por muitas vezes eu tinha a tendência para concordar, mas aí me lembro de que a obra é protagonizada por adolescentes. Pseudo-adultos com os hormônios à flor da pele e que vivem em uma situação que nem mesmo adultos sabem como lidar. Um agravante para o menino é o peso que ele carrega nos ombros devido ao fato de sua namorada, Chise, ser a arma suprema, de ela carregar tantas mortes e destruição nas costas. Isso assusta o garoto, e muito. E isso é um dos fatores que o faz correr atrás de seu primeiro amor. O próprio menino diz que, ao voltar para aquela época, ele se sentia leve novamente. Por um segundo, revendo seu primeiro amor, ele se esqueceu de Chise e de toda a “bagagem” que vinha com a situação de seu relacionamento.



Saikano em mangá (divulgação).

Vale ressaltar que a mulher não vê no Shuji apenas um amor de infância, mas também enxerga nele a imagem de seu futuro marido, já que ela e o menino são semelhantes não só na aparência física, mas no comportamento também. A Chise também lidava com seus próprios demônios e dilemas internos. Cada vez mais ela se preocupava com o que era verdadeiramente humano nela e o que era uma maquina. Ela sempre dizia “eu estou crescendo”, mas ao longo do tempo, o sentindo dessa frase foi se modificando. Depois de um tempo, deixou de se tratar de algo interno, de algo metafórico e começou a ser usado para falar de seu lado máquina. Ela constantemente se agarra a coisas que a fazem humana, principalmente o amor que sente por Shuji. Isso, pra ela, é a maior prova de que ainda é humana.

Chise é uma menina fraca, pequena, desastrada. Ela não possui a habilidade de controlar seus próprios poderes e isso a leva a ter “apagões” nos momentos em que precisa lutar pelo seu país. Por causa disso não consegue controlar os danos que causa. Muitas vezes a menina dizima cidades inteiras com apenas um golpe e não consegue mais diferenciar amigos de inimigos. Tudo simplesmente deixa de existir. Isso acabou fazendo como que ela fosse chamada de "anjo da morte", tanto pelos inimigos quanto pelos próprios oficiais japoneses.

Saikano em mangá (divulgação).

Outro sentimento forte em Chise é a solidão. Tudo piora no momento em que se afasta de Shuji. Isso faz com que a menina procure conforto nos braços de um tenente do exército, a quem se entrega emocionalmente, mas não fisicamente. Chise vê Suji no homem. Não há somente uma semelhança física como comportamental também. O irônico de tudo é que esse mesmo oficial é marido da mulher na qual Shuji procurou conforto. Não só isso, eles conheceram Shuji quando o menino estava no ensino fundamental, o oficial foi senpai do Shuji no clube de corrida. (tal relacionamento não é mostrado no anime, apenas no mangá). O tenente vê em Chise sua mulher no inicio do relacionamento uma vez que ela é tão insegura, solitária e triste. Isso faz com que ele queira proteger a menina.

Outra personagem que vale a pena ser mencionada é a amiga de infância de Shuji. Mesmo nutrindo um amor por ele, ajuda Chise a se declarar e sempre está lá para ajudar o relacionamento dos dois. Ela é de suma importância para o amadurecimento do protagonista, fazendo com que ele se esqueça dos medos e receios e vá atrás de uma vida feliz ao lado da mulher que ama.

Saikano em mangá (divulgação).
Saikano é uma obra que nos mostra como os sentimentos, principalmente o amor, é o propulsor para todas as atitudes humanas. A própria guerra é deixada em segundo plano, porque o foco ali é o amor. É o amor, é aquela paixão arrebatadora que você sente na adolescência. É o descobrimento dos desejos físicos, que são apenas mais uma forma de conseguir expressar, mesmo que minimamente, o quanto você ama aquela pessoa. Saikano é movido puramente pelos sentimentos das personagens. E esses sentimentos são mostrados de forma tão genuína, tão verossímil. Você se coloca na mesma situação das personagens e pensa “poxa, eu provavelmente teria feito o mesmo”.

Todos ali são adolescentes. Estão todos crescendo em meio a tropeços e acertos. São crianças normais que, mesmo vivendo na dura realidade da guerra, não se esquecem das trivialidades dessa época da vida. Eles pensam em coisas como sexo, se chateiam quando a circulação de programas de televisão e de quadrinhos é interrompida e eu acredito que isso é uma peça chave para o desenvolvimento dessa obra ser tão bacana. Ele mostra para os leitores pessoas semelhantes a eles, alguém com quem se identificar.

Acho que depois de tudo isso está óbvio que eu recomendo firmemente Saikano para você. Mas é sempre bom ressaltar que esta obra tem um pouco de tudo, então algo aí vai lhe agradar com certeza.

Comparação: Anime x Mangá

Saikano em mangá (divulgação).
Ao longo da minha leitura e dos paralelos que tracei com o anime, ficou claro que o anime é algo bem mais dramatizado. Foram criados relacionamentos e personagens para aumentar a carga dramática da obra (que por si só já é bem pesada), enquanto outros relacionamentos foram ocultados. Não que isso tenha afetado o desenvolvimento, que continuou muito bom.

Outro ponto importante é a narrativa. No mangá ela é bem lenta, chegando a ter de três a quatro capítulos apenas focando no dia a dia de Chise e Shuji (normalmente no período letivo). No anime, cenas mais paradas como essa são deixadas de lado e o espaço é dado para as cenas com maior ação ou maior carga dramática. Até mesmo os traços do anime foram feitos de forma semelhante ao do mangá, o que é um ponto extremamente positivo, já que, eu acho o character design da obra maravilhoso.

A adaptação foi bem fiel à obra original, mesmo essas pequenas alterações não tiram o mérito do estúdio Gonzo pelo produto final que nos foi apresentado.

Chise...
Agradeço ao Carlírio pela oportunidade.
E espero que você tenha gostado deste texto!

Este humilde blogueiro agradece ao nobre Ian por
ter aceito o convite e ter trazido tão precioso material ao blog.

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]


Conheça o convidado do NETOIN!, Ian Soares...
Ian Soares
Nas palavras do grande Ian Soares, o amor e o drama é que fazem o mundo girar... E o blog Shoujismo é o seu lar...

  • 2Blogger
  • Disqus

2 Comentários

  1. Ótimo texto. Eu gostei muito do anime, uma coisa que eu gostaria que tivesse sido mais explorada era a família da Chise que quase não foi mostrada, queria ver como eles lhe davam com os sumiços repentino da filha, ou se desconfiavam que tinha algo errado com ela. Para mim a cena mais impactante do anime foi a declaração da amiga de infancia do Shuji em seu leito de morte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações


      Agradecido pelas suas palavras sobre o texto feito pelo Ian, nobre. E também por suas opiniões acerca do anime Saikano, as quais achei bem pontuais.


      Até mais!

      Excluir

Dê a sua opinião sobre este texto do NETOIN!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as ideias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!

comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - Netoin! 2006-2017
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons