01/07/16 - 01/08/16 ~ Netoin!

domingo, 31 de julho de 2016

[Netotin Up!] Netotin e o medo de peitorais cabeludos...

A aterrorizante capa da vez.
Impensável...

O mascote Netotin, aqui presente, está pensativo demais. Sim, humano que me lê neste momento. Tudo isso porque, após ter visto um certo episódio de tal anime por aí, o mascote aqui ficou incrédulo, em silêncio profundo, meditando em minha cadeira preferida com uma bonita almofada em formato de marshmallow.

Na verdade, nem mesmo os doces e maravilhosos marshmallows podem animar Netotin neste momento. Isto é, o mascote está ainda processando na pequena e inocente mente o quarto episódio de Binan Koukou Chukyuu Bouei-bu Love! Love!. Não foi ruim, por favor [~humhum!]. Mas aquilo que serviu de motivação para o rapaz estudante da vez (que falava em japonês com sotaque italiano) foi tão cruel, desleal e desumano que eu, Netotin, acabei ficando com os meus pequenos olhos ainda mais pequenos, por não acreditar naquilo que estava sendo visto [~humhum!].

Se você, por acaso, gosta de ver peitos cabeludos em sua tela, saiba que este episódio deu um novo (e preocupante) significado para isto. Netotin está agora agarrado em almofadas no formato de marshmallows, no canto do quarto, após ter escrito este post especial para você ler, analisar e tentar fugir dos males deste mundo humano cruel [~humhum!].

O mascote está com medo, mas vais e recuperar. Melhor, o mascote aqui precisa se recuperar, pois uma grande missão me será passada pelo dono dentro em breve [~humhum!]. Mas, por agora, veja este post e sinta o medo que Netotin sentiu neste episódio dos garotos mágicos, que lutam pelo amor e pela paz no mundo (ou na sua escola, o que vier primeiro).

~netin!

Observações de um mascote angustiado...



"O professor morto no banho e o rapaz oferecendo seu lanche aos vilões. Normal..."


"Esse rapaz acha que seu irmão gêmeo não tem porque odiá-lo... [~humhum!]"



"Já esse é o rapaz que odeia seu irmão gêmeo por algo muito sério... [~humhum!]"



"Aquele que odeia o irmãos e transforma em um monstro... Peludo..."


"Esse monstro se movimenta em CG e... Seus olhos... São mamilos..."


"Esse monstro é... Muito... Monstruoso!" 



"O motivo da fúria apareceu e... Bem, parece ser um motivo sério mesmo..."


"No final, os gêmeos se entenderam... Mas, este peitoral é medonho! [~humhum!]"


"Mas, no universo dos animes, parece que existem peitorais peludos ainda piores..."

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]


Conheça o mascote do NETOIN!, visitante...
Netotin
Netotin, amante fervoroso de marshmallows. Um onigiri com um simpático rabo de raposa. Às vezes usa bonés. Não tem boca mas sabe falar. Criado em 2 de outubro de 2011, querendo divertir à todos em sua volta... ~netin!

sábado, 30 de julho de 2016

[Especial] Dois mil capítulos de histórias e satisfação...

Uma capa toda especial...
Um momento sublime...

Nunca se imaginava, no já distante 22 de dezembro de 2006, que esta casa na internet atingiria um numeral tão alto de publicações. Tudo que havia começado apenas como um tipo de passatempo (e que é mantido assim de certa forma), ganha neste momento linhas um pouco mais sérias, robustas e com um direcionamento concreto, mas nem por isto menos felizes, chamativas e altamente prazerosas.

Relembrando um fato representativo (em 9 de maio de 2013)

O link exposto mais acima dá uma clara ideia do que ocorreu, há três anos e dois meses atrás. Na ocasião, a festa já tinha sido alta, majestosa e com requintes de felicidade nos quais este humilde blogueiro acabou esbravejando, neste espaço, a sua alegria para/com todos os interessados. Até porque, a chegada ao milésimo post já tinha feito o seu papel histórico, quase único, servindo como um tipo de linha de chegada para um período ao mesmo tempo que era a partida para novas páginas históricas serem criadas.

O Netotin sabe falar bem. Até um tanto demais.
Para agora, o NETOIN! possui algo novo à comemorar. Tem algo com os posts aqui publicados, em quase dez anos de história. Nobre visitante, este humilde lar na internet acabou de chegar, oficialmente, ao seu post de número dois mil. Em um ano no qual este blog completará uma década no ar, este fato acaba sendo tão importante e alegre quanto a simples premissa do mesmo faz assim sugerir.

Seria mentira aqui mensurar que todos os dois mil textos aqui presentes sejam frutos unicamente de minha pessoa. Não é correto isto afirmar, soa indigno e com resquícios de baixa ética pessoal. A verdade vai muito além, é mais reconfortante e majestosa. Até porque, nas mais diversas ocasiões, muitos posts foram feitos por convidados especiais, sempre escolhidos com carinho e respaldo (ou até mesmo que sugerissem algo aqui publicar, por vontade própria), fosse para opinar sobre um acontecimento ou obra em específico, ou então para participar de algum evento especial (por exemplo, nas comemorações anuais do blog quanto ao aniversário do mesmo).

Além disto tudo, nestes quase dez anos de caminhada, o NETOIN! já participou de inúmeras campanhas promovidas por diversos integrantes da blogosfera (embora ainda o faça), o que facilmente auxiliou muito neste montante de posts aqui sendo felicitado. E neste trabalho de longa data, diversas ramificações de textos se fizeram aqui presentes, indo desde a cobertura de eventos, passando pelas reviews de animes, marcando presença em podcasts, chegando às notícias e informações de importância, passando por posts de cunho mais opinativo, até aterrizar nas análises de diversos títulos e suas mais diferenciadas mídias possíveis.

Mesmo com um visual abstrato, o Netotin trabalha muito.
Diante disto tudo, o ano de 2016 já havia iniciado com ganas de ser muito especial para este humilde lar na internet. Isto se apresenta como bem verídico, uma vez que em outubro o mascote Netotin completará cinco anos de vida e que, em dezembro, haverá a festa maior com os dez anos do NETOIN!. Mas, neste momento, a chegada aos dois mil posts é digna o bastante de grandes festividades e, igualmente, de muito raciocínio e pensamento. Isto porque o futuro está sempre incerto, provações apareceram e costumam tentar algo atrapalhar e/ou provocar, dentre outras circunstâncias pertinentes à vida deste humilde blogueiro.

Porém, uma sentença é correta e faz todo sentido. A chegada a tal significativo número de textos deve-se, claro, à você. Sim, pois na medida em que este blog é visualizado, seus posts comentados e também repassados a quem possa interessar é, disparadamente, algo que enche a minha pessoa de muita alegria e profundo orgulho.

Desta maneira, encerra-se este post especial. Com o agradecimento à você que aqui vem visitar, a cada um dos blogs/sites parceiros desta casa e, sobretudo, com aquele sentimento de que o dever está sendo cumprido. Continue confiando no NETOIN!, nobre visitante, até quando você julgar este humilde blog digno disto.

Muito obrigado!


NETOIN!
"Um jeito diferente de apreciar a cultura japonesa"

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]


Conheça o autor do NETOIN!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

quinta-feira, 28 de julho de 2016

[Semanal] Planetarian #4: embriagado com álcool...

A capa.
Momento de cautela...

Nobre visitante, Planetarian está se aproximando do seu final, obedecendo assim a previsão de cinco episódios para esta obra em ONA. Uma vez que o trabalho no anime está seguindo à risca os eventos da novel, tal informe acaba sendo muito mais feliz do que triste. Se o terceiro capítulo já havia mostrado uma grandiosa contagem de sensibilidade na apresentação da pequena robô Yumemi no planetário, desta vez a aventura teve realmente um ponto de partida, que soou conciso mesmo sendo curto.

O quarto episódio do anime pode ser analisado linearmente, da mesma forma que algumas ramificações possam ser estabelecidas sem nenhum problema ou perda na compreensão do todo. A "Cidade Sarcófago" possui muitas áreas protegidas e, coincidentemente, uma delas é justamente onde o andarilho Junker encontrara a robô de cabelos azuis. Chegar até o planetário já havia exigido muito do humano, estando sozinho. Procure imaginar agora que ele, de alguma forma, aceitara a Yumemi em sua jornada que tinha um objetivo, tendo o mesmo sido mudado radicalmente após um grande perigo ter sido avistado.

A água se nega a parar de cair do céu, sempre nublado e dono de uma aparência triste. Aliás, este é o sentimento que recai ao se observar o cenário por onde andam os dois personagens deste anime. Tudo está "morto". Existem sinais de saqueamento, ao mesmo em que grandes lutas devem ter ali ocorrido. Quase trinta anos desde que a cidade foi abandonada (após a explosão de uma bomba biológica) deixaram sequelas que durarão para sempre. Aquilo é uma fração de como deve estar, provavelmente, toda a Terra. Diante de tal ambientação, é impensável que exista alguém com pensamentos positivos.

A "Chuva", persistente, em meio a um cenário desolador e muito triste.

A afirmativa que encerrou o parágrafo acima é enganosa, quase leviana. Até porque, a Yumemi guarda dentro de si apenas a bondade latente, fruto de lembranças maravilhosas com os humanos que a criaram e outros tantos que viram suas apresentações, ao lado da máquina Jena, no planetário. Os bons fluídos da simpática robô são tão inocentes e poderosos que até mesmo o humano Junker, que nasceu com o mundo começando a se desmantelar, acabou curvando-se a sua simplicidade e graciosidade. Indo contra ao que pleiteia o nome do episódio em pauta, isto não foi fruto da bebida que ele encontrara ao acaso, mas sim depois de muito refletir sobre como a vida dele mudou após conhecer a pequena Yumemi.

O sentimento de guarda e zelo dominara o rapaz. Seu anseio em se salvar e levar a Yumemi consigo é forte o bastante, ao nível de fazê-lo encarar a principal ameaça que guarda a saída da área protegida onde eles estão. Aliás, tudo isto intensificou-se após a pequena robô ter lhe dito o seu grande sonho, que ela direcionaria ao Deus dos Robôs. Gostar ou não da chuva tornou-se um escopo de descontração, mas bem fundamentado. O episódio ficou repleto de um sentimentalismo puro e real.

Por mais que o capítulo em pauta não tenha impactado igual ao seu antecessor, ainda assim soube ser grandioso. Não foi dinâmico, mas cumpriu na totalidade o seu objetivo. A Yumemi e o Junker se aproximam, verdadeiramente, do momento final de Planetarian. Se o enredo da novel continuar a ser trabalhado como tem se seguido até o momento, torna-se muito provável que as lágrimas dominarão esta humilde casa na internet muito em breve.

E não faltará emoção...

Momentos...
Planetarian se aproxima do seu final...


Tropeços #1 - a Yumemi começou a apresentar várias falhas internas, impossibilitando que a mesma consiga simplesmente caminhar com eficácia. O Junker, de início, cogitou se foi boa ou não a ideia de trazê-la consigo na jornada, mas...


Opostos - enquanto a Yumemi diz amar os dias chuvosos, o Junker os odeia bastante. Cada um com os seus próprios motivos para tanto...


Buquê - pode não parecer, mas o buquê que a Yumemi fez é bem pesado. Vendo o esforço da robô para carregá-lo em tais condições, o Junker pede para ficar com item (que é dele na realidade). O humano começou a se preocupar demais não apenas com a própria segurança...


Recordação - dentro de uma loja de bebidas, e de frente para um raro whisky escocês envelhecido, o Junker se recordou de como o seu antigo companheiro acabou perdendo a vida. O medo fez ele tomar muito cuidado ao tentar manusear a garrafa diante dele...


Inocência #1 - a Yumemi acabou pegando a garrafa sem muito pensar e, alegremente, entregou o item ao seu amigo humano. Ele, por sinal, bebeu um pouco do líquido contido ali e, na sequência, começou a alimentar certos pensamentos...


Tropeços #2 - após mais um tropeço da Yumemi, o Junker passou a levar ainda mais seriamente sua ideia de proteger a pequena robô...



Sonhos - após a Yumemi ter dito o que desejaria ao Deus dos Robôs (vide a conversa entre ambos no episódio #2), o Junker sensibilizou-se ao extremo. Proteger a si mesmo e à robô passou a ser uma nova meta para ele. Mas nada seria muito fácil...




Perigo #1 - o Junker falou tudo o que queria para a Yumemi, no intuito de tirá-la desta cidade e levá-la para outro lugar, a fim de restabelecer sua energia e continuar funcionando. A robô diz que, mesmo ali, poderiam ainda haver clientes no planetário. O humano, vendo o carinho da sua pequena parceira quanto às pessoas, resolveu protegê-la com seriedade...


Inocência #2 - em nenhum momento, a Yumemi conseguiu ver o mundo como deveria. O cenário triste e caótico não a perturbou em demasia. Mas...




Perigo #2 - uma visão perturbadora...


"Protegendo os sonhos de um ser inocente e único naquele lugar..."

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]


Conheça o autor do NETOIN!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - Netoin! 2006-2017
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons