01/03/16 - 01/04/16 ~ NETOIN!

quinta-feira, 31 de março de 2016

[Informação] Planetarian e o primeiro de abril...

A chamada da vez.
Que dia mais movimentado...

O dia primeiro de abril é conhecido como aquela data especial, na qual a mentira e as "pegadinhas" com tal teor ganhar força e uma incrível visibilidade. Parece ser uma verdadeira corrente mundial neste propósito. E nem mesmo os estúdios de animação do Japão deixam escapar a oportunidade para fazer chamadas que, de uma maneira ou de outra, acabam instigando a curiosidade demasiadamente.

Na presente data de 2016, este humilde blogueiro foi enganado sordidamente, com algo que tinha todo o escopo de ser real e absoluto. Isto se deve ao fato de que, uma das obras nas quais a minha pessoa anseia em ver na versão animada tem longa data (desde 2006), acabou ganhando uma chamada que tinha um grande fundo de realidade com tal tipo de trabalho em andamento. Tratava-se de um PV (promotional video) daquilo que seria o anime de Planetarian.

Dicas de leitura aqui no NETOIN!

O capricho da arte em movimento foi tão vislumbrante e sólido que, sem nem pensar duas vezes, a conta do blog na rede social Twitter logo foi impregnada com chamadas para tal vídeo. A felicidade havia tomado conta deste blogueiro, com ênfase para o sorriso que ia de uma extremidade à outra do rosto com muito vislumbre e alegria de alto nível.

Contudo, a chamada para o anime de Planetarian mostrou ser, apenas, mais uma brincadeira do famigerado primeiro de abril. Doído, claro, mas de certa forma era algo esperado. Se tal informe se tornar realidade, certamente este post ganhará uma nova versão, muito amis feliz e vislumbrante. Talvez, em algum dia no futuro, seja possível ver a nobre robô Yumemi espalhando a felicidade em um mundo caótico e morto, inclusive levando a sua palavra amiga para um certo humano que está à procura de Junkies pelas cidades que ele desbravava.

A esperança é real...


Planetário - o lar da Yumemi, que espera pela chegada de algum humano há várias décadas...


Vídeo com o PV de Planetarian
clique aqui para assisti-lo (via YouTube)


Visitante - o momento no qual a história começa, quando um humano chega ao planetário onde está a Yumemi...

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]
Digite aqui o resumo do postDigite aqui o resto do post

Conheça o autor do NETOIN!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

quarta-feira, 30 de março de 2016

[Semanal] Musaigen no Phantom World #13 (Final): o eterno mundo dos Phantoms

A capa tradicional.
Um encerramento digno...

Já é sabido que Musaigen no Phantom World foi um anime que, ao longo de sua exibição, não tinha conseguido manter uma linearidade objetiva, no que tange ao modo com o qual se desenvolvia o seu enredo. Em doze episódios, houveram diversas nivelações. Embora seja verdade que tal fato é comum para diversas obras, a verdade é que poderia se esperar mais deste título em particular, uma vez que a sua chamada podia ser vista como algo que chamaria muito a atenção. De toda a forma, para o bem ou para o mal, Ichijou e companhia chegaram ao capítulo derradeiro, com o clamor do triste evento na semana anterior e que, de uma vez por todas, a perigosa Phantom Enigma teria de ser derrotada.

De maneira bem interessante, este episódio acabou revelando a razão pela qual certos estudos e pesquisas eram feitos, baseando-se nos Phantoms como um todo, incluindo nisto os seus poderes. Curioso notar que, como tem sido comum em diversas obras, aqui também foram os próprios humanos que acabaram criando um tipo de existência quase perfeita, graças aos estudos realizados em longa data. Indo um pouco além disto, os experimentos feitos em tal criatura fizeram com que a mesma se "revoltasse", ao ponto de querer criar um tipo de ordem na qual tanto Phantoms quanto humanos obedeceriam à ela cegamente.

O descrito acima não é um projeto que cause alguma novidade, mas não deixa de ser ambicioso por isto. Por si só, a Enigma tinha o poder de chegar neste ponto com relativa facilidade, pois ela podia adquirir as habilidades especiais das pessoas e usá-las de acordo com a sua vontade e/ou necessidade. O poder extraído do Ichijou acabou servindo para esta causa, com total excelência. Seria óbvio demais se Musaigen no Phantom World trabalhasse unicamente isto em seus momentos finais, mas havia um outro ponto que merecia tanta atenção quanto este.

A poderosa Enigma.
A mãe do protagonista era, de fato, uma prerrogativa máxima de atenção. Ela acabou ficando exausta após os eventos do capítulo anterior e, diretamente, abalou não apenas o seu filho Ichijou como também a Ruru e todos os amigos deles. No que se trata da pequenina Phantom, a importância dela acabou tendo uma valia que ficou acima do que podia ser dito aqui como esperado (e novamente, a sequência de abertura do anime sempre havia mostrado tal "carta sobre a mesa"). Para o espanto do grupo formado também pela Mai, Minase, Kurumi e Reina, uma certa união acabou resultando na existência que poderia enfrentar, de frente, a até então indestrutível Enigma (por mais que a maneira que tal ação tenha se dado não fugira, de nenhuma maneira, do escopo que o anime tem apresentado desde o seu início).

O capítulo final acabou coroando, com positividade, a maneira com a qual os quatro últimos episódios deste anime foram trabalhados. Houve uma luta intensa, conversas sérias, chamadas para o fortalecimento e, sobretudo, a importância do elenco em geral ficou em evidência. Curiosamente, o Ichijou mostrou ser ainda mais representativo do que se podia ponderar. A definição sobre os Phantoms, como um todo, fez amplo sentido. Entretanto, fica aqui válido o aviso de que o anime acabou não presenteando como devia quem esperava por algum enlace mais romântico. entre alguns de seus personagens. As ideias neste sentido ficaram pairando pelo ar, mas não é algo que acabe entrando como ponto negativo.

Com a maior sinceridade possível, nobre visitante, a atual temporada tem apresentado finais bem dignos, e felizmente Musaigen no Phantom World não foi uma exceção à tal regra. Com uma chamada interessante e conclusão efetiva, Ichijou e seus amigos encerraram as suas aventuras (no anime, ao menos). Muito embora este humilde blogueiro acredite que uma segunda temporada para este anime não seja necessária ou prioritária, a verdade é que os Phantoms e os humanos possuem um longo caminho pela frente, na busca incensante pela compreensão e entendimento mútuo. Um final digno este, em absoluto.

E assim se segue...

Momentos finais...


"A triste situação vivida pela mãe do Ichijou..."


"A Ruru estando um pouco fora de si..."


"Conheça o poderoso urso hacker!"


"Grandes emoções no combate do grupo ante a Enigma..."


"Apenas não deixe que a imaginação lhe traia nesta imagem..."

Avaliação final para Musaigen no Phantom World...

O grupo se preparando para o momento derradeiro.
Passadas as palavras referentes ao episódio final, é chegado o momento de se falar da obra como um todo. Neste aspecto trivial, Musaigen no Phantom World foi um verdadeiro desafio. Até porque, como se fez citar em quase todos os posts semanais da obra, a inconsistência quanto ao enredo foi uma marca para o anime em si. Pode até soar exagerado este ponto, mas aventuras promovidas por Ichijou e companhia estiveram clamando, em boa parte da obra, por uma condução que desse um teor de seriedade um pouco maior para o título em si.

É bem verdade que os PVs iniciais já davam o indício concreto de qual seria, além da vaga teoria, o ponto de impacto neste anime (e maneira com a qual tal universo seria abordado). Contudo, ainda assim é possível aqui salientar que se podia esperar mesmo algo um pouco além do que acabou sendo mostrado. Não foi sofrível nem ruim, muito pelo contrário. Mas o chamado "gosto" poderia ter sido um pouco mais prazeroso neste aspecto.

Por sorte, tal obra caiu sob as asas da Kyoto Animation para receber sua animação. Tal estúdio costuma ser um primor na parte técnica e Musaigen no Phantom World não foi uma exceção à tal tradição. Desde os cenários até o desenho dos personagens, sobretudo na parte acústica também (que se não foi grandiosa acabou apresentando um trabalho bem feito), este título acabou recebendo um cuidado bem especial.

O Ichijou e sua nova força.
O elenco de personagens pode ter sido apresentado como extremamente comuns no início das aventuras, mas acabou mostrando a sua qualidade na medida em que os episódios iam avançando. O anime mostrou que, mesmo com um enredo que não possuiu uma linearidade objetiva, o trabalho pode ser muito representativo. Em especial cita-se aqui a Ruru, a Mai e o Ichijou, sendo este o trio que soube chamar para si boa parte das atenções durante a exibição da obra.

Levando-se em conta a maneira com a qual o anime foi tratado em sua reta final, fica válido o questionamento soba  razão pela qual o mesmo não ter sido assim cuidado desde o seu início. Independente de ter sido uma decisão à parte ou proposital, a verdade está no fato de que a obra poderia ter recebido uma avaliação final melhor e mais dinâmica, no caso de ter sido assim trabalhada desde os seus acordes iniciais. Contudo, torna-se necessário ressaltar que o anime conseguiu se sair bem ainda assim.

De maneira geral e justa, Musaigen no Phantom World merece uma recomendação positiva por parte do NETOIN!. Se faltou qualidade em simetria no anime não faltou emoção, mesmo que esta tenha sido repartilhada entre diferentes episódios e/ou momentos em especial. A Kyoto Animation mostrou seu incrível potencial técnico, uma vez mais. E o elenco possuiu uma boa representatividade. Para ter aquela descontração bem-vinda, sem a menor dúvida este anime acaba sendo uma ótima pedida.

Recordações...


Partida - as impressões iniciais do anime, em especial nos dois primeiros episódios, certamente fez com que parte do fandom perdesse um pouco do ímpeto para ver a obra...


Adversidades - o Clube de Caça aos Phantomssm teve de passar por muitos apuros para atingir um novo nível, tanto em batalhas como no reconhecimento por tais...


Sorrisos - em contrapartida, o anime apresentou ótimos momentos no decorrer de seus episódios, em especial os quatro últimos...

Musaigen no Phantom World
Temporada: janeiro'2016
Estúdio: Kyoto Animation  /  Total de episódios: 13

*** avaliação final do anime: 7,0 pontos de 10,0 possíveis ***


Grupo - a última visão do Clube de Caça aos Phantoms unido, prestes a realizar uma nova missão...

E na temporada de abril'2016...

Um sorriso angelical.
Um anime cuja história seja dócil, carismática, possuidor de um romance inocente e que, em meio à tudo isso, ainda mostre as alegrias e temores que se tem com apenas doze anos de idade. Uma época de descobertas na vida de qualquer pessoa, em espacial da simpática garota de nome Hanabi Ayase. Na companhia de suas colegas de classe, ela vivenciará as aventuras que tal momento da vida poderá lhe proporcionar, inclusive com a chamada para o primeiro amor.

O parágrafo acima não fez um resumo nítido do anime à ser pautado, mas te deu uma breve ideia sobre aquilo que deverá estar presente em tal obra, nobre visitante. Por tais razões citadas, 12-sai: Chicchana Mune no Tokimeki será o título à ser comentado semanalmente no NETOIN!, na temporada de abril'2016. Uma simplicidade com um ótimo toque de veracidade que serão pautados, a cada novo episódio, nesta humilde casa na internet.

Neste momento, você está sendo convidado à acompanhar esta obra por aqui, também.

12-sai: Chicchana Mune no Tokimeki - PV oficial


"Como se sentir, viver e ver o mundo com doze anos de idade..."

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]


Conheça o autor do NETOIN!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

terça-feira, 29 de março de 2016

Kyoudai Podcast #25 teorizando sobre os animes inspirativos...

A chamada da vez.
Um podcast educativo...

A frase acima resume, da melhor maneira possível, a representatividade da vigésima quinta edição do Kyoudai Podcast, nobre visitante. Esta série de trabalhos acústicos vem à tratar, nesta oportunidade, de um tema interessante e digno o bastante das mais variadas opiniões e discussões possíveis.

Certamente, você deve ter aquele anime especial que, graças ao contexto temático apresentado em tal, acabou lhe servindo para um propósito ainda maior. Isto porque, tal obra fez com que tu fosse atrás de tantos outros títulos co-relatos a este, independente do grau de similaridade. Em outras palavras, você se sentiu instigado e inspirado por um tipo de enredo trabalhado, ao nível de querer conhecer as mais diversas formas do mesmo ter aparecido. E neste podcast, a oportunidade pela causa ajudou a teorizar as mais variadas demonstrações possíveis, ao menos no ponto de vista dos quatro participantes da vez.

O Kyoudai Podcast #25 conta, para tanto, com a condução do conhecido podcaster Evilásio, sendo auxiliado prontamente pelo seu colega de blog, o Tadashi.  Além disso, o André marcou o seu retorno à esta série de podcasts em grande estilo. E por fim, a minha humilde pessoa, presente de maneira branda e bastante propenso às palavras dos demais nobres integrantes do grupo.

Com base no que foi apresentado, o convite lhe é feito de maneira oficial, nobre visitante. Acesse o podcast no link mais abaixo e contribua pela causa, com os eu ponto de vista e opiniões mais do que bem-vindas.

Seguindo...

Kyoudai Podcast #25 e os animes inspirativos (teorias)

Acompanhando o Kyoudai Podcast #25
00:00 - apresentações e introdução
05:23 - leitura de comentários
24:50 - pauta central do podcast
01:26:00 - considerações finais

Blogs participantes desta edição

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]


Conheça o autor do NETOIN!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

segunda-feira, 28 de março de 2016

[Fim de Temporada] Hai to Gensou no Grimgar

A chamada da vez.
Uma aventura cheia de niveladores...

Nobre visitante, muitos são os animes que tem usado de uma certa inspiração para terem um ponto inicial e, em diversas ocasiões, usar do mesmo como alicerce de seus eventos. Uma aventura similar a um RPG não é algo tão diferenciado atualmente, mas tende a chamar a atenção com irrefutável facilidade, justamente pelo poder de prender a atenção que uma jornada deste porte possui. E na temporada que está se findando, seguramente Hai to Gensou no Grimgar entra em tal grupo com sua própria categoria.

Para a minha pessoa, assistir a Grimgar teve o mesmo impacto visual de quase dezesseis anos atrás quando, na época do saudoso PlayStation, as tardes e algumas noites eram destinadas por este humilde blogueiro a se aventurar por um jogo primoroso chamada Seiken Densetsu: The Legend of Mana. Em tal RPG de ação, você controlava seus personagens em meio aos seus cenários desenhados e pintados à mão, fazendo com que o visual extremamente belo e convidativo servisse como "cartão de visitas" para o jogo em si. Curiosamente, o anime que serve de pauta para este post teve as características técnicas totalmente similares à do jogo citado.

No universo de Grimgar, seis jovens aventureiros acabaram adentrando a este enigmático mundo sem um aviso prévio. Buscar a interação, compreensão mútua e a melhora de suas capacidades em batalha eram os fatores de importância especial para este grupo, que tinha na figura do Manato o líder em excelência e paciência. Sequencialmente aparece o jovem Haruhiro, que estava sempre inundado por dúvidas e temores em sua mente e coração. O Moguzo poder ser considerado o mais centrado do grupo, sempre com a voz calma e paliativa mesmo em combate. Servindo inicialmente como um tipo de "mala sem alça", o Ranta teve um dos crescimentos mais expressivos dentro do anime. A jovem Shihoru, quieta e tímida na maior parte do tempo, buscou vencer as próprias limitações sociais para seguir adiante. Por sua vez, a Yume (que adorava mostrar seus pés nos momentos de descanso) tentava se descontrair sempre que possível, além de mostrar o que sentia da maneira (sempre) mais difícil.

Os primeiros inimigos deram muito trabalho aos jovens aventureiros...
O sexteto citado no parágrafo acima teve de suportar as mais variadas provações durante a jornada que se desenrolava. Paralelamente à isto, as diferenças de opiniões e os modos de ver cada situação chegaram a gerar certos conflitos internos, especialmente entre a Yume e o Ranta. No papel de líder, o Manato sempre buscou dar ênfase à convivência e, aos poucos, foi trabalhando este aspecto no grupo (por mais que ninguém notasse a diferença que ocorria gradualmente, para a melhor). Infelizmente, um dos momentos mais tristes do anime acabou acometendo a liderança destes seis aventureiros e, com isso, personagens como o Haruhiro acabaram sentindo uma pressão terrível dentro de si. Aparentemente, a jornada dava sérios indícios de estar se encerrando naquela ocasião.

A chegada da Mary (Merry) auxiliou a aumentar a expectativa pela derrocada do grupo, ao menos no início de suas investidas sérias e até frias, socialmente falando. Contudo, o que acabou ocorrendo aos poucos foi o exato efeito contrário ao citado, e assim um novo e forte sexteto nasceu, onde o Haruhiro era o novo líder (mesmo com seus conflitos internos sempre na crescente, em especial nas comparações que o próprios e fazia com o Manato). Novos e poderosos inimigos surgiram, o grupo melhorou as suas especialidades em batalha e, até o último momento de Grimgar, o que se notou foi um desenvolvimento bem-vindo dos personagens, por mais que o mesmo tenha sido sob uma lenta e tortuosa velocidade.

Infelizmente, justamente naquilo que o anime não poderia ter falhado é que aconteceu a maior baixa para a obra em si. O enredo acabou sendo conduzido de uma maneira extremamente lenta. Todo e qualquer evento deste título sucumbiu a vagarosidade com que foi trabalhado, mesmo nos eventos cuja a rapidez era (teoricamente) a solução mais sólida para tais. Além disto, a história do anime não teve nenhum ponto de real aprofundamento, por mais que tenham existido os momentos cujos sentimentos humanos foram testados de maneira cruel, podendo levar às lágrimas com certa facilidade. Se tais características tão primordiais tivessem recebido um direcionamento mais condizente, a obra em pauta poderia figurar entre as melhores da temporada de janeiro'2016 com muito mérito.

Houve uma evolução no elenco, mesmo que um pouco tardia...
Porém, Grimgar merece ser aplaudido de pé no que diz respeito a sua parte técnica. Seja ela na esfera visual ou sonora, a obra sobressaiu-se com muita força e merecimento. Como já foi citado no início do post, a arte do anime não tem um ponto que possa ser destacado de maneira negativa e, acusticamente, as músicas presentes durante esta aventura serviram muito bem à causa (indo muito além dos temas de abertura e de encerramento que, por si, foram ótimos). É bem verdade que, por volta do sexto episódio, esta obra apresentou um frame de animação que certamente entra como um pesado destaque negativo, mas soaria injusto transformar este ponto em algo que desestabilize a obra como um todo.

Nobre visitante, muito embora seja compreensível analisar as mais confrontantes opiniões que o anime já recebera pelo fandom ao redor do mundo (na qual a frase mais comum seria "amo odiar este anime" e similares), a minha pessoa lhe diz agora exatamente o contrário, uma vez que Grimgar serviu bem ao seu propósito como um anime que buscou, desde o início, mesclar elementos de ação e slice-of-life, contendo ainda momentos de profundidade sentimental e até de raiva em algumas ocasiões. Muito embora a execução tenha ficado muito distante da perfeição, pode-se aqui enfatizar que o trabalho apresentado foi justo.

Com base em tudo que foi descrito nos parágrafos acima, Grimgar faz por merecer uma recomendação positiva por parte do NETOIN!. A obra merece respaldo, mesmo ao se levar em consideração os pontos negativos que possuem, sim, importância e destaque. Haruhiro e companhia deixaram a sua marca e, por mais que uma segunda temporada soe mais como bem hipotética do que quaisquer outra coisa, as aventuras dos sete jovens citados teve a sua boa marca para ser aqui enfatizada.

A jornada seguirá...

Recordações...


Início - quando a jornada começou, a inexperiência era o fator em comum dos componentes do grupo...


Visual - no que diz respeito à ambientação e cenários, seguramente Grimgar foi um dos maiores nomes da temporada e, possivelmente, deverá ser um dos destaques de 2016 na citada categoria...


Sutileza - tudo era novidade no início da jornada...


Balanço - os momentos de forte tensão estiveram bem balanceados com os da mais profunda descontração, durante a exibição deste anime...




Artes - o capricho nos desenhos que apareceram durante o anime foram uma marca registrada, das mais positivas, dentre as presentes em Grimgar...


Perigo - o anime apresentou bons combates, em especial nos seus últimos quatro episódios...


Hai to Gensou no Grimgar
Temporada: janeiro'2016
Estúdio: A-1 Pictures  /  Total de episódios: 12

*** avaliação final do anime: 7,0 pontos de 10,0 possíveis ***


Aventura - a jornada não findou, mas sim clamou pelo seu prosseguimento...

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]


Conheça o autor do NETOIN!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - NETOIN! 2006-2017
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons