Refletindo sobre Kill la Kill - Tesouras, lutas, verdades e intrigas... ~ Netoin!

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Refletindo sobre Kill la Kill - Tesouras, lutas, verdades e intrigas...

O prenúncio do grande embate.

Saudações, visitante!

Os ares de 2013 começam a dar o seu adeus de forma bem sucinta. Pode não ter sido um ano dos mais primorosos na história da animação japonesa, mas seguramente algumas obras merecem respaldo pelo que mostraram. Não apenas ao longo do ano, como também em alguns casos ainda se farão presentes durante 2014, ano este que está para chegar.

E Kill la Kill, irrefutavelmente, aparece com esta proposta em sua vertente. Tal como já havia acontecido com Shingeki no Kyojin no mês de abril, o anime em questão tem chamado a atenção da maior parte do fandom, com todas as circunstâncias possíveis e imagináveis sobre a obra em si.

Leitura recomendada, aqui no NETOIN!

E como a ocasião faz pedir, mais uma conversa ocorreu entre a minha pessoa e a jovem Juliana Helena. Desta vez o foco esteve nos episódios #11 e #12, que devem valores finais ao primeiro cour de Kill la Kill. As ideias seguiram-se de forma bem convidativa e prazerosa, com direito à algumas dúvidas sobre o que deverá acontecer na segunda metade do anime, à partir de janeiro'2014.

Sinta-se convidado, à partir deste momento, à acompanhar a leitura deste post especial, nobre visitante.Tenha uma boa leitura.

Refletindo sobre Kill la Kill
- tesouras, lutas, verdades e intrigas - 
Uma conversa entre Carlírio Neto e Juliana Helena

Encontro nada amigável...

Carlírio: Olá, nobre.

Juliana: Olá, seu moço! Let's go?

Carlírio: Com certeza. Os episódios #11 e #12 pedem por isso!

Juliana: Então... Por onde começamos?
Se bem que não dá pra falar de um episódio sem falar do outro. Vai ficar meio misturado aqui.

Kamui sem compasso...

Carlírio: Acredito que o ideia seja falar deles juntos... Os episódios se encaixaram bem demais...
Assim, eu estava errado sobre a nossa amiga... Porque de fraca, ela não tem nada... A luta dela com a Ryuuko foi muito boa...

Juliana: Bom, eu nunca achei que a Nui fosse fraca. Só não sei de onde veio o "poder" dela. Ela deve ter treinado bastante, mas não acho que seja só isso.

Carlírio: Tem uma teoria para o poder dela?

Juliana: Sinceramente não. Porém, com certeza ela tem seus próprios interesses para se meter naquilo tudo. Nós já vimos como ela foi parar no campo de batalha. E ela não iria atrás do Doutor Matoi apenas porque a Satsuki mandou.

Refrescando a memória...

Carlírio: Concordo... Se permite dizer, até senti uma desavença entre ela e a Satsuki. Muitas ocorrências entre elas deverão aparecer para o nosso deleite, como apreciadores da obra...

Juliana: Hum... Eu não sei se pode rolar um briga entre elas. Pelo menos, que não seja por baixo dos panos.

Carlírio: Pode ser, então, a chamada para alguma ocorrência interna para a Satsuki. Familiar, por exemplo. Aparentemente, ela e sua mãe não são tão próximas assim...

Juliana: E parece que a Nui responde mais à Ragyo do que a Satsuki. Mas os interesses de mãe e filha não são divergentes e se complementam. Ragyo com o poder econômico e Satsuki com o poder político.
O mais provável é que ela só esteja com medo do poder do Junketsu. E do outro Kamui também. E de outras coisas, quem sabe.

Transformação...

Carlírio: O temor procede. Achei impressionante a habilidade dela em encontrar o "fio" que desestabiliza o uniforme Goku. Me impressionei mais ainda com o Kamui da Ryuuko nisto...

Juliana: Como assim?

Carlírio: A Nui usou da mesma técnica para derrotar rapidamente a Ryuuko, mas não funcionou... O Kamui dela apenas "desceu" um estágio de potência... Com o uniforme Goku, o mesmo já tinha sido desestabilizado...

Juliana: Descer mesmo não desceu. Mas o Senketsu passou por um bom sufoco.

Momentos normais no anime..

Carlírio: A transformação do mesmo, fazendo com que a Ryuuko se incorporasse à ele com toda a sua fúria, também me chamou a atenção... Ela ficou, como direi, tenebrosa...
Seu poder ficou incontrolável.
Mas a figura da Mako apareceu novamente.
E com um toque todo especial desta vez, para que não existam mais dúvidas quanto à representatividade da personagem e de sua importância junto à Ryuuko...

Juliana: O engraçado é que uma das teorias que rolavam sobre Kill la Kill era a de que a Mako poderia morrer. De preferência antes do fim do primeiro cour.
E ela me deixou com o coração na mão. Quando apareceu o carro da família lá quase entre as duas, e depois a menina nadando naquela energia liquefeita ou sabe-se lá o que, e passando na frente da Satsuki... Dava vontade de disparar um "sai daí, caramba!".

Carlírio: Senti a mesma coisa... Eu achava que o pior poderia sobrar para a coitada da Mako. Por sorte, isto não ocorreu... Quanto à teoria que tu citou... Ainda bem que parou na teoria do pessoal.
Sem a Mako, o anime perderia muito...

JulianaDepende de como a equipe do anime poderia desenvolver isso. Se eles fizessem como em Gurren Laggan, o anime podia saltar de nível. Voltando à Mako...
Foi interessante ela retomar o que aconteceu lá no episódio do Clube da Luta para que fosse explicado um pouco mais da motivação da Ryuuko. É bem previsível, mas ela sempre quis que ela e o pai fossem uma família de verdade. Ela foi movida por raiva e frustração. Primeiro por causa do Doutor Matoi tê-la praticamente abandonado. Segundo porque ele foi morto justamente quando ela ganhou um mínimo de chance de poder conviver com ele.
Com certeza, se para uma grande coisa a luta com a Nui (e tudo o que veio depois) serviu, foi justo para que o objetivo da Ryuko fosse realmente salvar aquele mundo.

Os fiéis seguidores...

Carlírio: Estive lendo tudo que escreveste, linha a linha... Palavra por palavra...
E sinceramente, não consigo encontrar um ponto de discordância.

Juliana: Meticuloso. Pro seu terror, ainda não terminei. Acho...

Carlírio: Meu terror? Nada disso. Pode terminar sua ideia... Farei minhas considerações sequencialmente às suas.

Juliana: Mas você tem algo a falar sobre a Ryuuko também?

Quem resolveu aparecer...

CarlírioHum... Tenho sim, nobre. Vejamos...
A Ryuuko tem realmente este gatilho emocional... Nunca teve uma vida familiar estável. Por isso ela se sentiu tão à vontade em ser recepcionada pelos entes queridos da Mako. Mas, como tu comentou, bem antes disto ela teve uma pequena oportunidade de ser feliz ao lado do próprio pai. Curiosamente, se não fosse pela Mako ali na Academia, a Ryuuko poderia ter "ido desta para a melhor" na luta ante a Nui...
O plus. no caso, está no fato de que a assassina do pai da Ryuuko é inalcançável para a mesma (à título de vingança) neste primeiro momento.

Juliana: Contra a Satsuki, né?

CarlírioExatamente.

Juliana: Ou se fosse atingida pela bala do professor.

Momento de muito poder...

Carlírio: Aquela bala do professor iria ser altamente letal para a Ryuuko. Parece-me que, depois disto tudo, a Satsuki tem realmente algum plano à mais parava Ryuuko...
Não tenho em mente o que seja, qual o nível de abrangência. Mas a "seleção natural" promovida pela Satsuki teve o resultado que ela esperava...
Menos, é claro, para a Ryuuko, que ainda está bem debilitada...

Juliana: Nesse ponto, eu até agradeço por não ter comentado o episódio 11. Era capaz de eu dizer algo assim: "Sabe essa fase Utena, com Ryuuko lutando contra vários clubes? Pois é. Acabou aqui.".
Quem deve estar rolando na cadeira de felicidade é a Roberta do Elfen Lied Brasil. É dela a teoria de que outras escolas iriam aparecer na trama. Com a sede da Satsuki por conquistar território, é o que vai acontecer.
É uma atitude bem típica de uma governante como ela. Satsuki é imperialista - de uma forma como o Japão foi no passado e que talvez ainda seja.

Carlírio: Me lembro bem da nobre Roberta ter comentado isso...

Juliana: Continuando... (desculpa aê.)

Carlírio: Tranquilo, nobre...

JulianaE, olha só, mesmo que o sistema de governo dela seja terrível, e já mencionei isso antes, a imagem dela é a de salvadora, de pessoa capaz de tudo para proteger e defender os seus, uma rainha de fato e de direito. E o anime trabalhou isso de tal forma que até teve quem se convencesse da nobreza de espírito dela.
Eu mesma até fui um pouco tentada a isso com as atitudes dela no episódio #12. Era o anjo guerreiro lutando contra o monstro.

Carlírio: Interessante mencionar isso...
Ela chama as pessoas de porcos com roupas humanas e, ainda assim, é ovaciona com requintes de nobreza pelos mesmos. Isso está intimamente ligado com todo o poder político dela. E não é "apenas" um poder boçal... Ela tem a força para fazer o que bem quiser... Seu jogo de palavras é ardiloso, porém justo dentro de sua proposta...
E se partir do princípio que até tu se deixou levar por breve momento, nobre, então reverenciar a estrategista Satsuki é louvável.

JulianaNão é só a personagem. É a forma como ela está sendo trabalhada.
É com coisas assim que fica claro o poder que ela tem sobre as pessoas. Eu não duvidaria que ela usasse primeiro a força e depois o papo para construir seu império.
Aliás, tanto é que a interferência da Nui não a atrapalhou muito. Eu achava que o estrago seria maior. Mas não. Satsuki é inabalável por enquanto. Por enquanto. Acho bem provável que aconteça com ela o mesmo que houve com a Ryuuko.

Carlírio: À partir de suas palavras, consegui começar a imaginar a Satsuki como uma der imperial da época da Segunda Guerra Mundial... E devo concordar que ela tem dom de sobra para tanto. Me surpreendi com o fato da Nui não ter abalado a Satsuki....
Sabe o que me pareceu?

Juliana: Diga.

Prenúncio da salvação...

Carlírio: Que a Satsuki já imaginava que, cedo ou tarde, alguém de tal grupo mandaria uma representante (a Nui, no caso) para verificar as suas açõs e atrapalhá-la conforme fosse necessário. Para mim, a Satsuki já tinha esta ideia em mente. Ajudaria muito no processo para compreender mais ainda o por que de ela não ter se abalado com a Nui. Plus para o fato da Academia ter de ser reconstruída e isto também não abalá-la em nada...

Juliana: Mas ela ficou surpresa com a presença da Nui ali. Ela podia ter atrapalhado. Mas a Satsuki conseguiu encaminhar as coisas do jeito com ela queria assim mesmo, e teve até um pouco de sorte.
E reconstruir a Academia não é problema. Verba pra isso tem e sobra, e deve ter gente trabalhando até de graça nas obras. No problem.
Mas a Nui ainda pode atrapalhá-la de jeito mais tarde.

Carlírio: Não pensei na hipótese da reconstrução da Academia com esta visão... Realmente, deve ter gente dando a vida para auxiliar nas obras... Mais de oito horas/dia se duvidar.
A Nui tem um assombroso poder...
Concordo que ela poderá atrapalhar de forma gritante a Satsuki, caso assim deseje fazê-lo. Mas, lá atrás um pouco (na Ryuuko), imagino que grandes provações estejam á espera dela...

Juliana: Ela vai continuar lutando, mas não vai ser mais só por causa do pai. O objetivo de vingar o Doutor Matoi e o mudar aquele mundo se dissociaram a partir do momento em que a Nui confessou ter matado o velho. E ela não vai estar tão disposta a deixar a Satsuki fazer o que bem entende por compreender o que isso significaria.
Houve uma vez em que a Satsuki disse que o objetivo da Ryuko era "fraco". Bom, podia até não ser, mas acabou que a garota virou um monstro descontrolado. Agora a Kiruyin não vai poder dizer o mesmo.
Ryuuko vs. Satsuki continuará. E eu estava tendo expectativas tão loucas com esse último episódio que eu não pensei que isso iria continuar da forma como está agora. Tanto é que, de inicio, eu não tinha gostado do episódio.

Carlírio: Satsuki e Ryuuko serão rivais até os números finais da obra serem atribuídos. Isso é certeza e concordo contigo nisto...
Bom, a Ryuuko queria "apenas" vingar a morte do pai. Para a Satsuki esta razão era fraca, principalmente em comparação com objetivos da própria ao formara a Academia. Imagino que suas perspectivas quanto ao prosseguimento do anime poderiam diminuir um pouco, caso o episódio #12 não tivesse se sobressaído como se sobressaiu...

Juliana: Na verdade, diminuíram sim. Ou era eu com a expectativa alta demais.
Eu imaginava a Ryuko fazendo um estrago muito maior do que o que fez e se aliando ao pessoal do Nudist Beach, a Nui sendo dezenas de vez mais assustadora que a Satsuki e drama, um bom tantinho de drama. E Kill la Kill teve um pouco de barriga neste primeiro cour, na minha opinião, em termos de plot, ainda que seguisse firme e teimoso em ser bastante divertido.
Mas eu não estou triste com o episódio #12 não. Foi um ótimo episódio, encaminhou as coisas de um jeito interessante e as perspectivas para os próximos episódios vão muito bem, obrigado. A Ryuuko está meio que como uma peça rodeada por várias outras. Ela só vai vencer se pegar o fio da meada, que a gente ainda nem sabe direito qual é.

Carlírio: Esse "fio da meada" para a Ryuuko deverá ser o maior desafio dela, daqu até o final do anime me março próximo. A gana dela é um pouco diferenciada agora. Ela sabe quem é a assasina de seu pai, mas nem planeja tirar os olhos da Satsuki, pois isto poderá configurar um grave erro de estratégia dela, a Ryuuko. Com o plus da Satsuki ter dito que muitas das ações foram feitas à mando dela mesma.
O episódio #12 me agradou em demasiado, devo confessar.

Juliana: Não... Fazer o que tem de ser feito significa tirar a Satsuki do poder. Só não se sabe se isso será o bastante. Pode ser que seja, já que a Kiruyin é uma alegoria do totalitarismo.
E... É Kill la Kill. Até o ano que vem.

Carlírio: Gostarei muito de presenciar cada momento novo do anime, à partir de 9/1/14 próximo. A curiosidade me atiça para isto... Muito.
E sim... Agora somente daqui duas semanas e contando...

Juliana: A gente sobrevive (risos).

Carlírio: Certo (risos).
Até mais, nobre. Obrigado.

Juliana: Até!

A Mako e sua grande importância para a Ryuuko.

Como de costume, os agradecimentos pela ideia original deste sistema de postagem vão para a dupla Marcela e Claudionor, do blog parceiro OtomeGatari. Por sinal, a jovem blogueira em citação permitiu ao NETOIN! o uso deste sistema, o qual a minha pessoa faz os devidos créditos e agradece imensamente por tal permissão concedida.

Com isso, a chamada sobre Kill la Kill encerra-se. Ao menos, no que diz respeito ao ano de 2013. É você, visitante, quem determinará se esta ação continuará ou não em 2014, com a sua opinião e comentário sobre a mesma.

Até a próxima, visitante!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]


Conheça o autor do NETOIN!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

  • 0Blogger
  • Disqus

Deixe o seu comentário

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre este texto do NETOIN!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as ideias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!

comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - Netoin! 2006-2017
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons