NETOIN!

domingo, 22 de janeiro de 2017

[Especial] Destaques da animação japonesa (2016) - Parte #2: o legado de cima


A retomada das citações...

Durante o ano de 2016, um pouco mais de cem animes foram vistos por este blogueiro (uma empreitada não recomendada para todos). Deste citado montante, um total de noventa e quatro obras ficaram na situação de elegíveis para aparecer em alguma citação, dos dois posts especiais referentes aos destaques do ano passado na animação japonesa.

Para que você tenha uma ideia das regras que levaram ao enunciado acima, além dos nomes de todos os animes, é recomendado que você dê uma olhada no primeiro link citado abaixo. Se quiser, poderá acessar o link sequencial, para ver quais foram os destaques negativos de 2016, isto claro no ponto de vista do NETOIN!.

Indicações de leitura

Agora, você poderá acompanhar um pouco das impressões que 2016 acabou deixando para este humilde blogueiro. Contudo, salienta-se aqui que tudo a aparecer até o final deste post não é a "verdade do universo". Porém, segue aquele ideal levado adiante desde 2010, buscando a troca opinativa e bem assertiva com você, visitante deste blog.

O resumo da ópera...



O ano que se passou é analisado, de resumida maneira por este blogueiro, como ótimo no que tange aos animes. Não é apenas uma vaga ideia, mas tal afirmativa é sincera e justificada, uma vez que a maior parte das obras exibidas em 2016 foram bem chamativas, sendo que várias destas conseguiram se destacar em muitos pontos.

Por mais que tenha havido a "famosa" temporada conhecida por ser a mais fraca na maioria dos anos, isto não atrapalhou o rendimento total dos animes em 2016. Mesmo nela, inclusive, muitos títulos se fizeram dignos de atenção, tanto que serão citados no decorrer deste post.

Justamente pelas quatro temporadas passadas terem apresentado uma leva tão satisfatória de animes, este humilde blogueiro resolveu alavancar um pouco os top's para esta oportunidade. Dos noventa e quatro animes elegíveis (nas regras estabelecidas deste blog), serão listados os trinta destaques do ano. Tu pode interpretar isto como loucura, desnecessário ou fora do comum, pois a minha pessoa não lhe tirará a razão. Mas, acredite, foi sentida uma certa necessidade em executar tal ação.



Visando um melhor agrupamento do montante acima citado, o mesmo foi separado em três grupos. À saber:
* Grupo de Ouro: do primeiro ao décimo colocado;
* Grupo de Prata: do décimo primeiro ao vigésimo colocado;
* Grupo de Bronze: do vigésimo primeiro ao trigésimo colocado.

Foi levado em consideração, para tanto, os aspectos técnicos de cada obra, sendo uma avaliação geral que engloba características como enredo, elenco, ambientação, visual e afins (muito embora este humilde blogueiro não seja uma referência em nenhum dos pontos citados). Contudo, não apenas isso contou de fato, pois uma séria ponderação foi necessária, A mesma trata-se imersão que se teve com cada anime visto, sendo este chamado apreço final à tais (incluindo nisto pontos como atração, expectativa, retorno e afins), gerando uma grande valia (uma vez que este lar na internet é bem mais opinativo do que técnico).

Por isto, nobre visitante, esteja à par (uma vez mais) que tudo à ser citado, daqui por diante, tem um conceito pessoal por detrás. Diante isto, é feito o convite para que você deixe registrado, na seção de comentários, o seu próprio top do ano. Cite o que tu sentiu quanto ao que viu no ano passado, independente de quaisquer outra coisa. Minha pessoa anseia em ver as mais diferentes avaliações possíveis sobre 2016, inclusive concordando/discordando das citações deste post.

As citações...

Menções honrosas para 2016
-   12-sai Chicchana Mune no Tokimeki   -
-   Mahou Shoujo Ikusei Keikaku   -


O ano de 2016 reservou boas surpresas, sob os mais diferentes aspectos. E isto pode ser levado à diversos níveis. Contudo, duas obras em particular mereceram (e muito) serem qualificadas como menções honrosas de tal ano, não apenas por serem de extremos acentuados entre uma e outra, mas sim (e principalmente) por terem proporcionado experiências chamativas com os seus desenvolvimentos.

Dito isto, o carisma e a levidade proporcionada pelas duas temporadas de 12-sai Chicchana Mune no Tokimeki são dignas de nota. A obra conta uma história interessante, na qual os protagonistas são crianças com doze anos de idade e que suas vidas, descobertas, anseios e temores são repassadas com um ótimo nível de proximidade com a realidade. O ponto alto está na descoberta do primeiro amor (enfatizado pelo quarteto Ayase, Takao, Aoi e Hiyama), bem como dos desafios que isto pode reservar mesmo em tal época da vida. Seguramente, é um convite para quem o assistir se recordar do próprio passado.

A obscuridade da ambientação, que contradizia a fofura no desenho de seus personagens, acabou sendo um dos grandes pontos apresentados em Mahou Shoujo Ikusei Keikaku. Não à toa, para alguns este anime ficou conhecido como "mahou shoujo sofrimento", justamente pela falta de caráter impregnada em quase todos os seus personagens. Aqui, a única regra para se tornar uma garota mágica estava na pontuação da pessoa em um jogo para celular (seu comportamento era o que menos contava). Dito isto (e graças às artimanhas do Fav, "mascote" do anime), o elenco da obra se viu rodeado por muita dor, sofrimento e, obviamente, mortes à esmo.

Melhor animação
-   Hibike! Euphonium 2nd Season  -


Não faltaram animes que poderiam ser aqui citados, nobre visitante. Diga-se de passagem, restringir à uma obra acabou sendo bem doloroso. Porém, para este blogueiro que vos escreve, a simbólica citação acabou indo parar em boas mãos. Esta poderia ter ido para Flying Witch, Haikyuu!!HaruChika: Haruta to Chika wa Seishun Suru, Fune wo Amu, Hai to Gensou no Grimgar ou Flip Flappers que, ainda assim, estaria bem entregue.

Contudo, o anime da vez soube manter com primazia a qualidade da sua série predecessora (de 2015). Esta citação recai para Hibike! Euphonium 2nd Season. Seu estúdio, a Kyoto Animation, costuma sempre fazer uma entrega acima da média nas obras que acaba animando e, em 2016, isto acabou sendo seguido à risca. Toda a ambientação, contorno dos personagens, traçados, movimentos e colorações estiveram bem próximo do impecável.

Interessante aqui ressaltar que o aspecto visual das personagens, por vezes, pode fazer com que uma parte do fandom não dê sequer uma chance para a obra em si. Neste quesito, o anime em pauta é também um "alvo" disto. Entretanto, isto não entra necessariamente como um demérito total para esta obra que, uma vez mais, acabou ficando no topo desta área neste blog.

Melhores protagonistas
-   masculino: Angelo Lagusa, de 91 Days   -
-   feminino: Hoshino Yumemi, de Planetarian: Chiisana Hoshi no Yume   -


É extremamente possível que aqui hajam muitas controvérsias e questionamentos, até porque eleger os destaques no protagonismo dos animes nem sempre é fácil. Possivelmente, é um dos pontos em que mais possa existir as divergências opinativas. E para 2016, o NETOIN! tinha muitos nomes anotados para tanto. No caso dos protagonistas masculinos, a citação simbólica poderia ter ido para Sukerouku Yuurakutei (Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu), Dazai Osamu (Bungou Stray Dogs), Katsuri Yuri (Yuri!!! ON ICE), Majime Mitsuya (Fune wo Amu) ou Hinata (Haikyuu!!).

A opção feita foi para o jovem Angelo Lagusa, de 91 Days. No citado anime, tal personagem teve que crescer em meio à ambientação promovida pela máfia da bebida, que não perdoava quem tentava enganá-la ou que preferisse deixar de segui-la à risca. O Angelo viu sua família ser cruelmente assassinada, se escondeu, fugiu e, com o passar dos anos, foi adquirindo conhecimento e coragem necessárias para seguir adiante com o seu anseio pela vingança.

Não se tratou de uma temática fácil a abordada por 91 Days. Contudo, e muito distante de ser considerado um herói, o jovem Angelo teve de superar muitos apuros, incluindo nisto situações em que quase perdera a vida, para buscar seguir adiante. Engana-se se pensar que ele fosse uma pessoa correta, pois isto seria deveras surreal. Uma tarefa difícil, vinda de uma situação complicada e que acabou gerando um futuro incerto para o citado personagem.


Tudo que foi descrito sobre a escolha do destaque em protagonismo recai, também, para a ala feminina. E com justiça, deve-se aqui enfatizar. Diversos nomes poderiam estar aqui recebendo a citação simbólica deste blog. Dentre os quais, destacam-se Kowata Makoto (Flying Witch), Yume (Hai to Gensou no Grimgar), Hishiro Chizuru (ReLIFE), Celty (Durarara!!x2 Ketsu) e Rory Mercury (Gate: Jieitai Kanochi nite Kaku Tatakaeri 2nd Season).

O destaque maior, como protagonista feminina, coube para uma simpática e amável robô. Por mais que sua fala incessante tenha deixado muitos nervosos quando Planetarian: Chiisana Hoshi no Yume estreara, a Hoshino Yumemi acabou fazendo por merecer este destaque especial de 2016, por parte deste lar na internet.

A Yumemi pode quase ter levado o Junker ao estresse absoluto, mas ela acabou conquistando o solitário humano pela sua generosidade e espontaneidade, sendo estes dois atributos que haviam se perdido com o tempo, na cronologia do seu respectivo anime. Naquela ambientação pós-apocalíptica e sem motivos para torcer por um futuro melhor, o Junker acabou se deparando com alguém que, muito embora estivesse totalmente à parte do que havia acontecido no mundo todo, conseguiu dar à ele motivos para pensar em algo melhor no seu amanhã e, sobretudo, uma companhia humana solidária mostrada e praticada pela pequena robô Yumemi.

Melhor episódio
-   Planetarian: Chiisana Hoshi no Yume #3   -
(alto risco de spoiler)


O ano passado reservou grandes momentos isolados. No que tange à séries completas, o desafio de se fazer um top geral para tal período foi enorme, e falar de episódios à parte teve também deste igual pretexto. Animes como Hai to Gensou no Grimgar, Boku Dake ga Inai Machi, ReLIFE, Fune wo Amu, Udon no Kuni no Kiniro Kemari, God Eater e Haikyuu!!, dentre outros, tiveram episódios que poderiam ser aqui citados com justiça e representatividade.

Dito isto, acabe aqui fazer a honrosa colocação de episódio do ano (2016) para o anime Planetarian: Chiisana Hoshi no Yume e o seu terceiro capítulo. Em tal momento do anime, a máquina do planetário do qual a Yumemi cuidava, sendo esta conhecida como Jena, tinha acabado de ser consertada pelo Junker. E a pequena robô, entusiasmada, fez uma apresentação para o seu convidado especial (imagine que fazia mais de vinte e nove anos que nenhum humano adentrava naquela lugar).

Tal apresentação foi digna de elogios e dos mais variados possíveis. Possivelmente, o Junker não esperava que tanta informação extra (além da obviedade) poderia ser ali obtida. A história da Terra, basicamente, dominou a mente do solitário humano. Mesmo quando o resquício de energia elétrica que ainda existia findou-se, a Yumemi adotou a ideia de seu convidado e continuou com a apresentação, apenas no seu vocal, possibilitando ao Junker imaginar tudo que ele ouvia. O sentimento, as lágrimas e a emoção foram, de fato, quase únicos neste tão singelo episódio.

Destaques para citações temáticas



Alguns personagens coadjuvantes honrosos do ano.
* masculinos: Tsukishima Rei (Haikyuu!!); Taki Noboru (Hibike Euphonium 2nd Season); Chulanot Phichit (Yuri!! ON ICE).
* femininos: Kowata Akane (Flying Witch); Ogura (12-sai Chicchana Mune no Tokimeki); Shimizu Kyoko (Haikyuu!!); Chris (Kono Subarashi Sekai ni Shukufuku wo!).

Destaques para características/gêneros em específico.
* comédia: Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku wo!; wwwWORKING!!; Sekkou Boys.
* drama: Hai to Gensou no Grimgar; Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu; Planetarian: Chiisana Hoshi no Yume.
* romance: Akagami no Shirayuki-hime 2nd Season; Bishoujo Senshi Sailor Moon Crystal III Season; 12-sai Chicchana Mune no Tokimeki.
* ecchi: Keijo!!!!!!!!Shokugeki no Souma: Ni no Sara; Nanatsu no Taizai: Seisen no Shirushi.
* fantasia: Hai to Gensou no GrimgarKono Subarashii Sekai ni Shukufuku wo!; Re:Zero kara Hajimeru Isekai Seikatsu.
* ação: Jojo no Kimyou na Bouken: Diamond wa Kudakenai; Joker Game; Ushio to Tora 2nd Season.
* slice-of-life: Flying Witch; ReLIFE; Natsume Yuujinchou GoUdon no Kuni no Kiniro Kemari.
* esporte: Haikyuu!!; Yuri!! ON ICE.
* curta duração: Uchuu Patrol LulucoSekkou Boys; Bananya.

Os top's de 2016...


Tal como se fez enunciar mais acima, no início deste post, serão agora mostrados para você os três grupos que, unificados, formam o top'30 de animes para o ano de 2016, nobre visitante.

Grupo de Bronze'2016 (21º ao 30º):
* Flip Flappers; wwwWORKING!!; Joker Game; Shuumatsu no Izetta; Amanchu!; Mobile Suit Gundam: Iron Blooded Orphans 1st Season; 91 Days; Akagami no Shirayuki-hime 2nd Season; Ushio to Tora 2nd Season; Boku Dake ga Inai Machi.

Talvez a lista mais equilibrada de todo o top'30 esteja aí citada. Alguns dos animes nela presentes poderão estar fora de tal, dando assim espaço para outros também muito bons que acabaram ficando de fora, isso em uma concepção bem inicial. Contudo, é incrível aqui mensurar o quanto foi válido para a minha pessoa ter assistido Flip Flappers de maneira mais recente (poucas semanas atrás). Na época de sua exibição original isto não tinha sido possível, mas agora a obra foi devidamente assistida e, com justiça (muito disto ao notável carisma de seu elenco), se faz aqui presente.

A franquia Gundam teve seu lugar reservado, muito disto graças aos episódios exibidos de janeiro/2016 até o encerramento da temporada, dois meses após (não faltaram emoção e lágrimas). Os enredos sérios de Joker Game e 91 Days, a graciosidade de Amanchu! e as aventuras vindas de Ushio to Tora 2nd Season acabam merecendo um bom destaque.


Grupo de Prata'2016 (11º ao 20º):
* Udon no Kuni no Kiniro Kemari; Hai to Gensou no Grimgar; Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku wo!; Jojo no Kimyou na Bouken: Diamond wa Kudakenai; Hibike! Euphonium 2nd Season; Re:Zero kara Hajimeru Isekai Seikatsu; Mob Psycho 100%; Bungou Stray Dogs; Sekkou Boys; Lupin III (2015).

Toda a paz e calmaria promovida no anime de Udon no Kuni, pelo seu ótimo elenco, merecia mesmo ser aqui bem citada e prestigiada. Incrível como esta obra ganhou a atenção deste blogueiro rapidamente, sem muito esforço, e assim manteve-se até o final (além dos diversos sorrisos estampados na face). Os mundos de fantasia também souberam cativar, seja pelo apelo mais aguçado do fandom vindo de Re:Zero, ou então pelos belíssimos cenários e aprendizado constante promovidos pelo elenco de Grimgar.

Outro anime visto há poucas semanas foi a sequência de Bungou Stray Dogs. E aqui vale a nota de como tal temporada foi superior à antecessora, em todos os pontos existentes (especialmente na história). A comédia em meio a uma aventura mais do que descompromissada foi a chave do sucesso para KonoSuba. Paralelamente à tal linha da descontração estiveram Sekkou Boys (nas suas estátuas com vida própria) e Lupin III (2015), sendo que este narrou muito bem as peripécias de um "meliante" japonês em solo italiano.


Grupo de Ouro'2016 (1º ao 10º):
* Planetarian: Chiisana Hoshi no Yume; Haikyuu!!; Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu; Fune wo Amu; Flying Witch; ReLIFE; Bishoujo Senshi Sailor Moon Crystal III Season; Natsume Yuujinchou Go; Yuri!!! ON ICE; Uchuu Patrol Luluco.

O dito topo acabou pertencendo ao anime que, de uma maneira singular, acabou contando de maneira primorosa os eventos de sua versão original (um kinect novel) na adaptação em anime. Mesmo sendo exibido em ONA e contando coma penas cinco episódios, Planetarian: Chiisana Hoshi no Yume foi esplendoroso o bastante ao apresentar sua história e desenvolvê-la de maneira direta e justa. Muito já foi falado de seus dois personagens em parágrafos acima deste, mas vale aqui ressaltar o carisma da Yumemi e a "realidade" rotulada pelo Junker. Este humilde blogueiro se sentiu mais do que recompensado ao terminar de ver este anime.

E no principal grupo do top'30 de 2016, o que não faltou foram ótimos animes à serem citados. Haikyuu!! mostrou não apenas o quanto o vôlei é apaixonante, mas deu uma grande lição sobre evolução de personagens (protagonistas e secundários). Por sua vez, Shouwa Rakugo apresentou uma verdadeira história de vida e arte, que merece ser apreciada com calma. Na mesma linha de raciocínio esteve Fune wo Amu, mostrando que os desafios na vida de quem faz os dicionários vão muito além daquilo que se podia entender. Flying WitchReLIFE e Natsume Yuujinchou Go mostraram todo o poder do gênero slice-of-life, sem nenhum tipo de contra-indicação e sendo altamente recomendados. Sailor Moon Crystal III mostrou como a mudança na direção de um anime pode fazer a diferença (para a melhor). Esporte, superação pessoal e muitas divisões opinativas no fandom marcaram a passagem de Yuri!!! ON ICE. E o nonsense esteve em prol da descontração e bons minutos de diversão, sendo este o maior mérito de Uchuu Patrol Luluco.

Considerações finais...



Depois de todo este trabalho acerca dos destaques de 2016, o sentimento que toma conta deste humilde blogueiro é o do dever cumprido. Por mais que muito deste texto tenha apresentado opiniões pessoais, a verdade é que nada teve uma "escolha a dedo". Foi tudo bem minucioso, levando em conta todos os fatores mostrados ainda no início deste post (bem como as regras e os animes elegíveis para tanto, cujos links para apreciação também se encontram nos primeiros parágrafos deste texto).

Houve um acréscimo nos animes vistos e elegíveis, de 2015 para 2016 (sendo que tal fato já havia acontecido, também, de 2014 para 2015). Contudo, este é um fato que dificilmente ocorrerá novamente, daqui por diante. Provavelmente, o futuro de minha pessoa (curto à médio prazo) reservará menos tempo disponível para se ver tantas obras e buscar analisá-las, de alguma forma. Atualmente já é moderadamente escassa a disponibilidade para tanto, e a tendência disto mudar é realmente grande. Dito isto, à partir deste ano (2017) os posts de destaque sofrerão sérias mudanças, nas quais são pequenas as chances do formato atual ser repetido (dependendo do que ocorrer, na vida pessoal deste blogueiro, pode ser que não haja um post especial de destaques para o ano corrente). Em 2015, houve a tentativa de fazer com que quem visitasse o blog também opinasse e participasse de todo o processo, mas infelizmente o retorno foi bem aquém das expectativas mínimas.

De toda a forma, a minha pessoa agradece humildemente pela sua atenção em ter acompanhado este trabalho do início ao fim. Uma vez mais, se faz aqui pedir para que deixe registrado nos comentários os pontos nos quais tu concorda e/ou discorda deste texto, além de citar os seus próprios top's pessoais e/ou considerações gerais que tenha à fazer, no que tange aos animes exibidos em 2016.

Muito obrigado!

Reveja os destaques dos anos anteriores aqui do NETOIN!

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]

Conheça o autor do NETOIN!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

sábado, 21 de janeiro de 2017

[Semanal] Seiren #3: No banho dos homens


Interrogações...

Quando este blogueiro viu o PV e leu sinopses variadas sobre Seiren, imaginava-se que o anime seria extremamente calmo e bem linear na contagem de sua história. Como serão três arcos divididos em sua exibição, também presumia-se que haveria alguma evolução no elenco, de uma maneira menos contida. De certa forma, a linearidade e certa tranquilidade corresponderam até aqui. O elenco pode não estar evoluindo, mas ao menos os personagens não possuem comportamentos forçados (sendo extremamente naturais neste sentido). Com todas estas citações pautadas, há um ponto que tem aumentado a cada semana e que atingiu novos níveis no terceiro episódio, sendo que o mesmo não foi citado ainda.

Trata-se do conhecido efeito ecchi. A cada episódio, Seiren tem experimentado uma crescente aparição desta característica, o que pode (e deve) ser atribuído totalmente aos jovens Shoichi e Tsuneki. O rapaz por estar naquela famosa fase da adolescência, sendo que ele não possui muita fama com as garotas, mas que sua mente tenta sempre tomar conta das ações (no que tange às ações do sexo oposto, para ele). A moça por saber ser provocante (especialmente ao citado protagonista) e, aparentemente, não se incomodar muito com a opinião alheia sobre aquilo que faz ou deixa de fazer. Juntos, os dois desenvolvem os momentos deste anime que podem ir do sério ao ridículo, passando pelo hilário, em poucos minutos.

Aqui entra a razão deste terceiro episódio ter atingido os maiores níveis de ecchi deste anime. Não importa muito se é na sala de aula ou no dormitório, mas a Tsuneki sabe muito bem como deixar o Shoichi sem ação alguma. Entretanto, reações o citado rapaz tem de sobra, mas não apenas em suas trêmulas palavras ou com a bochecha avermelhada, mas sim com as respostas que os eu corpo acaba dando para aquilo que ele acaba vendo (ou então imaginando sordidamente, à partir de uma frase dita pela jovem ou algo similar proveniente dela).


Nem a sala de aula foi perdoada.

O capítulo em pauta ressaltou muito bem sobre, até onde, uma mente que anseia em trabalhar muito pode chegar, em prol de mostrar ao seu detentor o quanto ele tem à aprender ainda na vida. Não se trata aqui de achar tudo passável ou de defender o protagonista do anime, mas as reações dele ao se deparar com a sola do pé da Tsuneki, ou com as expressões faciais/corporais da garota no banho quente, já dizem muito por si mesmas. E sem esquecer a cena mais incrédula (e possivelmente hilária) do anime até este momento, que se deu no banho com a chegada do professor (sendo que a garota teve de se esconder, uma ver que era o banheiro dos homens). Acredite, nobre visitante, é algo que tens de ver para avaliar e opinar assertivamente.

Ainda assim, sobrou espaço para um momento de maior serenidade neste episódio. Próximo ao final, após o Shoichi ter dito à Tsuneki que a havia visto trabalhando, o clima entre os jovens mudou para algo mais tenso. A menina, por sinal, deixou de falar com ele (na visão do rapaz, ela deve estar pensando que ele foi o responsável por tê-la dedurado sobre seu trabalho às escondidas dos pais). E mesmo na volta para casa, parece que a situação não teve nenhuma mudança. A não ser, claro, pelo fato esperado do Shoichi ficar um tanto ainda mais perdido nos próprios devaneios.

Nobre visitante, este episódio não foi ruim, tenha a plena certeza disto. Para ser franco, pode até ser colocado como o mais hilário do anime neste início de jornada. Mas Seiren deixou bem claro e nítido que, muito do que por ventura vier à acontecer neste anime, se dará pela mente do citado rapaz, que se nega à parar de trabalhar. Os momentos sérios também existirão. Resta ver sobre aonde tudo isto chegará.

Aguardar é preciso...

Momentos...


Conversas - Tsunaki e Shoichi se esbaldaram de conversar neste episódio...



Quarto - quando uma garota entra no quarto de um rapaz e resolve "incomodá-lo" um pouco...



Fetiche - e o Shoichi deixou bem claro o que ele pensa à respeito dos pés da Tsuneki...



Provocações - o Shoichi parece passar por certas provações quando está junto da Tsuneki...



Interrogações - o momento mais icônico do episódio...


Seiren - Episódio #3
*** avaliação: 6,5 pontos de 10,0 possíveis ***


Decepção - a expressão da jovem Tsuneki, ao telefone, reflete um tanto do que ela pensou de seu período nos estudos nas férias...

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]

Conheça o autor do NETOIN!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - NETOIN! 2006-2017
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons