[Análises em Geral] Parte #92: uma iniciação para Marvel vs Capcom Infinite ~ NETOIN!

terça-feira, 13 de junho de 2017

[Análises em Geral] Parte #92: uma iniciação para Marvel vs Capcom Infinite


Momento de pancadaria...

Trailers liberados. Ideias ao ar. Os detentores de um PlayStation 4 puderam fazer o download da versão demo do mais novo crossover que unifica os universos Marvel e Capcom em um só. Mais precisamente, os mundos vindos diretamente das séries dos personagens combatentes Thor e Mega Man X, tal como elucida o primeiro ponto de combate e, basicamente, toda a versão de demonstração já citada deste jogo.

Nobre visitante, podes acreditar que os pontos positivos sobrepujaram os negativos nesta oportunidade. Contudo, e ainda assim, Marvel vs Capcom: Infinite clama por melhorias, embora algumas de tais não aparecerão no jogo em pauta. Até porque, boa parte destas está no visual de seu elenco que, em uma comparação com as aparições presentes em Ultimate Marvel vs Capcom 3, acabaram deixado a desejar em boa parte (personagens como a Chun Li e o Dante mostram bem isso).

Quanto à versão de demonstração em si, jogabilidade e história mostraram-se interessantes em uma medida acima da esperada. No que tange ao enredo, o grande vilão Ultron Sigma (junção de Ultron e Sigma) começou a demonstrar um tanto de seu incrível poder ao juntar os universos citados no primeiro parágrafo. E o andamento de suas ações, no que diz respeito à eliminar as formas de vida existentes e substituir todas por seres de aço, está correndo adiante com grande velocidade. Notoriamente, Thor e Mega Man X são os combatentes que mais sentiram tal ocorrência.


Capitã Marvel e a Chun Li.

A jogabilidade pôde ser testada por quem fez o download desta demonstração e, ao menos aparentemente, a aprovação parece ter sido da maioria dos jogadores. Este blogueiro apenas analisou brevemente os vídeos já presentes pela internet e, à partir dos mesmos, a conclusão acabou sendo a mesma da pretensa afirmação anterior. Apenas dois botões de soco e dois de chute estão disponíveis para a jogatina ser completa e viciante, ao mesmo passo no qual os botões L1 e R1 possuem a função de liberar o poder das jóias. Isso remete às funções básicas do clássico Marvel vs Capcom 2: New Age of Heroes. Mas a comparação com o mesmo para aí, pois os times são formados em duplas (assim como em Marvel vs Capcom: Clash of Super Heroes, o primeiro título desta série de crossover).

Cabe aqui um ponto curioso para ser dito. Ao acertar um golpe com o botão de soco fraco, e seguir repetindo o processo, automaticamente você irá desferir um combo completo. Por mais que seja óbvia a variação do mesmo para cada personagem, a verdade é que esta ideia veio remotamente do modo easy de game presente justamente no primeiro Marvel vs Capcom (e em outros games "versus" como Marvel Super Heroes vs Street Fighter). Além disto, este diferencial poderá facilmente dividir a opinião entre os jogadores deste título, muito embora não deixe de ser uma interessante ferramenta de uso durante o combate.

Chamar o parceiro para luta, ou trocar para tal durante o embate, promete ser outro ponto de atenção. Isto porque o personagem poderá chegar já desferindo os seus golpes, de maneira bem interessante. Trata-se de um recurso similar ao que existia no game anterior desta série versus, o qual era usado no complemento dos combos aéreos. Desta vez, basta chamar pelo parceiro de time para a pancadaria se fazer presente em grande estilo. Julgando unicamente pelos vídeos, o tempo de recuperação do adversário será mínimo para tanto.


 Mais apresentações de equipe.

Esta versão de demonstração, dedicada unicamente ao modo estória do jogo (a nomenclatura é esta no mesmo), encerra-se após você enfrentar o Ultron Sigma com a dupla Thor e Spencer. Tal embate existe para que a derrota lhe apareça de maneira inapelável e proposital, não havendo nada para se estranhar neste sentido. Como um tipo de bônus, ver o Arthur desferindo indiretas sarcásticas para o Thor e o Iron Man é algo digno de boas risadas e/ou aplausos. Trata-se de um material que cumpre o seu papel (muito embora não haja a aparição do Ryu), mas que não esconde alguns pontos de interrogação quanto à Marvel vs Capcom: Infinite, em si.

O primeiro dele e mais direto (que já foi citado no início do post) diz respeito ao visual de vários dos seus personagens. A Chun Li e o Dante são exemplos muito diretos e, quem realmente avalia isto como um diferencial para o título em si, poderá acabar saindo bem decepcionado com o que verá. Em um segundo momento espera-se que a Capcom repense sabiamente o aspecto do balanceamento dos combatentes pois, por mais que Marvel vs Capcom 3 tenha se saído melhor do que Marvel vs Capcom 2 nisto, ainda assim tais vícios deste aspecto eram perceptíveis e bem presentes. Por fim está a importante questão sobre o elenco final que estará presente no jogo, sendo este um ponto que tem rendido muita desavença e críticas, desde o último mês de maio, pela internet afora.

Basta aqui recordar-se de que, para ter personagens de universos como X-Men e Quarteto Fantástico neste jogo, a Capcom terá de trilhar um difícil caminho para tanto (uma vez que os direitos de uso dos mesmos não estão limitados à Marvel unicamente). Existe a possibilidade de alguns integrantes de tais universos fazerem parte deste Marvel vs Capcom como DLCs. Além disto, até o momento não houveram grandes mudanças com relação ao roll disponível em Marvel vs Capcom 3, sendo este outro fator que tem irritado boa parte dos jogadores.

Comandos básicos do jogo (em português).

Indo um pouco além de tudo que já apareceu neste post, um novo vídeo com gameplay se fez presente recentemente, apresentando mais personagens jogáveis, estando entre eles estão Thanos e Zero. O primeiro voltando desde sua primeira e última aparição nesta série versus (em Marvel vs Capcom 2). Por sua vez, o segundo já estava presente em Marvel vs Capcom 3 e agora voltará às lutas com alguns novos golpes. Trata-se de um material bem interessante e que você poderá acessar ao final deste post, nobre visitante (junto ao vídeo com a versão de demonstração do jogo).

Ao final do todo, Marvel vs Capcom: Infinite ainda guarda consigo mais dúvidas do que afirmações. Entretanto, e felizmente, esta versão liberada para download acabou mostrando que o título segue por um caminho bem interessante no que tange à sua jogabilidade. É bem verdade que a jogatina na mesma não passa dos vinte e dois minutos de duração, mas ainda assim é algo bem chamativo e interessante.

Assim que alguma novidade aparecer sobre o jogo, o NETOIN! buscará estar em dia com a mesma, visando aqui apresentá-la para você.

Aguardar é preciso...

Momentos
Clique nas imagens para vê-las em tamanho real





"Imagens da versão para demonstração..."






 "Sobre o mais recente gameplay..."


Vídeos de Marvel vs Capcom: Infinite


"O Chris está com muita vontade de adentrar ao combate..."

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]

Conheça o autor do NETOIN!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

  • 0Blogger
  • Disqus

Deixe o seu comentário

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre este texto do NETOIN!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as ideias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!

comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - NETOIN! 2006-2017
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons