[Fim de Temporada] Inuyashiki ~ Netoin!

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

[Fim de Temporada] Inuyashiki


Significados e mais...

O ano de 2017 pode não ter sido tão representativo no campo dos animes, tal como foi 2016, mas não foi ruim ou um desastre. Bons animes apareceram nesta leva, visando a apreciação da parte do fandom. E mesmo quando se fala de tais obras, existe uma separação em grupos em que elas devem ser enquadradas. No caso em específico de Inuyashiki, pode-se aqui ressaltar que o anime poderia ter saído muito melhor do que acabou sendo, mas que ainda assim teve seus bons pontos de análise.

A história deste anime, de certa forma, contempla ideias básicas que ousaram ser trabalhadas em um tipo de espectro mais sério, ao menos em tentativa. Para algumas pessoas isto acabou funcionando muito bem, enquanto que para outras sobressaíram-se os pontos negativos deixados pela obra. Este post, nobre visitante, visará mostrar exatamente estes dois extremos com os quais Inuyashiki teve de se desdobrar, no decorrer dos seus onze episódios.

Algo que merece ser considerado de antemão está na figura da dupla de protagonistas deste anime. Embora separados pela idade, ambos os personagens estavam vivenciando um momento extremamente parecido em seus cotidianos, no qual reinava a falta de explanação sobre a razão pela qual eles estavam ali no mundo. Trata-se de um questionamento demasiadamente comum na realidade que vos cerca, diferenciado unicamente pelo tratamento dado para cada caso.

Um deles era um senhor de nome Inuyashiki Ichirou, cujo semblante bastante cansado fazia um tipo de contrapeso com a idade que ele ostentava (aparentava ser bem mais velho do que realmente era). Era uma pessoa que criou uma família, com esposa e um casal de filhos, que não mais sabia o que era ter a felicidade, ou sequer uma razão para continuar vivendo. Ser ignorado pelos seus entes queridos aparentava ser a sua sina, onde um cão acabou sendo seu motivo de alegria por algum tempo.

Inuyashiki Ichirou e Shishigami Hiro, os protagonistas do anime.

O outro protagonista era bem mais jovem, mas que tinha uma existência tão "vazia" quanto a do personagem anteriormente citado. Desta vez fala-se do Shishigami Hiro, um rapaz que definitivamente não via graça no mundo, cuja afeição familiar resumia-se à sua mãe (quer era também uma vítima das circunstâncias que a vida havia lhe deixado). Porém, o passar do tempo foi lhe promovendo afeição por certas ações cuja sociedade define como antiética e, doravante à isto, até criminosas.

Estes dois protagonistas tiveram as suas vidas mudadas, de certa forma, após a morte dos mesmos. Em um projeto de ficção para causar impacto, ambos estavam em um parque da cidade durante a noite e uma nave interplanetária acabou fazendo ali um pouso forçado, acabando com a existência deles. Os alienígenas, com sentimento de culpa, acabaram trazendo Ichirou e Hiro de volta à vida, mas não exatamente como eles eram. Deste ponto em diante, estes dois personagens passariam à experimentar um novo modal de existência, cujo corpo humano nada mais seria do que uma carcaça para uma verdadeira máquina em seu interior que, provida pela alta tecnologia alienígena, poderia fazer com que eles até destruíssem a Terra se assim desejassem.

Note, visitante, que o "tocante" do enredo começou a ser feito no ponto citado mais acima, no qual a ficção tentou traçar uma ligação com a realidade (no ponto de vista deste humilde blogueiro). Tanto o senhor vivido quanto a jovem pessoa, mesmo que não tenham percebido de imediato, poderiam enfim dar um rumo às suas próprias vidas. O livre arbítrio tomou forma e consciência, mas de uma maneira muito mais frenética (e de certa forma poderosa) que este blogueiro imaginava que poderia ocorrer, obviamente com influência mais do que esperada pelos incríveis dons que agora pertenciam à eles.

Com base em tudo que foi descrito nos parágrafos anteriores, fica fácil imaginar qual foi o rumo que este anime adotou para seu pronto andamento. O caminho percorrido envolveu tramas de velocidades distintas (mesmo para um anime com tão curta duração), situações que por vezes penaram por terem sido trabalhadas de maneira um tanto quanto superficial, mas que cumpriu com méritos o fato de terem prendido a atenção do fandom, ao nível das divergências opinativas pela internet afora terem ficado entre as maiores da comunidade animística de 2017.

Faces corriqueiras no anime.

Inuyashiki começou a se lançar no propósito de demonstrar, simbolicamente, que a vida tem de ser aproveitada a cada instante, usando das motivações de seus protagonistas para exemplificar da maneira mais clara possível este ideal. O ganho dos dons que poderiam trazer a salvação ou a destruição nada mais era, na verdade, do que a ponta de um profundo e robusto iceberg. Isto se deu em razão, justamente, do Ichirou e do Hiro terem seguido por caminhos opostos mas que, no momento oportuno, haveriam de se encontrar e desencadear um tipo de ajuste para tentar definir quem ali iria prevalecer com os seus ideais pessoais. Basta recordar que ambos não tinham mais um rumo para as próprias existências, o que já demonstra um sinal de alerta para futuras consequências.

Enquanto o Ichirou buscou curar pessoas e animais, tentando promover a bondade por onde andava, o Hiro começou a bancar o assassino em série, inicialmente aparentando não ter uma "razão forte" para tanto. Um amigo deste rapaz, chamado Andou Naoyuki, acabou servindo como um elo indireto entre os dois protagonistas, graças as ações iniciais com o Hiro e as finais ao lado do Ichirou. Inuyashiki Mari, a filha mais velha do senhor protagonista, era o pilar de sustentação familiar de tal personagem com o passado, no qual sua rebenta lhe promovia ampla felicidade quando era mais criança.

No meio disto tudo, Inuyashiki começou a mostrar também alguns apelos sobre a frieza da sociedade japonesa (isto aos olhos do anime). A cada evento no qual haviam salvações milagrosas, as mensagens eram de inesperados milagres ocorrendo. Quando o assunto mudava para as constantes mortes, o cenário mudava para algo como o dito "enquanto não atingir à mim estará tudo bem". Watanabe Shion, uma jovem que desenvolvera um carinhoso sentimento pelo Hiro, seria o pilar do citado protagonista para uma mudança na conduta do mesmo, especialmente após a morte da mãe dele. Entre as mais variadas ocorrências, o ódio do Hiro desencadeou sua declaração de guerra pessoal contra todo o Japão, ao mesmo tempo no qual o Ichirou começou a ser observado à distância por alguém de seu laço familiar direto.

Provavelmente, as ações que o anime tentou desenvolver em paralelo pelos protagonistas (em influência direta na sociedade que os rodeava) não teve o andamento (e notoriamente o resultado) que o fandom buscava, no âmago da história até então mostrada. Minha pessoa deve aqui ressaltar que não foram poucos os momentos nos quais se via perdido em tentar compreender aquilo que a obra tentava mostrar, ao mesmo tempo no qual certos eventos faziam com que o emocional vesse à tona com extremo rigor. Os dois episódios finais do anime, para este humilde blogueiro, acabaram selando positivamente o destino da obra em si, com o desfecho no qual ambos os protagonistas conseguiram buscar uma definição para as próprias existências, com o adendo da eminência da humanidade ser aniquilada por um meteoro em rota de colisão com a Terra.

 "Objetivos de vida".

Tecnicamente, Inuyashiki foi um anime que abusou de mostrar altos e baixos. Em poucos minutos, era possível notar o capricho visual e um trabalho feito bem às pressas, de maneira paralela, que por instantes parecia beirar a surrealidade. Ainda assim, o estúdio MAPPA acabou fazendo um bom trabalho, sendo que muita desta avaliação final se deveu a sua ótima abertura (com a música "My Hero" do grupo MAN WITH A MISSION) e trilha sonora condizente com a ambientação do anime. A performance da equipe de dublagem é outro ponto de destaque aqui, mais pela divisão e mudança opinativa do que qualquer outra coisa. A minha pessoa, nos primeiros episódios, não julgou as vozes dos protagonistas como sendo as ideais para os mesmos mas, com o andar do anime, veio o costume e este efeito negativo acabou normalizando-se.

Nobre visitante, ao assistir este anime, você certamente deverá estar preparado para muitas conotações para os campos científico e religioso (mesmo que esta segunda não seja citada diretamente pela obra). As ações levadas adiante pelas figuras do Hiro e (principalmente) do Ichirou, enfaticamente, muito contribuíram para se chegar a isto. Até mesmo pontas de humor e sarcasmo se fizeram presentes em Inuyashiki, com direito ao presidente da nação que detém a maior economia da Terra ter falado ao povo do mundo de uma maneira "verdadeira até demais".

Honestamente, este humilde blogueiro gostou de ter acompanhado Inuyashiki, visitante. Houve espaço tanto para momentos de fúria como também para lágrimas descendo pelo rosto. Contudo, o anime teve seus pontos falhos (por vezes grotescos), que foram citados no post mas que, estranhamente, acabaram não atrapalhando massivamente a experiência ao se assistir este título.

Desta maneira, o Netoin! faz uma recomendação positiva para que Inuyashiki seja assistido. Longe de marcar época, ser um marco ou de sequer ser listado na lista dos dez melhores animes de 2017, esta obra merece atenção por instigar o raciocínio sobre cada um dos seus eventos. Isto sem mencionar a conduta dos protagonistas que, aos próprios modos, tentou mostrar que a vida é apenas uma e que ela tem de ser aproveitada amplamente.

Isto é Inuyashiki...

Momentos...
Clique nas imagens para vê-las em tamanho real...



"Descobrindo o poder..."


"Shishigami e um de seus momentos de ação fria no anime..."



"Ação e reação..."


"Faces da esperança, parte um. Por Watanabe Shion..."



"Um combate inolvidável..."


"Faces da esperança, parte dois. Pela família Inuyashiki..."


"Um anúncio inusitado..."



"Definições..."


Inuyashiki
Estúdio: MAPPA (adaptação do mangá)
Temporada: outubro'2017  /  Total de episódios: 11

* avaliação final: 6.5 pontos de 10.0 possíveis *


"Enfim, o senhor Inuyashiki Ichirou encontrou um propósito para a sua existência..."

Até a próxima!

O Netoin! está com você, no Facebook e no Twitter

[ #netoin11anos ]


Conheça o autor do Netoin!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

  • 0Blogger
  • Disqus

Deixe o seu comentário

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre este texto do NETOIN!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as ideias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!

comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - Netoin! 2006-2018 (ano 11)
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons