Em pauta!

quarta-feira, junho 02, 2021

Kyoudai Podcast #147 e as séries em OVAs!


Épocas passadas que movem moinhos...

O Kyoudai Podcast chegou a sua centésima quadragésima sétima edição, nobre visitante. Sendo integrante do projeto Iniciativa Kyoudai, ao lado do coirmão Toonime, o trabalho acústico da vez resolveu lhe brindar com uma temática que, tanto é um convite de retorno ao passado, como também vem a servir de perspectiva para o futuro da animação japonesa.

Com base no descrito acima, fique à par de que todas as conversações foram sobre séries de animes em OVAs. Na época dos vídeo cassetes e até o início dos aparelhos em LD, VCD e DVD, os OVAs (em inglês: original video animation) tiveram uma grande importância para a indústria da animação japonesa e que, agora, serviu como escopo central das trocas opinativas deste podcast.

Quatro participantes se fizeram presentes, cuja liderança coube - tradicionalmente - mais uma vez ao nobre Evilásio, que embarcou em uma viagem para um OVA de 2007 com troca de corpos. A jovem Raphaella foi também para o mesmo ano já citado, mas com uma obra que leva a assinatura do grupo CLAMP. A Joana foi a que menos viajou pelo tempo, mas ainda assim trouxe uma ótima escolha animística para ser comentada. Por fim a minha humilde pessoa, que fez a mais distante viagem no tempo para trazer, de quebra, o anime mais tranquilo e calmo deste podcast.

A vigésima sexta edição da seção Recadinhos do Padrinho, enfim, foi ao ar e com muita satisfação. Uma boa seleção de blogs a serem visitados estão desde agora no seu aguardo, nobre visitante.

E assim se seguiu...


Kyoudai Podcast #147 e as séries em OVAs! (via YouTube)
clique aqui para acessar

Acompanhando o podcast
00:00 - apresentações e introdução
05:14 - comentários do Kyoudai Podcast #146
40:36 - explanação do tema
40:58 - indicação do Evilásio
51:40 - indicação da Raphaella
01:25:32 - indicação do Carlírio
01:37:50 - indicação da Joana
01:50:32 - demais citações
02:06:45 - Recadinhos do Padrinho #26
02:19:45 - considerações finais


Blogs participantes deste podcast
Animecote  /  Elfen Lied Brasil  /  Netoin!  /  Yopinando

Blogs indicados no Recadinhos do Padrinho #26
Anime 21  /  Casa do Boneco Mecânico  /  Kono - Ai - Setsu

Chat do Yopinando no Discord
clique aqui para acessar

Página no canal do Netoin!, com todas as edições do Kyoudai Podcast
acesse-a ao clicar aqui

Até a próxima!

O Netoin! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in Netoin! ]

4 comentários:

  1. Insubstituível padrinho , você cumpriu a promessa e voltou os recadinhos do padrinho , com as breves participações da Chikorita , aqui comentarei sobre os ovas de Rayearth , são muito bons , qualidade da animações está show , a história é alternativa ao do mangá / anime , se passa basicamente na terra , gostei vale a pena !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações

      Seu comentário será lido e respondido no KP148, nobre Ismael.

      Até mais!

      Excluir
  2. E aí Padrinho, estamos ao vivo neste junho totalmente esportivo? kkk

    “(...) não costumo muito ver animes em formato de OVAS. Não sei dizer porque, mas normalmente é porque imagino que a maioria não tem muita coisa a adicionar a história do anime” -> eu ACHO que pelo animes atuais tendo a concordar com a angel chan. Geralmente, caso algum fansub faça, eu sempre tento pegar os OVAs dos animes que assisto, mas creio que apesar de ter alguma coisa minimamente interessante nos OVAs dos animes atuais (e por "atuais" leia-se 2010 para cá), seja pelo lado cômico ou seja por impactar mais diretamente a história, acho que o ponto maior para um OVA ser feito atualmente é o lado financeiro.

    Além das explanações acerca do conceito básico e original dos OVAs, acho que faltou dizer que os OVAs também eram uma fonte/porta de entrada para certas animações que eram mais pesadas (para maiores de 18), sejam no quesito violência, sejam no quesito sensualidade, como Teizokurei Daydream, e os clássicos Agent Aika, Genocyber, MD Geist, Golden Boy e Bastard!! (esse último que eu até hoje não entendo como ainda não teve uma série animada).

    No fim das contas fui ver a lista de OVAs que já assisti e a maioria dos mais ou menos 60 títulos é tudo coisa original e antiga, principalmente dos anos 90 e anos 2000. E creio que os mais recentes, em termos de lançamento, foram os OVAs de Deadman Wonderland e Oretachi ni Tsubasa wa Nai, ambos de 2011.

    Go to DMC! Tenho que ver o Krauser-sama e a Krauser-tan de novo!! \o/

    E sobre uma coisa que você falou nos Recadinhos do Padrinho, realmente é algo 100% verdade, uma pena que as pessoas estão lendo cada vez menos, isso é ruim para a sociedade de maneira geral. Isso inclusive interfere na qualidade da escrita geral do povo...
    Eu também tenho me atentado a essa questão de posts curtos. Tenho tentado trabalhar com 5, 6 parágrafos por post, além de um parágrafo introdutório e/ou sinopse. Meu post sobre Jujutsu passou um pouco dessa média (mas com alguns parágrafos bem curtos), mas fiquei satisfeito com o resultado e é isso que, sem ser arrogante, mais importa no fim das contas, estou certo? Pois se você escreve, faz uma parada com amor e carinho e no fim não fica satisfeito, de que adianta publicar aquilo?

    E para recomendar um OVA ao pessoal em geral, sigo a recomendação que eu mesmo fiz à JoJo no KP143: Hanbun no Tsuki ga Noboru Sora. 6 episódios, história fechadinha, quando se der conta já acabou.

    Mais um bom podcast! =D

    Abraços do Sennaffogo e até o próximo KP! o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações

      Seu comentário será lido e respondido no KP148, caro Sennaffogo.

      Até mais!

      Excluir

Dê a sua opinião sobre este texto do Netoin!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as ideias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Apenas uma observação deve ser feita, pois não será admitida nenhuma forma de spam.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!