Coppelion - Episódio #2: do anti-clímax ao drama... ~ Netoin!

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Coppelion - Episódio #2: do anti-clímax ao drama...

O logo do anime.

Anti-clímax seguido de drama...

O início do segundo episódio de Coppelion entristeceu um tanto, sendo esta uma observação muito negativa. O clímax gerado no final do capítulo anterior dava à entender, em uma possível premissa, que haveria toda uma jornada para encontrar a Taeko que, à princípio, devia estar com a sua vida em perigo. De certa forma ela estava, mas o processo decepcionou um pouco.

As circunstâncias mostraram um homem atônito, sem rumo, buscando encontrar a sua filha desaparecida naquela Tóquio lotada de poderosa radiação. Taeko era sua refém. A Ibara agiu rapidamente, tanto quanto a outra moça também fizera a ação. Assistindo à tudo, a Ako nada fez e apenas visualizou uma amiga sendo libertada de tal homem para, na sequência, cuidar do animal ferido.

Talvez isto possa ser chamado de anti-clímax, um efeito que raramente é revertido em algo positivo. No episódio em análise, o mesmo durou menos de dois minutos, sendo este um período mais que suficiente para se colocar em xeque como se daria o prosseguimento do episódio. Por sorte, a sequência veio recheada de rápidas explicações e por um pequeno drama familiar.

A proposta esteve centrada na sobrevivência de um casal. Para o homem, era um novo casamento. Para a mulher, a chance de ter uma nova vida. E entre eles havia um acriança de nome Miku, que era filha do homem com sua anterior mulher (que havia morrido). Uma família que tentava viver em uma Tóquio arrasada pelas circunstâncias da ciência humana.

Na luta pela sobrevivência, o desespero aparece...

A criança estava desaparecida. Seu pai, acompanhando a Ibara e a Taeko, foram em busca da menina. A Ako ficou com a mulher em residência. Momento de angústia, pois a senhora falara coisas de seu passado para ela, mais especificamente sobre um crime por ela cometido com o seu filho recém-nascido. Uma triste história, a qual a Ako tentou abraçar, não antes de explicar para a mulher que ela (mais as suas duas amigas) não possuíam pais e que haviam sido criadas geneticamente em laboratório. Isto pode, de alguma forma, evidenciar muita coisa acerca do anime. A mulher, então, desaparecera e um momento oportuno.

Na busca, a dispersão. Com tal fato, a Ibara acabou encontrando a mulher que havia deixado a Ako para trás. E também a pequena Miku. A senhora falava em liberdade, viver sem regras, mesmo em um lugar desolado como aquele. Ela tinha noção de que, saindo de Tóquio, seria presa pelo seu crime do passado. Ofendeu a Ibara com algumas verdades, a fazendo chorar com tal fato. A tempestade puniu o momento, pois a edificação já estava inclinada e era questão de tempo para ruir. O resto é história.

Sendo extremamente franco, Coppelion conseguiu se salvar no segundo episódio. O mesmo havia começado de uma maneira que, para a minha pessoa, mostrou-se muito abrupta e ineficaz, o que facilmente poderia reduzir as esperanças sobre a sequência de tal capítulo. Entretanto, o anime conseguiu sobressair-se um tanto, após mostrar o pequeno drama de uma família que tentava sobreviver em meio aquele caos que um dia foi Tóquio. Ponto positivo para a atuação da Ibara, que foi a personagem de grande expressão deste capítulo do anime. Fica em mente, por agora, se mais algum episódio iniciar assim o que será da sequência do mesmo (difícil imaginar que sempre haverá uma solução para tudo).

E sim, Coppelion explicou o básico sobre as meninas. Elas são um experimento, fato este já esperado. Mas falta algo. Espera-se que isto venha à ser pauta mais adiante. No mais, o próximo episódio continuará mostrando algumas coisas inesperadas para as três jovens em tão importante missão. Aguardar é preciso.

Momentos...


Abertura - A sequência e o tema musical se fizeram presentes neste episódio. E pode-se aqui ressaltar que a abertura do anime acabou entregando um pouco de seu enredo...


Ferimento - O aninam estava ferido no chão. Foi vítima de um tiro. O autor de tal disparo foi uma pessoa muito desesperada, que estava atrás de alguém muito especial para si...


Desespero - O pai chora de forma desolada, suplicando para que as três garotas o ajudem a procurar por sua filha, Miku. Mas algo está muito errado nesta história...


Confissão - A mulher confessou um crime que havia cometido no seu passado, referente ao próprio rebento. Questionou a Aoi sobre sua idade e família. As verdades que a moça respondeu parecem não ter refletido muito na senhora...


Abraço - Isto até a senhora se sentir comovida ao ponto de querer abraçar a Aoi. A chamada, no caso, foi para o despertar de um sentimento, uma emoção do momento, ou minimamente para ter uma chance de algo fazer...


Comoção - Após uma boa caminhada, a Ibara chegou até uma construção inclinada (pronta para desmoronar). Lá encontrou aquela senhora e a pequena criança, Miku. Mas a dita senhora disse umas coisas que não caíram muito bem para a Ibara, que a respondeu enquanto lacrimejava...


Salvamento - Tempestade. Trovões. Raios. Uma senhora desesperada. Uma jovem em missão desesperada. Uma vida em risco. Ninguém nada podia fazer, a não ser...


Reflexão - As três garotas, mais o Kyoto, estavam atônitos. Mais havia mais uma pessoa ainda para ser resgatada, além da pequena Miku. Este era o pai dela, que havia sumido das vistas de Ibara e Taeko...


Negação - O homem não queria ser salvo. Sua vida estava entregue, muito embora ele ainda pudesse sobreviver. Não queria que sua filha a visse naquele estado. Momento de comoção no episódio...


Jornada - Para o trio Ibara, Taeko e Aoi, a jornada em Tóquio continua. À partir de agora, a premissa é de que mais sobreviventes apareçam. Talvez existam. Elas desconhecem o que está a espera delas...

Até a próxima, visitante!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]


O autor do NETOIN! é...
Carlírio Neto Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade deste humilde blogueiro. Veja um pouco mais sobre o autor do blog NETOIN!aqui.

  • 5Blogger
  • Disqus

5 Comentários

  1. Particularmente, estou gostando bastante de Coppelion. Acredito que, até o momento, ao lado de White Album 2, é a série que mais estou apreciando nesta temporada. A animação me atraiu bastante, por algum motivo. Infelizmente (ou não, prefiro aguardar por surpresas) não peguei as referências das tramas futuras na opening, mas a achei uma opening bem decente.

    Só uma coisa que me deixa encucado - e que provavelmente não haverá resposta: se a intenção era criar pessoas geneticamente modificadas para poderem explorar a cidade contaminada, porquê diabos criariam garotas, ao invés de garotos, considerando que obviamente teriam um porte físico melhor? Espero que haja realmente uma resposta para isso, e não apenas adaptação pra público alvo..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações


      O que espero de Coppelion é o desenvolvimento mais honesto possível de sua trama, o que me deixaria muito contente por si mesmo...

      E no geral, posso aqui dizer que o anime é também de meu agrado, jovem Eduardo.


      Até mais!

      Excluir
  2. Olá, Carlírio.

    Antes de mais nada, perdão a demora em comentar o post de Railgun S ou até mesmo este, é que esta semana está complicada por conta de reuniões importantes no trabalho e excesso de trabalhinhos da facul, mas sempre que puder passarei por aqui em pelo menos um post para prestigiar ^^

    Quanto a Coppelion, eu gostei bastante deste segundo episódio, o achei bem mais dinâmico que o anterior não dando sonolência em minha pessoa e apesar do anti-clímax, gostei da história apresentada por conseguir comover as protagonistas e fazer quem assistia refletir sobre muitas coisas, inclusive o fato que as meninas nem sempre vão conseguir salvar as pessoas! Um belo tapa na cara delas e de toda sociedade! Logo no segundo episódio uma tragédia? Deixa a gente respirar um pouco, vamos com calma! XDDDD

    No mais, adorei o post, falou praticamente tudo que pensei \o/ Omedetou!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações


      Feliz que esteja curtindo os posts, amiga Nayara.
      Espero que os próximos possam ser igualmente de vosso agrado.^^


      Até mais!

      Excluir
  3. Eu achei ridículo esse episódio. Drama mal feita, trilha sonora muito ruim pra algumas cenas, como o da Ibara chorando no fim, e o pai quis morrer de graça...entre outras coisas. E não concordo que seria legal "uma jornada para encontrar a Taeko". A história com um potencial enorme entraria numa linha totalmente rasa, como "vamo salvar nossa amiga", além de tudo, salvar de um lobo.

    O problema desse episódio foi a dramatização fraca, como motivos fracos e a trilha sonora deixou mais fraco ainda. talvez esse tenha sido todo o problema do episódio: trilha sonora broxante.

    ResponderExcluir

Dê a sua opinião sobre este texto do NETOIN!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as ideias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!

comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - Netoin! 2006-2017
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons