[Fim de Temporada] Hai to Gensou no Grimgar ~ Netoin!

segunda-feira, 28 de março de 2016

[Fim de Temporada] Hai to Gensou no Grimgar

A chamada da vez.
Uma aventura cheia de niveladores...

Nobre visitante, muitos são os animes que tem usado de uma certa inspiração para terem um ponto inicial e, em diversas ocasiões, usar do mesmo como alicerce de seus eventos. Uma aventura similar a um RPG não é algo tão diferenciado atualmente, mas tende a chamar a atenção com irrefutável facilidade, justamente pelo poder de prender a atenção que uma jornada deste porte possui. E na temporada que está se findando, seguramente Hai to Gensou no Grimgar entra em tal grupo com sua própria categoria.

Para a minha pessoa, assistir a Grimgar teve o mesmo impacto visual de quase dezesseis anos atrás quando, na época do saudoso PlayStation, as tardes e algumas noites eram destinadas por este humilde blogueiro a se aventurar por um jogo primoroso chamada Seiken Densetsu: The Legend of Mana. Em tal RPG de ação, você controlava seus personagens em meio aos seus cenários desenhados e pintados à mão, fazendo com que o visual extremamente belo e convidativo servisse como "cartão de visitas" para o jogo em si. Curiosamente, o anime que serve de pauta para este post teve as características técnicas totalmente similares à do jogo citado.

No universo de Grimgar, seis jovens aventureiros acabaram adentrando a este enigmático mundo sem um aviso prévio. Buscar a interação, compreensão mútua e a melhora de suas capacidades em batalha eram os fatores de importância especial para este grupo, que tinha na figura do Manato o líder em excelência e paciência. Sequencialmente aparece o jovem Haruhiro, que estava sempre inundado por dúvidas e temores em sua mente e coração. O Moguzo poder ser considerado o mais centrado do grupo, sempre com a voz calma e paliativa mesmo em combate. Servindo inicialmente como um tipo de "mala sem alça", o Ranta teve um dos crescimentos mais expressivos dentro do anime. A jovem Shihoru, quieta e tímida na maior parte do tempo, buscou vencer as próprias limitações sociais para seguir adiante. Por sua vez, a Yume (que adorava mostrar seus pés nos momentos de descanso) tentava se descontrair sempre que possível, além de mostrar o que sentia da maneira (sempre) mais difícil.

Os primeiros inimigos deram muito trabalho aos jovens aventureiros...
O sexteto citado no parágrafo acima teve de suportar as mais variadas provações durante a jornada que se desenrolava. Paralelamente à isto, as diferenças de opiniões e os modos de ver cada situação chegaram a gerar certos conflitos internos, especialmente entre a Yume e o Ranta. No papel de líder, o Manato sempre buscou dar ênfase à convivência e, aos poucos, foi trabalhando este aspecto no grupo (por mais que ninguém notasse a diferença que ocorria gradualmente, para a melhor). Infelizmente, um dos momentos mais tristes do anime acabou acometendo a liderança destes seis aventureiros e, com isso, personagens como o Haruhiro acabaram sentindo uma pressão terrível dentro de si. Aparentemente, a jornada dava sérios indícios de estar se encerrando naquela ocasião.

A chegada da Mary (Merry) auxiliou a aumentar a expectativa pela derrocada do grupo, ao menos no início de suas investidas sérias e até frias, socialmente falando. Contudo, o que acabou ocorrendo aos poucos foi o exato efeito contrário ao citado, e assim um novo e forte sexteto nasceu, onde o Haruhiro era o novo líder (mesmo com seus conflitos internos sempre na crescente, em especial nas comparações que o próprios e fazia com o Manato). Novos e poderosos inimigos surgiram, o grupo melhorou as suas especialidades em batalha e, até o último momento de Grimgar, o que se notou foi um desenvolvimento bem-vindo dos personagens, por mais que o mesmo tenha sido sob uma lenta e tortuosa velocidade.

Infelizmente, justamente naquilo que o anime não poderia ter falhado é que aconteceu a maior baixa para a obra em si. O enredo acabou sendo conduzido de uma maneira extremamente lenta. Todo e qualquer evento deste título sucumbiu a vagarosidade com que foi trabalhado, mesmo nos eventos cuja a rapidez era (teoricamente) a solução mais sólida para tais. Além disto, a história do anime não teve nenhum ponto de real aprofundamento, por mais que tenham existido os momentos cujos sentimentos humanos foram testados de maneira cruel, podendo levar às lágrimas com certa facilidade. Se tais características tão primordiais tivessem recebido um direcionamento mais condizente, a obra em pauta poderia figurar entre as melhores da temporada de janeiro'2016 com muito mérito.

Houve uma evolução no elenco, mesmo que um pouco tardia...
Porém, Grimgar merece ser aplaudido de pé no que diz respeito a sua parte técnica. Seja ela na esfera visual ou sonora, a obra sobressaiu-se com muita força e merecimento. Como já foi citado no início do post, a arte do anime não tem um ponto que possa ser destacado de maneira negativa e, acusticamente, as músicas presentes durante esta aventura serviram muito bem à causa (indo muito além dos temas de abertura e de encerramento que, por si, foram ótimos). É bem verdade que, por volta do sexto episódio, esta obra apresentou um frame de animação que certamente entra como um pesado destaque negativo, mas soaria injusto transformar este ponto em algo que desestabilize a obra como um todo.

Nobre visitante, muito embora seja compreensível analisar as mais confrontantes opiniões que o anime já recebera pelo fandom ao redor do mundo (na qual a frase mais comum seria "amo odiar este anime" e similares), a minha pessoa lhe diz agora exatamente o contrário, uma vez que Grimgar serviu bem ao seu propósito como um anime que buscou, desde o início, mesclar elementos de ação e slice-of-life, contendo ainda momentos de profundidade sentimental e até de raiva em algumas ocasiões. Muito embora a execução tenha ficado muito distante da perfeição, pode-se aqui enfatizar que o trabalho apresentado foi justo.

Com base em tudo que foi descrito nos parágrafos acima, Grimgar faz por merecer uma recomendação positiva por parte do NETOIN!. A obra merece respaldo, mesmo ao se levar em consideração os pontos negativos que possuem, sim, importância e destaque. Haruhiro e companhia deixaram a sua marca e, por mais que uma segunda temporada soe mais como bem hipotética do que quaisquer outra coisa, as aventuras dos sete jovens citados teve a sua boa marca para ser aqui enfatizada.

A jornada seguirá...

Recordações...


Início - quando a jornada começou, a inexperiência era o fator em comum dos componentes do grupo...


Visual - no que diz respeito à ambientação e cenários, seguramente Grimgar foi um dos maiores nomes da temporada e, possivelmente, deverá ser um dos destaques de 2016 na citada categoria...


Sutileza - tudo era novidade no início da jornada...


Balanço - os momentos de forte tensão estiveram bem balanceados com os da mais profunda descontração, durante a exibição deste anime...




Artes - o capricho nos desenhos que apareceram durante o anime foram uma marca registrada, das mais positivas, dentre as presentes em Grimgar...


Perigo - o anime apresentou bons combates, em especial nos seus últimos quatro episódios...


Hai to Gensou no Grimgar
Temporada: janeiro'2016
Estúdio: A-1 Pictures  /  Total de episódios: 12

*** avaliação final do anime: 7,0 pontos de 10,0 possíveis ***


Aventura - a jornada não findou, mas sim clamou pelo seu prosseguimento...

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]


Conheça o autor do NETOIN!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

  • 6Blogger
  • Disqus

6 Comentários

  1. Olá
    Eu assisti Grimgar, e admito que de inicio reparei que era um anime de desenvolvimento lento, muitas pessoas criticaram ele devido esse fato, entretanto (felizmente) quis continuar assistindo por que, o jeito que eles agem como humanos de verdade foi o que me fez querer continuar, mostra o medo e as dificuldades de forma não forçada, e isso foi o que me fez ficar atualizando continuas vezes a página para ver se jpa tinha um novo episódio, e assim que assisti o ultimo episódio da Season 1, eu me alegrei, valeu completamente a pena ter acompanhado esse anime.
    E eu concordo, os últimos capítulos foram emocionantes, tanto nas lutas como no sentimento que eles transpassavam, as musicas de encerramento como de abertura (e as do meio de combate) achei todas muito boas.
    Eu que desenho, pude notar também, as artes desse anime foram muito bem feitas (Os personagens no Mangá são um tanto diferentes) mas, sinceramente, como opinião própria, ficaram muito melhores no Anime.
    Em resumo, Anime muito bom, os erros que passaram por minha vista, não os achei pesados, vale completamente a pena ver esse anime, espero que saia o quanto antes a Season 2 desse anime rsrsrs
    Bom trabalho NETOIN, o texto foi uma ótima leitura!!! hehehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações


      Nobre Jhow, suas palavras sobre o anime foram bem sensatas e objetivas. É bem verdade que o ritmo da obra é lento demais, mas isso não atrapalha demasiadamente a experiência que o anime oferece. Com justiça.

      Tu desenha? Isso é ótimo, rapaz. Uma qualidade que eu gostaria de desenvolver melhor é esta.

      Fico agradecido por vossas palavras.


      Até mais!

      Excluir
  2. Olá, você acha q vai ter 2 temporada? esse anime é um dos melhores q eu já vi. gosto demais desse tipo de anime e parar com 12 episodios seria mesmo uma pena...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações


      Igual à ti, nobre, também gostei muito desta obra. Achei a mesma muito cativante e bela demais aos olhos.

      Contudo, no que tange a uma segunda temporada, está tudo muito incerto. Mas vamos aguardar por novidades sobre isto.

      Grato por sua visita e comentário, nobre.


      Até mais!

      Excluir
  3. Eu também achei este anime extremamente parecido com o jogo Legend of Mana, a todo momento me lembrava do jogo, nos cenários tanto da cidade como os da floresta, a cidade Damuro, a caverna, inimigos, os personagens, só por conta disso pra foi um dos melhores animes que já vi, por causa desta nostalgia que me passou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações


      Nobre, o "efeito nostalgia" que este anime causou foi simplesmente soberbo, verdade seja aqui dita.

      Achei esta obra de grande estima e valor.


      Até mais!

      Excluir

Dê a sua opinião sobre este texto do NETOIN!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as ideias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!

comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - Netoin! 2006-2017
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons