Dois momentos e duas visões se fazem presentes em Da Capo ~ Netoin!

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Dois momentos e duas visões se fazem presentes em Da Capo

Da Capo.

Animes baseados em visual novels são comuns de serem lançados. Vários títulos conseguem alcançar um respeitável sucesso onde, dentro deste grupo, há aqueles que ainda se consolidam em um patamar acima dos demais. Outros títulos acabam não tendo relativo prestígio tendo, inclusive, um grupo dentro deste formado por animes que se perderam neles mesmos...

Por sinal, muitas características e circunstâncias se fazem presentes em tais animes. Ao ponto de poder generalizar é sabido enfatizar a presença de gêneros como o romance, o drama e o slice-of-life, acompanhados por diferenciadas ramificações estando, entre elas, o ecchi e a relação propriamente dita.

A review do momento pegará um pouco destes tópicos citados mais acima ( com exceção de um ou outro ). Trata-se de um anime exibido em 2003, proveniente de uma visual novel que, certamente, deixou a sua marca e cativou à muitos.

Amigo visitante, esteja convidado para conhecer um pouco sobre o anime Da Capo, uma obra que deixou a sua marca e que se faz perpetuar nos dias mais atuais.

Iniciando a história...

Junichi e Nemu: os irmãos Asakura.

Existe uma ilha no arquipélago japonês que possui seus encantos naturais. Neste lugar, as cerejeiras ( árvores mais do que tradicionais para os japoneses ) nunca morrem. A razão para este fato está em uma enorme cerejeira, situada em meio à tantas na ilha, que possui poderes mágicos.

Conta-se que se você fizer um pedido para esta cerejeira, o mesmo será prontamente atendido. Não importa o que seja. Desta forma, ao menos na teoria, a felicidade de todos estaria garantida. Entretanto, a magia desta árvore esconde os seus mistérios...

Em meio a tal introdução, o anime nos apresenta o casal de protagonistas, que estendem com maestria o tapete vermelho para se assistir Da Capo. Trata-se dos jovens Asakura Junichi e Asakura Nemu que, no contexto do anime, vivem sós em casa em razão do trabalho dos seus pais.

Eles não são irmãos de sangue. Mas tal fato não impede Junichi de cuidar da Nemu, principalmente pelo fato da saúde da garota não ser exatamente das melhores. Os dois se entendem bem, mas sempre esbarram em algo que tende à complicar o convívio deles.

As irmãs Mizukoshi: Mako e Moe.

Inclusive, a chegada da pequena e ativa Yoshino Sakura à ilha ajuda na piora da relação entre os irmãos Asakura. Com um penteado e laços em seus cabelos que remetem a um coelho, a Sakura não esconde os seus sentimentos pelo Junichi, o que muito irrita a Nemu. Vinda dos Estados Unidos, a Sakura busca finalizar eventos ocorridos no passado.

A Nemu necessita de alegria nestes momentos. Sendo assim, a companhia da jovem Amakase Miharu é mais do que bem-vinda. A Miharu é dotada de uma energia sem igual sendo, inclusive, uma fã declarada da Nemu ( além de adorar comer bananas ). Trata-se de uma boa garota que, mais para frente, mostrará um papel todo estratégico no anime.

Em dada oportunidade, o Junichi acaba encontrando-se com uma estranha garota, portadora de orelhas e de rabo de gato. Ela atende pelo nome de Yoriko e tem como anseio viver na casa dos irmãos Asakura, mesmo sendo como uma empregada. Ela é extremamente medrosa, especialmente no que se trata em interagir com outros humanos.

Neste contexto, já se pode ter um belo panorama do que se faz esperar em Da Capo. Mas as apresentações estão apenas no início, de modo que se faz necessário acompanhá-las um pouco mais para então se chegar a uma conclusão saudável sobre o grupo de personagens.

Sugimura e Sakura.

Desta forma, duas irmãs se fazem apresentar. Trata-se da Mizukoshi Mako e da Mizukoshi Moe. Verdadeiramente, elas representam os dois lados de uma mesma moeda. Enquanto a Mako se faz de forte, impetuosa e rígida em suas palavras e ações, a Moe é muito tranquila em sua vida, chegando inclusive ao ápice de andar dormindo. Um menção curiosa: a Moe adora cozinhar qualquer coisa que envolva nabe.

Mais uma garota se faz presente em Da Capo. Ela é a preferida dos garotos da escola, sendo possuidora de uma beleza contagiante e de uma voz das mais belas para a música. O nome desta jovem é Shirakawa Kotori, aclamada como um tipo de divindade entre os estudantes e à procura de alguém que a compreenda verdadeiramente.

Por fim, e longe de ser menos importante, há um jovem de nome Sugimura. Ele representa aquilo que pode ser determinado como extremo comportamental no anime, pois as suas ações e forma de analisar cada situação transmitem uma sensação inicial de loucura que, na verdade, acaba mostrando ser mais inteligente do que se podia presumir.

É com este seleto grupo que se desenvolve o anime de Da Capo. Contudo, se ao acaso estiver pensando que tudo deve caminhar para um harém com ambientação escolar, deve-se aqui enfatizar que você estará apenas correto em cinquenta porcento de tal ideia.

Da Capo - metade da descontração...

Shirakawa Kotori: a cantora.

Em sua essência trivial, Da Capo pode ser melhor definido como um anime que possui duas metades mais do que distintas. Na primeira há a imersão na história e se faz, também, um convite para se conhecer cada personagem. Já na segunda metade toda a carga dramática e sentimental aparece de uma única vez, chocando quem assiste ao anime com situações intensas e de raciocínio muito rápido.

No que vem à tratar-se da primeira metade do anime, reina em absoluto os gêneros slice-of-life e a comédia descontraída, tendo como base as ações do Junichi sobre a Nemu e as demais garotas.

Não pense, de forma precipitada, que o Junichi seja algum tipo de garanhão. O que ocorre, enfaticamente, é que as garotas vão demonstrando o que sentem pelo rapaz, uma a uma. Não há uma troca de forças estabelecida, mas existe um aproveitamento de situações demasiadamente interessante.

Junichi e Mako saindo juntos, para o espanto da Sakura...

Um dos pontos mais altos do anime está justamente nas oportunidades que se fazem aparecer. Em uma delas, a Mako anseia em despistar uma garota que está interessada nela ( momento breve de shoujo-ai no anime ). Para isso ela pede ao Junichi que finja ser seu namorado por alguns dias, até que a outra garota desiste de suas intenções.

Um passeio com a Miharu pela área comercial da cidade pode dar margem à vários momentos cômicos, um em sequencia do outro, com destaque todo especial para o Sugimura e sua paixão pelo dito desconhecido. A Yoriko também marca forte presença ao contar sua história de vida, fazendo com que todos os demais percam a noção de sobriedade ( no mais puro e saboroso engano ).

Pode-se resumir a primeira parte do anime em momentos da mais pura descontração. Por sinal, as risadas em certos eventos estão garantidas. Contudo, e apesar do ambiente alegre tão enaltecido, faz-se mencionar que as sementes do drama também foram plantadas uma a uma durante a primeira metade de Da Capo.

Da Capo - metade do drama...

Nemu e Sakura: quando necessário, a bandeira branca se faz erguer...

Com uma primeira metade tão descontraída e inocente, é natural imaginar que Da Capo assim prosseguiria até o seu final. Mas, na verdade, o anime muda radicalmente de direcionamento. A imersão à profundidade no enredo e aos sentimentos ganham grande conotação e desenvolvimento na segunda metade desta obra animada.

Recorde-se que cada garota acaba demonstrando o que sente, à sua forma única, pelo jovem Junichi. Tendo tal premissa em mãos, o que acaba seguindo-se é uma série de eventos que explicam, de forma honesta e sucinta, a verdade na vida de cada uma das pretendentes para ficar com o Junichi incluindo, nesta listagem, a própria Nemu.

Aliás, a Nemu torna-se um poderoso alicerce nesta segunda metade. Graças a uma doença estranha e desconhecida que alguns acreditam estar ligada à magia, a Nemu fica em casa. O Junichi passa a viver só por algum tempo e, com isso, as garotas aproveitam o momento para se aproximar mais dele.

Entretanto, em tal aproximação não há uma maldade propriamente dita ou uma falsa amizade delas com a Nemu. O que existe é uma visão dolorosa e hostil sobre a grande cerejeira mágica que concede desejos. Algumas destas garotas fizeram pedidos para a citada árvore, antes e depois do interesse pelo Junichi ( deve-se ressaltar ).

Yoriko e Junichi: quando um desejo chega ao fim...

E quando se faz citar a árvore de cerejeira mágica, muita dor e sofrimento vem em seu encalço. Por poder realizar qualquer pedido, não há uma delimitação que separe os desejos bons dos ruins. A Kotori, a Miharu e a Sakura formam uma real balança neste caso, onde cada um dos três arcos correspondentes à estas personagens tem o poder de fazê-lo pensar muito. A emoção na face é quase certa.

Interpretar adequadamente o desejo de cada uma das personagens citadas é um convite claro para a imersão mais profunda no enredo de Da Capo. Basta citar que a Miharu que se vê em boa parte do anime não é, enfaticamente, a Miharu conhecida. Por sua vez, a Kotori alimenta em si um medo terrível sobre o que os outros pensam ao seu respeito. E a Sakura, por ser parente direta da pessoa que criou a cerejeira mágica, possui um dom maior sobre a mesma.

Inclusive, a intensidade das ações do trio formado pela Sakura, pela Nemu e pelo Junichi colocam à prova aquilo que pode ser definido como sentimento verdadeiro. Não há uma definição mais cautelar do que essa para expressar o ápice do desenvolvimento de Da Capo em sua segunda metade.

Entretanto, o momento de maior impacto visual e sentimental está ( para este humilde blogueiro ) no momento da Yoriko. Seu modo de ser extremamente angelical e dócil é um convite aberto para um arco cheio de anseios, sentimentos e de um desejo que, infelizmente, não dá muito tempo para a felicidade se concretizar...

Objetivamente

Utamaru, o mascote de Da Capo.

Da Capo é um anime que está muito próximo de completar uma década de sua exibição original. Possuidor de uma animação que dá amostras de envelhecimento, o título não merece nenhum demérito nem em razão de tal característica.

E no que diz respeito justamente à sua animação, Da Capo pode ser ainda classificado como bom neste segmento. O visual não é dos mais bonitos ( mesmo para o ano de 2003 ), mas é honesto e complacente com o enredo do anime. No que diz respeito à parte acústica, o anime consegue impor-se com qualidade. O tema de abertura ( "Sakura Saku Mirai Koi Yume" cantada pela Yozuca ) é uma bela prova disto, em companhia das ótimas insert songs presentes no anime.

Desta forma, Da Capo acaba sendo um anime altamente recomendado. Não hesite em vê-lo, tão logo tenhas tal oportunidade.

[ made in NETOIN! ]

-----------------------------------------------------------------------------------------------

Acesse o site oficial do anime Da Capo, clicando aqui.

O autor do NETOIN! é...
Carlírio NetoCarlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade deste humilde blogueiro. Veja um pouco mais sobre o autor do blog NETOIN!aqui.

  • 0Blogger
  • Disqus

Deixe o seu comentário

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre este texto do NETOIN!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as ideias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!

comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - Netoin! 2006-2017
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons