[N! Drops] Abr'2014 #21: mais estreias da nova temporada! ~ Netoin!

quinta-feira, 10 de abril de 2014

[N! Drops] Abr'2014 #21: mais estreias da nova temporada!

O que está tramando esta dupla?

Ainda há o que comentar e muito para opinar...

Com qualquer temporada de anime que se faça passar, existem muitos atenuantes e questões para se levarem em consideração, especialmente no que tange às obras que são aclamadas como sendo muito esperadas e também naquelas que já geram dúvidas apenas na base de suas sinopses.

Esta edição da seção N! Drops lhe trará mais cinco obras que tiveram suas estreias na última semana. Tais como as sete obras analisadas no último post de referência, você terá aqui também uma posição bem básica, porém sincera, sobre cada um dos animes analisados. A seção de comentários estará aberta à sua pronta disposição para quaisquer troca de ideias.

Tenha uma boa leitura.

Jojo's Bizarre Adventure: Stardust Crusaders

Jotaro!

Eis a obra que muitos fãs estavam à espera. Quando se deu o anúncio da chegada de Jojo's Bizarre Adventure: Stardust Crusaders, a blogosfera animística mundial passou a replicar tal informe com uma velocidade deveras alta. Seria apenas uma questão de tempo para averiguar-se a questão da espera como gratificante ou não. Levando em consideração que tudo teve início em uma prisão e que os poderes se colocaram à mostra logo no início do anime, então é possível aqui mensurar que a resposta para a indagação anterior seja positiva.

E a premissa do anime recai diretamente à figura dele, Jotaro. Preso em razão de seu "espírito maligno" ter feito algo impulsivo e desnecessário. Sua mãe e seu avô foram até o local e, lá mesmo, aconteceu uma pequena iniciação ao conceito de Stand ("espírito maligno") para o detento. Entretanto, Jotaro parece não confiar em ninguém e não liga a mínima para nada, ao ponto de chamar de delírio as explicações de seu avô e também de usar da palavra "vagabunda" para definir sua mãe (que no momento estava de braços dados e sorrindo para ele). Por mais que o comportamento do personagem seja repugnante ao extremo, o foco do episódio esteve na explicação sobre os Stands e na possível razão da descrença por parte do Jotaro.

O visual do anime é aquele que se podia aguardar do mesmo, sendo este um grande e merecido elogio para seus traços caricatos e robustos, usando e abusando das cores e com uma ambientação feita de igual forma e teor. Jojo's Bizarre Adventure teve um início que fez jus à fama da série em si, e certamente os seus fãs ao redor do globo terrestre anseiam por mais desta obra.

No Game No Life

Um novo mundo para a dupla Sora e Shiro.

O mundo da diversão eletrônica guarda as suas surpresas. É natural, nos tempos de hoje, as pessoas curtirem a chamada jogatina online com alguma frequência. Adentrar a um mundo virtual que, geralmente, possui as suas intrigantes possibilidades de expansão e progresso. Porém, o anime No Game No Life não se resume unicamente à diversão em si, pois os primeiros minutos de seu episódio inaugural mostraram que o tédio de sua dupla de protagonistas, quanto à vida no mundo real, acabou servindo de trampolim para que ambos adentrassem a uma nova vida, nunca antes especulada pelos mesmos.

Os irmãos Sora e Shiro passam seus dias à frente de muitos monitores em suas jogatinas online. São os exemplos base da vida levada por um NEET (definição ao efeito hikikomori cai bem aqui também). Porém, o modo como ambos jogam chamou a atenção de alguém no dito "mundo virtual", pois o modo de eles lutarem e de seguir adiante não são aplicáveis à "humanos comuns". Com isto, a dupla de irmãos acabou sendo chamada para um desafio (de xadrez), por alguém do outro lado da situação. Dadas as circunstâncias e eventos, Sora e Shiro adentraram a um novo mundo e, nele, terão de usar de suas habilidades únicas para prosseguir, eventualmente "ganhando experiência", para serem os verdadeiros "salvadores da humanidade".

A obra possui um forte ecchi presente, especialmente por parte da Shiro nos primeiros minutos do episódio. O mesmo entra em evidência no dito mundo virtual, onde certos atributos físicos ficam em clara evidência. Porém, é interessante frisar o quanto o plot deste anime se mostrou interessante e diverso em suas possibilidades de expansão. Dificilmente a dupla de irmãos terá o anseio de voltar, algum dia, para a Terra original (pois o mundo onde estão fornecem exatamente aquilo que ambos desejam). Destaca-se aqui a abertura que possui forte impacto. O visual do anime pode dividir opiniões, especialmente pelo uso da paleta de cores no mundo do jogo. No mais, aguardar pelo que os próximos episódios terão para mostrar é preciso.

Black Bullet

Uma nova ameaça para a humanidade.

O ano é 2021. Em tal período, eventos trazem à tona uma Tóquio que, por bem pouco, não foi totalmente dizimada por um poderoso vírus. Trata-se de um poderoso vírus que transforma humanos em terríveis e sedentas criaturas, cuja aparência são bem similares à de insetos. A visão de um palco esportivo servindo como campo de refugiados lembra muito bem as grandes Guerras Mundiais e, além disto, deixa em foco a ideia de que a humanidade está para ser extinta, um vez que um de tais seres cai do céu diretamente em tal local, proporcionando um desastre que certamente você já deve presumir qual seja. Isto é Black Bullet.

O primeiro episódio apresentou a dupla de protagonistas Satomi Rentarou e Aihara Enju. O rapaz faz parte da "segurança civil", treinado para interceptar e caçar os Gastrea. A moça também luta contra tais seres, porém a sua história de vida não é nada fácil. Ambos estão em uma Tóquio protegida em uma pequena área de seu território original, na qual os Gastrea conseguiram penetrar e estão para causar um estado crítico no que restou na grande metrópole. A Enju é conhecida como "Iniciadora", sendo este o destino das crianças que nasceram na parte de Tóquio que está na mais plena quarentena. O Rentarou cuida dela e precisa das forças da garota como sua parceira nos combates mas, em si, algo incomoda o rapaz sobre isto.

Em si, Black Bullet mostrou um episódio inicial balanceado entre a ação e os momentos de humor. Como é possível imaginar, a Enju aparenta possuir alguns sentimentos à mais para/com o Rentarou e, muito embora o anime deverá mostrar isso bastante, o foco deverá ser outro. É seguro afirmar que a obra não hesitará, em nenhum instante, no que tange à mostrar que a guerra no mundo de seu tempo não se restringe ao vírus Gastrea. Com uma animação empolgante e um bom capricho visual, esta obra promete chamar a atenção. O ponto negativo ficou para a abertura, em uma tentativa muito falha de fazer uma alusão à primeira abertura de Shingeki no Kyojin.

Abarenbou Kishi!! Matsutarou

Esta abertura é candidata a ser uma das melhores da temporada!

O sumô é basicamente a prática de luta mais popular do Japão, passada com ensinamentos únicos por todas as gerações. Atualmente, seus embates chamam a atenção de grandes multidões e movimentam belas cifras por todo o arquipélago nipônico. É um estilo clássico de combate, mas minimamente estranho à muitos olhares do exterior, ainda. Dito isto, você pode facilmente imaginar que a obra trará à tona algum grande herói ou contará um enredo sobe boas prática antes o desporto ou lições de vida com tal propósito.

Pois bem. O anime Abarenbou Kishi!! Matsutarou lhe trará um protagonista que carrega consigo a mais atenuante característica dos personagens de boa parte das obras shounen, sendo este o jovem Sakaguchi Matsutarou. A preguiça é o seu lema. Vai mal na escola, tem um comportamento pouco ético e ele parece não se incomodar nem um pouco com o que pensam dele (ou deixam de fazê-lo). Ele nutre uma secreta paixão por uma das professoras da escola. Aparentemente, Matsutarou não possui nenhum futuro certo ou digno de atenção. Mas isso muda de direção quando sua força entra em foco.

Isto porque Matsutarou possui todos os ingredientes (físicos, é importante frisar) para ser um lutador de sumô. Pode lhe soar estranho, mas o anime em pauta mostrou um episódio inicial muito convidativo neste aspecto, trazendo muitas possibilidades sobre como a obra prosseguirá daqui em diante. Some isto ao fato da arte deste título ser bem caricata e interessante, combinando com o visual simples mas extremamente colorido e diversificado. E com certeza, a abertura de Abarenbou Kishi!! Matsutarou pode ser considerada uma das melhores desta temporada.

Mangaká-san to Assistant-san: The Animation

Discutindo sobre roupas de baixo...

Um pouco de inocência paira no ar neste momento. Não que Mangaká-san to Assistant-san seja uma obra tão simplória, mas sim porque o anime lhe apresenta uma dupla de protagonistas onde uma pessoa é totalmente o oposto comportamental da outra, sem o menor receio de isto estar errado. O cenário é propício, sendo este um estúdio de desenhos (mangás em si). E em tal ambiente de trabalho, o rapaz de mente pervertida não faz nem questão de esconder o que pensa ante as suas três companheiras de trabalho sendo, uma delas, a sua dócil e inocente assistente direta.

Ver o Aito Yuuki em ação pode ser um convite às risadas, da mesma forma que pode proporcionar desconforto. Depende unicamente do que você sentirá ao ver, no episódio inicial, quais são os sonhos, aspirações e forma de pensar do jovem Yuuki. Da mesma forma, a Ashisu Sahoto parece não notar as deficiências comportamentais do rapaz e, respeitosamente, o trata como um mestre mangaká e vê nele um exemplo de artista da área à ser seguido. Um detalhe importante está no fato dela, Sahoto, não ter a mesma forma de pensar do Yuuki, sendo basicamente inocente sobre tudo o que vê.

O anime é curto (treze minutos de episódio) e seu estilo de comédia não é algo que agradará à todos. Na verdade, a minha pessoa não conseguiu esboçar nem um simples sorriso com o primeiro episódio, mas a obra em si cumpriu seu propósito base (seguindo a linha do que foi citado nas linhas acima desta) em mostrar o protagonista desaforado, sua assistente inocente e algumas das várias situações que haverão de aparecer na sequência. Tecnicamente, a obra tem um visual simples e polido.

Momentos...


Jojo's - chegou o momento dos Stands mostrarem um pouco de ação. A série, certamente, irá por mais do que isto...


No Game No Life - falando de NEETs e hikikomoris, a dupla Sora e Shiro parece saber viver a própria vida. Ou não...


Black Bullet - apontando o dedo e designando que possui responsabilidade e grande poder. A dúvida está se isto será suficiente para salvar a humanidade...


Sumô - Matsutarou é candidato sério a ser um dos protagonistas mais hipócritas, não apenas desta temporada como de 2014 em si...


Mangaká - o sonho do Yuuki é receber uma declaração de amor algum dia. Se depender do comportamento dele, isto será muito difícil de ocorrer algum dia...

Dica de link aqui no NETOIN!
(com Mahouka, Baby Steps, Soredemo, Gokukoku, Captain Earth, Mushi-Shi e Haikyuu!!)

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]


Conheça o autor do NETOIN!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

  • 4Blogger
  • Disqus

4 Comentários

  1. Das obras citadas, dispenso Jojo por não ter gostado do primeiro e esse sobre sumô não gostei do plot, mas é possível que veja pelo menos um episódio futuramente.

    Sobre Mangaká-san vi o primeiro episódio e o considerei mediano, por ser curto devo ver no que dá. Mas é mais um meio-ecchi. Black Bullet por tudo que havia ouvido falar achei que não correspondeu, é sim um bom anime, mas não é tão fenomenal como alguns me fizeram acreditar.

    E como você mesmo citou, No Game no Life tem um bom material na mão a ser desenvolvido, se focarem um pouco na história. Agora se descambar apenas para o ecchi vai perder-se um bom plot.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações


      Matsutarou, o anime de sumô, é humor puro... Com direito a um protagonista que, no primeiro episódio, já fazia por merecer uma bela corte marcial...

      Mangaká-san, para mim, é uma obra mediana ao extremo. Com dois episódios vistos ainda não consegui esboçar um real sorriso com o anime. Por outro lado, Black Bullet está mostrando que o casamento entre as temáticas apocalipse e batalhas pode ser mais harmônico do que aparenta.

      No Game No Life vai ter ecchi e fanservice na crescente, e isto é fato consumado. Entretanto, o plot segue de uma maneira tão justa que o anime acaba merecendo ser seguido...


      Até mais!

      Excluir
  2. Assisti o 1º episódio de Jojo, não lembrava que a narrativa dos personagens era tão exagerada, mas vou continuar vendo, afinal, já li as 3 primeiras sagas do mangá e sei o que esperar nesse anime. Dos outros, talvez acompanhe Black Bullet, pois ainda tenho que tirar o atraso de animes bons de outras temporadas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações


      Jojo é um anime que muitos aguardavam. Não é o meu caso diretamente, mas confesso que gostei bastante da obra em si...
      Black Bullet apresentou uma boa evolução em seus três episódios até aqui. O anime segue bem.


      Até mais!

      Excluir

Dê a sua opinião sobre este texto do NETOIN!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as ideias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!

comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - Netoin! 2006-2017
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons