[Fim de Temporada] Flying Witch ~ Netoin!

sexta-feira, 1 de julho de 2016

[Fim de Temporada] Flying Witch

A capa da vez.
Um slice-of-life honroso...

Tudo começou na segunda semana de abril deste ano. Em sua primeira aparição, Flying Witch deixou no ar (imediatamente) a sua proposta que valeria por toda a exibição da obra. Seus primeiros vinte e quatro minutos, contando abertura e encerramento no processo, não tiveram a mínima intenção de esconder todo e qualquer propósito que este anime tinha para/com quem o assistisse. De fato não houve uma surpresa ou algo inesperado, mas sim apenas constatações daquilo que se esperava, desde os PVs que faziam propaganda deste título.

A história por detrás deste anime é simples, porém ajeitada. Não possui interrogações para serem respondidas, mas suas exclamações são bem preponderantes. Seu elenco não possui alguma característica que (muito provavelmente) você já não tenha visto antes, mas o carisma emanado pelo mesmo é demasiadamente digno de nota. A arte da obra não destoa concepções e nem marca por algo diferenciado, mas é extremamente linda e bem feita. Possivelmente, este parágrafo por ti lido agora acabou dando o resumo ideal para os pontos positivos deste anime.

Em um mundo moderno e desenvolvido, uma pacata cidade do interior japonês está prestes à receber uma visitante especial. Uma jovem de apenas quinze anos de idade, cujo nome é Kowata Makoto, estava ali para viver com seus primos. O seu comportamental é calmo, de fala mansa, amigável ao extremo. Sua bondade não conhece extremos, sendo até exagerada neste ponto. Além disto tudo, a Makoto é uma bruxa na mais plena formação. E sua chegada em tal lugar fez com que "um novo mundo" acabasse sendo mostrado para alguns de seus habitantes, que da surpresa inicial não demoraram para passar ao comodismo e aceitação plena dos fatos.

Inegavelmente, o anime foi um dos mais belos visualmente, na temporada abril'2016.
Quando se fez citar com quem a Makoto passaria a viver, a menção recaiu diretamente aos irmãos Kuramoto, sendo o mais velho conhecido por Kei e a mais jovem de nome Chinatsu. Enquanto ele era densamente calmo, dono de uma fala extremamente linear e pacífico ao extremo, ela era uma garota um pouco mais ativa, mas bem responsável para alguém de tão pouca idade. Aliás, a pequena personagem demorou um tanto para aceitar o mundo que lhe era apresentado graças à Chinatsu, mas quando o fez automaticamente quis intensificar-se ainda mais em um novo objetivo pára a sua vida pessoal. Igualmente à citada jovem, tem-se uma moça chamada Ishiwatari Nao, melhor amiga do Kei e sua colega de classe, que teve um olhar inicial distorcido para o fato da existência de bruxas e seres coligados, mas que passou a aceitar a existência dos mesmos brandamente.

Se apenas os nomes citados acima já seriam o bastante para se qualificar positivamente o elenco da obra, outros participantes do anime estufaram o mesmo com uma grande qualidade e carisma aprofundados. Este é o caso direto da Kowata Akane, irmã da Makoto, que vive bancando a andarilha pelo mundo (além des er adoradora compulsiva de uma boa bebida). O gato de estimação da recém chegada na cidade, Chito, também clama a atenção pelas sábias conversas que acaba tendo com vários integrantes do elenco (tudo na base do miado felino, mas que os demais entendem bem). A adivinha Inukai é uma jovem que se torna raposa durante o dia e humana à noite, cujo carisma brilha na tela quando se faz aparecer. Isto sem falar da tímida e sem jeito para conversas Hina, além do enigmático mensageiro de nome Haru no Hakobiya.

Sendo uma obra pertencente ao gênero slice-of-life, Flying Witch tratou de colocar o elenco principal, citado nos parágrafos acima, em situações que envolviam o cotidiano de cada um, seja no âmbito pessoal ou comunitário (por assim exclamar). A Makoto, em si, foi o perfeito alicerce de sintonia e ligação irrefutável com todos os personagens do anime, uma vez que por ela iniciava ou passava em paralelo algum evento mostrado na obra, durante a sua exibição plena. Pode-se aqui exclamar que a Makoto foi, de certa forma, o real centro das atenções no anime (o que não significa que ela tenha sido a personagem mais popular da obra).

Um cliente inesperado, dentro de um Café totalmente mágico...
Muito provavelmente, alguns dos pontos citados no início deste post como destaques positivos do anime podem ter sido, em efeito contrário, a causa direta para que muitas pessoas acabassem rechaçando a obra e colocando-a como um tipo de anime abaixo da média, entre outros quesitos opinativos. A verdade é que, com uma ambientação que exagerou demais na calma e no ar pacífico que à todos rodeava, era mais do que notório que o anime acabaria sucumbindo a este tipo de ostracismo. E realmente, todos os doze episódios de Flying Witch foram de uma paz tamanha, que é possível aqui mensurar até mesmo fãs de slice-of-life colocando avaliações negativas para o anime em si.

Adotando como verídico tudo que foi mensurado mais acima, para este blogueiro a tonalidade do repertório acabou sendo outra. Isto porque Flying Witch não apenas soube ser um bom slice-of-life, como também arrancou sorrisos sinceros de minha pessoa em todos os seus episódios, sem o menor tom de exagero neste aspecto. Foi muito interessante, divertido e extremamente relaxante ter acompanhado as desventuras pacíficas proporcionadas pela Makoto e grande elenco. Aliás, nisto acabaram encaixando-se com perfeição as músicas de abertura e encerramento, especialmente a primeira neste ponto (que soube fazer uma digna recepção para o anime em si, a cada episódio).

Tendo um visual bonito e bem feito, um elenco que soube primar pelo carisma, além de uma atmosfera que pecou no exagero de seu pacifismo, Flying Witch acabou sendo um dos grandes destaques positivos para este humilde blogueiro, na temporada de abril'2016. Em um período no qual o mundo real clama por paz e compreensão mútua de todos os seus povos, por diferentes razões e situações, este anime acaba sendo um grande alento no intuito de ser visto. Caso você ofereça uma chance à esta obra, saiba desde agora que bruxas existem. E não apenas elas.

E assim se segue...

Momentos...
Clique nas imagens para vê-las em tamanho real...


"O ser do som que dá muito medo..."


"A Chinatsu quando alegre, e no momento em que come algo contra o seu paladar..."


"Uma imagem digna de pôster na parede..."


"Esta simpática personagem tem sua história para contar..."



"Quando a simpatia está acima de qualquer suspeita..."


"O medo existe..."


"Alguém quer se tornar uma bruxa também..."


"Alguém diga a esta pessoa que mostrar a língua é falta de educação, por favor..."

Flying Witch
Temporada: abril'2016
Estúdio: J.C.Staff   /  Total de episódios: 12

*** avaliação final do anime: 8,0 pontos de 10,0 possíveis ***


"A primeira impressão é a que fica..."

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]


Conheça o autor do NETOIN!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

  • 2Blogger
  • Disqus

2 Comentários

Dê a sua opinião sobre este texto do NETOIN!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as ideias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!

comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - Netoin! 2006-2017
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons