[Fim de Temporada] Sekkou Boys ~ NETOIN!

sábado, 26 de março de 2016

[Fim de Temporada] Sekkou Boys

A chamada da vez.
Ser alguém para a multidão é difícil...

Pois bem. Antes de se falar sobre Sekkou Boys, nobre visitante, tu é convidado à voltar um pouco no tempo. Duas vezes, para ser bem mais preciso. Em tais oportunidades, dois animes de curta duração episódica chamaram a atenção por motivos distintos mas que, de maneira bem interessante, acabaram se complementando amigavelmente. Dito isto, está na hora de uma pequena viagem temporal por parte deste humilde blog na internet.

Primeiramente, siga para a temporada de janeiro'2012. A obra tinha uma duração de apenas três minutos por episódio, cujo enredo simples e objetivo cativou pela simplicidade, além de seguir sob a batuta des eu simpático e felino protagonista. Aqui se fala brevemente de Poyopoyo, que contou com cinquenta e dois episódios bem divertidos. Os cenários e desenhos infantilizados formaram a base da obra como um todo, por mais que em algumas partes tudo ousava parecer ser mais sério.

Agora, avance um pouco para a temporada de janeiro'2014. Desta vez, o título encerrou com vinte e um episódios no total, sendo que cada um deles tinha sete minutos de duração. Ambiente escolar. Nele, um rapaz chamado Seki praticamente não prestava atenção nas aulas, usando o período das mesmas para as mais variadas peripécias e invenções, sendo que tais ações perturbavam a jovem Yokoi severamente. Tal anime se chama Tonari no Seki-kun e diversão foi o seu esplendoroso sobrenome.

A jovem Ishimoto não fazia ideia do que estava em seu aguardo...
Os dois exemplos citados são de animes curtos que, dentro de suas temporadas/anos, conseguiram se destacar pelo simples fato de fazerem muito bem o trabalho confiado aos mesmos. Souberam entreter além da média, utilizaram muito bem os minutos destinados a cada um de seus episódios e apresentaram, uniformemente, personagens que conseguiram esbanjar carisma (o gatinho Poyo e o jovem Seki que o digam). Com base nisto, ficou encravada a ideia sobre o quê poderia se esperar de um certo anime, no qual quatro bustos de gesso estavam no Japão tentando fazer sucesso como ídolos de toda uma geração.

E nisto vem à tona a chamada para o anime Sekkou Boys, que iniciou os seus trabalhos em janeiro deste ano e concluiu a jornada há poucos dais atrás. Pode-se dizer que a "escrita das temporadas de janeiro" foi mantida, em se tratando das obras com curta duração episódica. Sendo extremamente sincero e cauteloso ao mesmo tempo, o anime do grupo de ídolos cumpriu também o seu maior objetivo imposto, que foi de entreter e divertir dentro de seu enredo diferente e forrado até os céus por um nonsense descabido, no qual bustos de gesso são tratados e agem como humanos comuns.

Uma jovem chamada Ishimoto, que tinha acabado de completar o seu ensino superior, jamais teria sonhado em ter como profissão cuidar, zelar e administrar um grupo de ídolos que eram, na verdade, escopo daquilo que ela mais odiou na época de estudante universitária. Obviamente, não demorou muito tempo para que a moça conseguisse driblar o próprio temor citado e, com certos toques de superação e uma aura de super protetora, ela conseguir ser uma boa gerente da carreira dos Sekkou Boys (conhecidos também como "As Rochosas").

Houveram alguns desentendimentos, mas...
Quando se fala do quarteto em si, cada um deles tinha o próprio modo de ser, que complementavam-se no quesito de grupo de ídolos. O Giorgio é o líder da turma, mas o mesmo era sempre questionado pelo seu "passado de glórias contar dragões" e similares. Por sua vez, o Medici pode ser melhor compreendido como o mais jovem do quarteto, além de possuir um tipo de comportamento digno de alguém que anseia em ser protegido. Dito isto, o Mars possuía muitos motivos para lamúrias, não apenas pelo status de divindade que o mesmo possuía, mas principalmente pelo seu passado cheio de eventos promíscuos. Para finalizar, o Hermes sempre tentava ver as situações sob um escopo mais positivo, muito embora seu modo de ser tinha a jogatina e as tentativas de levar a melhor perante as pessoas como agravantes perante a Ishimoto.

Agora, nobre visitante, pense nestes quatro "únicos" personagens simplesmente aprontando tudo que podiam, variando as ações a cada novo fato/ocorrência que lhes caísse nas respectivas cabeças. Esse é o maior ponto de atenção para o anime como um todo, uma vez que eles se locomoviam (sem mostrar isso) e conversavam normalmente com qualquer pessoa. O passado deles era motivo para sorrisos e lágrimas. E o anseio em fazer sucesso como grupo de ídolos teve de esbarrar, por vezes, em certos obstáculos que não eram previstos (muitos deles criados pelo próprio quarteto). Todo este cenário nonsense e divertido teve, como pano de fundo, uma parte técnica que não tentou ousar em demasia (além do visual do grupo em si), fazendo um trabalho digno dentro das próprias perspectivas. Assim sendo, Sekkou Boys não é um exemplo de anime com visual bonito, mas sim ideal para o roteiro da obra em si. Complementando isto tem-se a parte acústica, cujo tema de encerramento para o anime acabou sendo bem divertido.

Com base em tudo que foi descrito nos parágrafos acima, Sekkou Boys acabou sendo um anime divertido para a minha pessoa. Contudo, a obra em si possui um humor que pode não ser de vosso apreço, visitante (tal como se tornou fato para parte do fandom). Os elementos apresentados podem conquistar facilmente um público, ao mesmo tempo que tendem à afastar outras tantas pessoas. Da parte deste humilde blogueiro, a indicação para se ver Ishimoto e o irreverente quarteto formado por bustos de gesso é positiva, mas toda a cautela ainda é pouca. Caso não tenha visto a obra, assista aos primeiros dois episódios e tire as suas próprias conclusões.

E assim se segue a busca pela fama...

Recordações...


Apresentação - esta foi a primeira vez que a Ishimoto se viu de frente com os Sekkou Boys. Sua vida não seria mais a mesma à partir de tal momento...


Adoradora - uma idol que curte e segue outros idols. Realmente, este anime soube investir muito na descontração, sendo isso bem positivo...


Resplandecente - o Medici em seu banco de conforto para bebês no carro. E nada mais precisa sera qui mencionado...


Desajeitado - o Hermes não tinha muito tato para tomar uma soda com calma...


Liderança - o Saint Georgio sempre tentou ser um bom líder, mas parece que ele não era muito levado à sério...


Virilidade - o Mars se viu em maus lençóis para certas partes do anime. A razão para tanto é bem justificada, embora imperdoável em vários aspectos...


Sekkou Boys
Temporada: janeiro'2016
Estúdio: LIDEN FILMS  /  Total de episódios: 12

*** avaliação final do anime: 7,5 pontos de 10,0 possíveis ***


Grupo - e estas foram as aventuras vividas pelos Sekkou Boys...

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]


Conheça o autor do NETOIN!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

  • 0Blogger
  • Disqus

Deixe o seu comentário

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre este texto do NETOIN!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as ideias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!

comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - NETOIN! 2006-2017
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons