[Semanal] Planetarian #1: uma robô e o seu buquê... ~ NETOIN!

sexta-feira, 8 de julho de 2016

[Semanal] Planetarian #1: uma robô e o seu buquê...

A chamada para mais um comentário semanal.
O início de uma jornada...

Planetarian é mais uma novel da Key Visual Arts que acabou ganhando uma versão em anime. Contudo, demorou mais tempo para esta obra em específico. Conhecida pelo fandom como sendo a obra mais curta da citada empresa, sua história se centraliza em uma Terra pós apocalíptica, onde trinta anos se fizeram passar desde que uma guerra biológica praticamente "matou" o planeta. No tampo atual deste título, o mundo sofre com constantes chuvas ácidas impiedosas e, além disto, olhar para o céu e não conseguir ver o Sol ou as estrelas passou a ser algo extremamente comum.

Com um cenário desesperador e catastrófico como este, surge então uma pequena personagem de nome Hoshino Yumemi. Trata-se de uma robô, cuja finalidade de criação era receber e cuidar das pessoas que visitassem o planetário no qual a própria faria as apresentações. O anime, exercendo fiel papel em comparação à novel original, mostrou a felicidade em contraste com uma despedida forçada, na qual a Yumemi ficaria em modo de pausa por um longo (onde ocorreram os tristes eventos de destruição em paralelo).

Quase trinta anos se passaram e a Yumemi despertou. Porém, com alguns problemas internos esperados no seu sistema (mas que não a prejudicaram de imediato). Neste meio tempo, um homem solitário corre entre as ruas vazias da cidade, buscando escapar de três robôs guardiões. Ele é um Junker, sendo esta a designação dada aos humanos que devem coletar restos de alimentos, bebidas, remédios e outros itens pelas cidades, para assim tentar garantir a já difícil sobrevivência. De fato, após conseguir despistar seus perseguidores, o citado humano acabou encontrando a pequena robô, trazendo à tona um contraste dos mais felizes para este anime.

 A pequena robô Yumemi, de frente para o humano Junker.

O episódio inicial de Planetarian foi extremamente feliz e conciso, no que tange tanto à apresentação básica e importante do enredo, como também de mostrar diretamente a ambientação e como os personagens principais agem perante a mesma. A Yumemi busca sempre sorrir, pede desculpas de maneira demasiada e, mesmo reconhecendo possuir defeitos internos após seu longo período de hibernação, ela procura levar adiante suas missões de quando foi criada. O Junker se comporta de acordo com aquilo que sempre vivenciou, em meio a uma ambientação tão hostil e, por mais que se mostrasse indignado com o falatório sem interrupção da simpática robô, ele não ficou excessivamente bravo com a mesma.

Tecnicamente, o estúdio David Production fez um trabalho bom e honesto neste passo inicial. Visualmente o anime é caprichado, mas não empolga demasiadamente no quesito. A ação dos seiyuus foi digna de nota, totalmente dentro daquilo que se fazia esperar. Embora o anime não tenha mostrado a sua abertura, o encerramento (que já era conhecido desde meados de junho) acabou fornecendo pontos positivos ao capítulo em si. Talvez o único real ponto negativo desta estreia tenha ficado para a OST durante a mesma, que foi trabalhada de maneira mínima (fazendo falta em certos momentos do episódio). Mas, no geral, Planetarian teve um início bem sólido.

A minha pessoa está imensamente feliz com esta obra recebendo sua versão em anime. Como se isso não bastasse, este episódio foi fiel demais à novel original, proporcionando uma experiência ainda mais valorosa ao ser vista em seus dezoito minutos de duração. Daqui até o seu final, o NETOIN! estará comentando cada passagem de Planetarian, que certamente se mostrou digno de muita atenção e ampla nota.

E assim se seguirá...

Momentos...
Clique nas imagens para vê-las em tamanho real...


Momentos - de um lado está alegria, quando a Yumemi despertou e ganhou o seu nome. Mas, na outra imagem, a tristeza da dura despedida...



Chegada #1 - o Junker havia se refugiado no prédio, após ter escapado de seus perseguidores na cidade. Após ter estranhado uma coisa ou outra, acabou avistando uma porta. Então...



Chegada #2 - o humano acabou sendo recepcionado por uma pequena (e carismaticamente tagarela) robô, chamada Yumemi...



Felicidade - a Yumemi fez o possível para ser convidativa ao recém chegado, tratando-o como cliente do local e se desculpando por quaisquer coisa que ela fizera ou falara ao mesmo. A expressão de algeria dela é quase única...



Convite - a Yumemi soube irritar o Junker que, ainda assim, conseguiu se controlar bem em meio a tantas palavras seguidas ditas pela pequena robô. Visando agraciá-lo por ser o "cliente de número dois milhões e meio" do planetário, a Yumemi fez ao humano um convite especial...




Jena - a Yumemi iniciou a apresentação do planetário. Explicou as regras do lugar. Tentou ser engraçada com uma piada por ela certamente repetida inúmeras vezes. Mas seu companheiro (o grande telescópio de nome Jena) parece não ter ajudado muito...


Pensativa - por diversas vezes, a Yumemi assim se fez mostrar para o Junker. Uma vez que ela mesma admitia estar "quebrada" em diversos pontos de seus softwares internos, a mesma não compreendia o sarcasmo do Junker...


Conversas - para tentar sair do planetário, o Junker se viu em grandes dificuldades. Mas para a Yumemi, certamente havia uma certeza...


"Teve início a jornada de nome Planetarian..."

Até a próxima!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]


Conheça o autor do NETOIN!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

  • 2Blogger
  • Disqus

2 Comentários

  1. Esse foi um bom primeiro episódio, que mostra bem a situação e o que aconteceu com o mundo. E também como o "sucateiro" (o chamo assim, por ser a tradução direta e para privá-lo de qualquer glamour, considerando seu modo de vida) chega à "Cidade Selada".

    Os cenários ficaram muito bem, mostrando a sujidade necessária para representar um mundo devastado. De fato, me senti em um jogo de Fallout, que... é exatamente assim. O contraste com os traços suaves e cores vivas de Yumemi funcionam bem, mostrando que ela é uma "peça fora do lugar".

    Torço para que coloquem mais músicas do original, que são muito bonitas e apropriadas para cada situação.

    A animação de encerramento é bem simpática, mostrando Yumemi de forma cômica, com uma canção agradável. Mas por outro lado é extremamente doloroso ver isso...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações


      Prazer em ler vossos comentários por aqui, nobre Usys.

      Realmente, concordo com todos os seus pontos. E te saliento isto: este anime saberá tirar muitas lágrimas de quem o assistir, em seu final.


      Até mais!

      Excluir

Dê a sua opinião sobre este texto do NETOIN!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as ideias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!

comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - NETOIN! 2006-2017
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons