Em pauta!

quinta-feira, 4 de junho de 2020

[Fim de Temporada] Breakers


Falando de preparação paralímpica...

O ano de 2020 está para ser demasiadamente marcado, das mais diferentes razões, quando chegar ao seu final. Além de crises diversas que assolam grande parte do mundo, a pandemia provocada pela COVID-19 tem proporcionado novas e inesperadas experiências. Com tal fato em pauta, eventos como as Olimpíadas e Paralimpíadas, que seriam realizados na capital japonesa, foram postergados para junho de 2021. Na área de abrangência deste blog, isto acabou afetando a vários animes de variadas formas.

Incluso nisto, a saber, um título que sofreu uma pausa tão logo chegou na metade de sua exibição, tendo assim reprisado seus episódios iniciais e, semanas após, continuado de onde parou até o seu fechamento. E indo ainda mais além, tal anime trata-se justamente de desportos paralímpicos, abrangendo treinamentos, dados técnicos e prática dos mesmos, tudo isto regado a uma certa dose bom humor e criatividade. Nobre visitante, a obra em pauta chama-se Breakers.

Este título começou a ser exibido em janeiro, com uma programação fixada em dezesseis capítulos animados no seu total. Cada um de seus episódios não passa dos nove minutos de duração. Do seu montante exibido houve a separação em quatro arcos, igualmente divididos no mesmo número de episódios. Quanto aos desportos paralímpicos, foram trabalhados o basquetebol em cadeira de rodas, seguido então pelo salto em altura, passando pelo golbol e, então, finalizando com a natação paralímpica.

Primeiro arco (esquerda): Kai, no basquete; Segundo arco (direita): Shou, no salto em altura.

O anime não tratou de tais modalidades com um modal descompromissado, nobre visitante. Ao longo de sua exibição, Breakers trouxe consigo a figura do professor Narita Ren que, como grande admirador destes esportes, sempre esteve na busca por grande talentos para melhorar suas performances, aguçar suas capacidades e, assim, desenvolvê-los a novos níveis de prática para-desportiva. Embora o seu comportamento inicial demonstre outras vertentes, a verdade é que ele age com seriedade nos pontos já citados, tendo sempre a companhia robótica do Tama, tanto para auxiliar como também para cutucar o professor.

No encalço de levar jovens promessas a atingir os seus limites e abraçar novas conquistas, o Narita acabou treinando, aconselhando e auxiliando diretamente no aprimoramento desportivo de quatro pessoas. Começou pelo Kai, um jovem com pouco desenvolvimento corporal que, tendo seu irmão como ídolo, sempre sonhou em praticar basquetebol. Na sequência foi a vez do Shou, que de uma promessa no handebol passou, após um grave acidente, a praticar o salto em altura. Logo após, o Narita se viu às voltas com a jovem Emi que, inicialmente desacreditada e tendo quarenta porcento de sua visão, passou a ajudar suas colegas no time de golbol. Para finalizar, o Taku ganhou a atenção do professor, dada sua personalidade e aptidão ascendente para a natação paralímpica.

Talvez este texto esteja dando a ideia de que tudo correu bem para o professor e os quatro jovens citados, visitante. Na verdade, muitos obstáculos tiveram de ser superados pelos praticantes dos desportos paralímpicos já citados, o que envolveu questões de inclusão e aceitação, passando por rivalidades e adaptação para uma nova vida. Aliás, mesmo o Narita teve os seus percalços, buscando gradativamente melhorar as suas próprias perspectivas para, assim, ser uma melhor influência aos seus pupilos.

Terceiro arco (esquerda): Emi, no golbol; Quarto arco (direita): Taku, na natação.

Dentre os grandes trunfos de Breakers, seguramente a maneira com a qual os desportos paralímpicos foram trabalhados mereceu uma nota positiva. O anime soube dar explicações concisas sobre as regras fundamentais de cada evento, além de expandir este conceito para práticas mais sólidas de treinamento em cada um. Tudo isto se desenvolveu juntamente a uma descontração que, em teoria, não seria exatamente o ponto mais esperado para uma obra com esta temática.

Tecnicamente, o anime em pauta apresentou uma gradativa evolução em seus episódios, tanto na apresentação visual como - principalmente - no desenho dos seus personagens. Teoricamente, o fato de três estúdios terem estado à frente de Breakers (sendo eles: ALBACROW, Blaze e Lunch Box) pode ter resultado nisto. Sonoramente, este título não apresentou trabalho que o destaque dos demais, mesmo entre as obras de curta duração episódica, mas que ainda assim pode ser classificado como normal e/ou satisfatório.

Amigos se ajudando, rivalidades à espreita, conceitos em evolução, angústias a serem vencidas e anseios melhorados, são algumas das vertentes presentes em Breakers, durante toda a sua exibição. O anime não é fantástico ou feito para marcar uma época, mas a proposta dele foi muito bem-vinda e assisti-lo, para este humilde blogueiro, foi uma experiência bem agradável e interessante. Nobre visitante, caso tenha a oportunidade, assista a este título em pauta e sinta-se inserido entre os desportos paralímpicos você também.

-   Breakers é um anime muito bem recomendado pelo Netoin!   -

E assim se seguiu...

Momentos...



"Professor Narita e o seu fiel ajudante robótico, Tama..."


"Kai..."


"Shou..."


"Emi..."


"Taku..."


Breakers
origem: obra original  /  animação: estúdios ALBACROW, Blaze e Lunch Box
temporada: janeiro-2020  /  total de episódios: 16

*** avaliação final: 7.5 pontos de 10.0 possíveis ***


"Mais uma missão cumprida..."

Até a próxima!

O Netoin! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in Netoin! ]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre este texto do Netoin!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as ideias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Apenas uma observação deve ser feita, pois não será admitida nenhuma forma de spam.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!