[Especial] Destaques da animação japonesa (2017) - De tudo um pouco... ~ Netoin!

domingo, 14 de janeiro de 2018

[Especial] Destaques da animação japonesa (2017) - De tudo um pouco...


Momento da redenção...

No ano que se passou, um total de sessenta e sete animes se tornaram elegíveis para o simbólico pleito deste blog, uma vez que tal montante representa o que foi visto pela minha pessoa em 2017. Se comparado com 2016, o decréscimo foi de vinte e sete animes, fato este definido por situações diversas que ocorreram ao longo dos últimos doze meses que acarretaram, inclusive, com um trabalho bem salteado deste lar na internet no citado período.

Antes de tudo, é necessário que você saiba quais serão os animes que poderão, efetivamente, serem aqui citados. Deste modo, se fará necessário que a sua pessoa acesse o link abaixo para ver todo o enunciado geral, o que inclui regras e alguns questionamentos à mais.

Indicação de leitura

Diferentemente dos últimos três anos, este post especial não será dividido em duas partes, que faziam referência aos destaques negativos e positivos do ano. Para esta ocasião, ambos os pontos serão citados no mesmo texto, mesmo que de uma maneira mais diminuta.

Agora, você poderá acompanhar um pouco das impressões que 2017 acabou deixando para este humilde blogueiro. Contudo, salienta-se aqui que tudo a aparecer até o final deste post não é a "verdade do universo". Porém, segue aquele ideal levado adiante desde 2010, buscando a troca opinativa e bem assertiva com você.

E assim foi 2017...



Como já foi citado no post que fez a introdução para esta oportunidade (clique aqui para acessá-lo), o ano de 2017 não conseguiu repetir o mérito animístico estabelecido em 2016 no seu montante. É bem verdade que a minha pessoa não esperava, em comparação, tamanho nível de trabalho para as obras exibidas nos últimos doze meses. Ainda assim, 2017 foi um bom ano na área dos animes, apresentando obras interessantes e gratas surpresas.

Este humilde blogueiro se sente convicto em afirmar que 2017 foi o ano das continuações. E de fato, muitas das sequências exibidas nele acabaram sendo, no mínimo, iguais às suas temporadas predecessoras (como foi o caso, por exemplo, de Mobile Suit Gundam: Iron-Blooded Orphans 2nd Season). Isso não eximiu, entretanto, de que aparecessem obras que não eram esperadas (como World Fool News TV Part II) ou continuações que acabaram não caindo no agrado de minha pessoa (caso específico das quarta e quinta temporadas de YamiShibai).

De toda a forma, o ano que se passou foi surpreendente em vários aspectos. Inclusive, vários animes que o fandom avaliou positivamente acabaram não sendo vistos por este blogueiro, o que talvez possa ser feito ao longo de 2018 (com direito à posts especiais para os mesmos).

Igual ao modal estabelecido para os top's de 2016, nesta oportunidade os trinta animes mais representativos (para este blog) serão divididos, uma vez mais, em três grupos distintos. Tu pode interpretar isto como loucura, desnecessário ou fora do comum, pois a minha pessoa não lhe tirará a razão. Mas, acredite, foi sentida uma certa necessidade em repetir a execução desta ação.



Seguem-se, abaixo, a mensuração da divisão dos grupos para os trinta animes à serem citados. À saber:
* Grupo de Ouro: do primeiro ao décimo colocado;
* Grupo de Prata: do décimo primeiro ao vigésimo colocado;
* Grupo de Bronze: do vigésimo primeiro ao trigésimo colocado.

Foi levado em consideração, para tanto, os aspectos técnicos de cada obra, sendo uma avaliação geral que engloba características como enredo, elenco, ambientação, visual e afins (muito embora este humilde blogueiro não seja uma referência em nenhum dos pontos citados). Contudo, não apenas isso contou de fato, pois uma séria ponderação foi necessária, A mesma trata-se imersão que este humilde blogueiro teve com cada anime visto, sendo este chamado apreço final à tais (incluindo nisto pontos como atração, expectativa, retorno pessoal e afins), gerando uma grande valia (uma vez que este lar na internet é bem mais opinativo do que técnico).

Por isto, nobre visitante, esteja à par (uma vez mais) que tudo à ser citado, daqui por diante, tem um conceito pessoal por detrás (de maneira predominante). Diante isto, é feito o convite para que você deixe registrado, na seção de comentários, o seu próprio top do ano. Cite o que tu sentiu quanto ao que viu no ano passado, independente de quaisquer outra coisa. Minha pessoa anseia em ver as mais diferentes avaliações possíveis sobre 2017, inclusive concordando/discordando das citações deste post.

Momento das citações...

Menção honrosa para 2017
-   Oushitsu Kyoushi Heine   -


Se por um lado 2017 não repetiu na totalidade a qualidade de 2016, ainda assim apresentou ótimas obras, o que incluiu grandes surpresas no caminho. E uma obra que mereceu ser destacada, para tanto, conseguiu conciliar aspectos de imersão como diversão e carisma em um nível que, na primeira olhada (em um chart de temporada), não parecia que seria para tanto. Mas felizmente foi.

Com isto, Oushitsu Kyoushi Heine acabou sendo a escolha como menção honrosa de 2017, justamente pela surpresa mais do que positiva que este anime acabou sendo. A obra contou a história de Wittgenstein Heine, um tutor que recebeu o chamado da realeza para executar uma grande e importante missão, sendo esta a de educar e (de certa forma) "colocar nos trilhos" os quatro príncipes da família von Grannzreich. Possuindo comportamentos diferentes, estes jovens já haviam se desvinculado de todos os seus tutores no passado, o que automaticamente aumentou a importância da presença do Heine naquele lugar.

O anime contou com muitos momentos de irreverência, comédia bem leve e, obviamente, ótimas lições passadas pelo Heine aos seus quatro alunos da realeza. Importante aqui ressaltar que o tamanho do citado protagonista não era exatamente o de uma pessoa em idade adulta o que, obviamente, acabou valendo farpas de sarro por parte de alguns dos quatro príncipes. Mas no decorrer do anime ta cenário acabou mudando muito e o final da obra, no geral, acabou sendo mais do que satisfatório. Este anime vale uma conferida de sua parte, nobre visitante.

Melhor animação
-   Re:Creators  -


Esta citação, para 2017, podia pertencer à vários animes, talvez por um mérito até de empate técnico. De outra forma, pode soar como algo bem pretensioso deste humilde blogueiro, colocar Re:Creators como sendo digno da melhor animação de 2017. A verdade é que, apesar de alguns momentos inconstantes, o anime em pauta sobressaiu-se exatamente onde se esperava, o que lhe valeu tal simbólico prêmio.

Diversas outras obras poderiam aqui aparecer, para melhor animação, estando entre elas Kobayashi-san Chi no Maid Dragon, Sangatsu no Lion 1st Season, Uchouten Kazoku 2nd Season e Alice to Zouroku. Para qualquer um destes animes, dizer que teve uma das melhores animações do ano seria também extremamente justo.

Contudo, visitante, melhor animação é diferente de melhor arte. No caso, o melhor visual do ano coube a três obras distintas, em um perfeito e justo empate, sendo elas Houseki no Kuni,  Natsume Yuujinchou Roku e Sangatsu no Lion 1st Season. Os traçados de ambos os animes citados foram impecáveis, com cenários mais do que bem feitos e paisagens belas. O capricho foi geral.

Melhores protagonistas
-   masculino: Yotarou, de Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu: Sukeroku Futatabi-hen   -
-   feminino: Akari Kawamoto, de Sangatsu no Lion 1st Season   -


Uma vez mais, é necessário ressaltar que 2017 foi o ano das continuações. Desta maneira, é mais do que plausível imaginar que, em tais obras, certamente alguns dos integrantes dos respectivos elencos tenham se sobressaído. Não que os animes novos para o período nem tenham apresentado personagens assim, mas sim pelo fato de que o crescimento de alguns destes foram simplesmente notáveis, dignos de ampla referência.

Neste quesito, o Yotarou acabou sendo o protagonista masculino em destaque de 2017. A sequência de Shouwa Rakugo acabou colocando o citado personagem em xeque nos mais diversos momentos. Para ele, muitas perdas e ganhos acabaram fazendo parte de sua história, sobretudo em alinhamento com uma realidade na qual a arte do Rakugo estava para ser enterrada, mesmo sendo uma característica cultural do Japão como um todo. Seguramente, lágrimas e sorrisos fizeram parte de quem assistiu a tal anime, graças à presença do Yotarou.

Nobre visitante, tenha a certeza de que a competição do protagonismo foi bem acirrada em 2017, tal como ocorrera em 2016. Para tanto saibas que, entre os candidatos diretos à simbólica premiação, constavam nomes como os de Itsuka Orga (Mobile Suit Gundam: Iron-Blooded Orphans 2nd Season), Otus Jean (ACCA), Wittgenstein Heine (Oushitsu Kyoushi Heine), Satou Kazuma (Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku wo! 2), Kamishura Zouroku (Alice to Zouroku), Inuyashiki (Inuyashiki) e Fujita Tatara (Ballroom & Youkoso).


Se na ala masculina do protagonismo embate foi intenso, o mesmo pode ser dito e ratificado ao lado feminino da questão. Incrível foi a capacidade que 2017 teve de apresentar protagonistas tão carismáticas, incríveis e dignas de ampla citação. Irrestritamente, poucas delas não seriam merecedoras de tamanha atenção. E a escolha para o ano que passou acabou ficando com "a mãe de todos os personagens de 2017".

Sem dúvida alguma, para este humilde blogueiro, a Kawamoto Akari foi a grande protagonista feminina de 2017. Como se cuidar de suas duas irmãs mais novas já não era mais do que o bastante em sua vida, a Akari mostrou ser uma personagem ímpar, dedicada à cuidar de todos em sua volta que julgasse como dignos de tamanho trato, sem restrição ou quaisquer obstáculo. Sua afeição, alinhada ao alto senso de responsabilidade carregado por esta personagem, fizeram dela mais do que merecedora desta simbólica premiação.

Entre os nomes que concorreram diretamente com a Akari para protagonismo feminino em destaque estava justamente o da sua irmã, a Kawamoto Hinata (Sangatsu no Lion 1st Season), além de Hiyama Chinatsu (Ballroom & Youkoso), Meteora (Re:Creators), Megumin (Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku wo! 2), Degurechaff Tanya (Youjo Senki), Tooru (Kobayashi-san Chi no Maid Dragon), Machi Kyouko (Demi-chan wa Kataritai) e Riko (Made in Abyss).

Anime de potencial menos aproveitado
-   Vatican Kiseki Chousakan   -


O ano de 2017 teve muitas surpresas bem-vindas, sendo que várias delas já foram citadas neste post. Porém, houve também espaço para aqueles animes cujo potencial acabou sendo um tanto quanto sub-aproveitado. É um efeito relativamente comum, no qual o enredo explanado dá a síntese de que algo quase extraordinário tenderá à ser apresentado mas que, a cada novo episódio, acabou apenas mostrado que todo um potencial acabou não sendo trabalhado da maneira que poderia.

Para a minha pessoa, Vatican Kiseki Chousakan acabou sendo o anime de potencial menos aproveitado em 2017. O enredo desta obra tenha a religião católica como alicerce de sustentação, cuja ramificação e gatilho de seus eventos se dava com um processo de investigação sobre possíveis milagres que ocorriam pelo mundo afora, sobretudo deixando em evidência algumas práticas conspiratórias por detrás de tais eventos.

Tenha em mente, nobre visitante, que este anime não foi ruim. A verdade, entretanto, é que ele poderia ter saído muito melhor do que acabou mostrando ser até o seu final. Acaba sendo um tanto quanto digno de grande reflexão um anime como este. Sendo melhor trabalhado, especialmente pelas altas vertentes que o seu roteiro e grupo de personagens ofereciam, certamente Vatican Kiseki Chousakan poderia acabar sendo um dos grandes destaques positivos de 2017 (sem nenhum exagero nesta afirmativa).

Anime menos apreciado
-   Omiai Aite wa Oshiego, Tsuyoki na, Mondaiji   -


Foi por muito pouco que as duas temporadas de YamiShibai não acabaram tendo esta primazia simbólica. De igual maneira, pode ser aqui citado o anime Idol Jihen que, além de ter um bom potencial pouco aproveitado, acabou ficando um tanto quanto abaixo da média para este humilde blogueiro (em todos os níveis possíveis). É para se pensar o fato de que, em 2017, possa ter aparecido um anime que desbancasse estes dois títulos citados no quesito de menor apreciação. E realmente, tal obra existiu.

Trata-se de Omiai Aite wa Oshiego, Tsuyoki na, Mondaiji. Um anime cuja com quatro minutos de duração em cada um de seus episódios. Mas, seguramente, não precisou mais do que isso para tal título simbólico. A sua história envolveu, entre outras coisas, um "estranho" caso de romance entre uma professora chamada Saigawa Nana e um de seus estudantes, o Kuga Souji. O real problema nisto esteve no fato do Souji ter enganado a Nana para chegar a tal feito.

Não há muito mais para se aqui redigido sobre o enredo deste anime, além do que já foi explanado mais acima. Basta saberes que, mesmo com a curta duração de seus episódios, o título em questão se propôs um pouco das cenas mais maliciosas possíveis entre estes dois personagens onde, na maioria das vezes (para não dizer todas), a Nana estava sempre em dúvidas (e aflita) enquanto o Souji "comandava" a situação toda.

Destaques para citações temáticas


Alguns personagens coadjuvantes honrosos do ano.
* masculinos: Nikaidou Horunobu (Sangatsu no Lion 1st Season); Sengoku Kaname (Ballroom & Youkoso); McGillis Fareed (Mobile Suit Gundam: Iron-Blooded Orphans 2nd Season).
* femininos: Akagi Mako (Ballroom & Youkoso); Altair (Re:Creators); Tadokoro Megumi (Shokugeki no Souma: San no Sara); Benten (Uchouten Kazoku 2nd Season); Kudelia Aina Bernstein (Mobile Suit Gundam: Iron-Blooded Orphans 2nd Season).

Destaques para características/gêneros em específico.
* comédia: Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku wo! 2.
* drama: Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu: Sukeroku Futatabi-hen; Tsuki ga Kirei; Just Because!.
* romance: Just Because!; Tsuki ga Kirei.
* ecchiShokugeki no Souma: San no SaraKono Subarashii Sekai ni Shukufuku wo! 2.
* fantasia: Made in AbyssKono Subarashii Sekai ni Shukufuku wo! 2; Little Witch Academia.
* ação: Mobile Suit Gundam: Iron-Blooded Orphans 2nd Season; Inuyashiki.
* slice-of-life: Demi-chan wa Kataritai; Tsurezure Children; Natsume Yuujinchou Roku.
* esporte: Yowamushi Pedal: New Generation; All Out!!.
* curta duração: Tsurezure Children.

Os top's de 2017...

Tal como se fez enunciar mais acima, no início deste post, serão agora mostrados para você os três grupos que, unificados, formaram o top'30 de animes para o ano de 2017 desta humilde casa na internet, nobre visitante.




Grupo de Bronze'2017 (21º ao 30º):
* Yowamushi Pedal: New Generation; Kobayashi-san Chi no Maid Dragon; Demi-chan wa Kataritai; Shingeki no Kyojin 2nd Season; Alice to Zouroku; Kozu no Honkai; Centaur no Nayami; Net-juu no Susume; Inuyashiki; Senki Zesshou Symphogear AXZ.

Não se deixe enganar por tal posicionamento, visitante, pois os animes acima citados mereceram (e bem) constar entre os destaques do ano. Certamente, pode ser aqui ressaltado que o gênero slice-of-life esteve mais do que bem representado (com três das dez obras). Títulos como Shingeki no Kyojin 2nd Season tiveram sua revelia, juntamente das boas surpresas Alice to Zouroku e Net-juu no Sussume. Por sua vez, se Inuyashiki não tivesse uma animação tão abaixo de sua história e elenco, certamente o anime teria ficado bem melhor posicionado ao final do ano (uma vez que os seus últimos episódios foram simplesmente excelentes em todos os quesitos, tanto de animação como de enredo).




Grupo de Prata'2017 (11º ao 20º):
* Just Because!; Natsume Yuujinchou Roku; Kekkai Sensen & Beyond; Ballroom & Youkoso; Houseki no Kuni (TV); Animegataris; Tsurezure Children; Kino no Tabi: The Beautiful World - The Animated Series; Shokugeki no Souma: San no Sara; Youjo Senki.

Mais um grupo de grande e inapelável registro, representando muito bem um pouco daquilo que foi 2017 no campo animístico. O romance e o drama foram os gêneros em grande destaque neste chaveamento prateado. Houseki no Kuni foi uma das surpresas do ano para a minha pessoa, com um enredo sempre na crescente e um visual que, certamente, mereceu ficar entre os melhores dos últimos doze meses. Tsurezure Children mostrou como a mistura entre slice-of-life, comédia e romance pode ser bem desenvolvida. Shokugeki no Souma: San no Sara manteve a boa escrita da série, tanto quanto Natsume Yuujinchou Roku também o fizera. Ballroom & Youkoso é outro exemplo de anime que poderia ter encerrado 2017 ainda melhor ranqueado, se não fosse por questões do campo mais técnico para a obra (sendo que esta obra também contou com episódios finais arrebatadores).




Grupo de Ouro'2017 (1º ao 10º):
* Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu: Sukeroku Futatabi-hen; Little Witch Academia; Tsuki ga Kirei; Sangatsu no Lion 1st Season; Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku wo! 2; Made in Abyss; ACCA: 13-ku Kansatsu-ka; Uchouten Kazoku 2nd Season; Mobile Suit Gundam: Iron-Blooded Orphans 2nd Season; Re:Creators.

O princiapal agrupamento de 2017 até aqui, com os aclamados dez melhores animes do ano no ponto de vista da minha humilde pessoa. É mais do que prazeroso ter, neste chaveamento, um pouco de tudo em sua mais clara e franca essência. A continuação de Shouwa Rakugo foi sublime, não importando o ângulo no qual se fez avaliar a obra, com direito a muito drama e lágrimas mais do que pontuais. Little Witch Academia foi o anime responsável por incontáveis sorrisos semanais à frente do computador, sem medo algum de exagero aqui. Tsuki ga Kirei apresentou um romance jovem escolar certeiro, na medida, comedido e sem exageros. Konosuba 2nd Season não apenas foi melhor que sua série predecessora em todos os níveis e critérios, como também mostrou uma abertura digna de nota. Sangatsu no Lion 1st Season dispensa maiores apresentações, ao menos até terminar a sua segunda temporada (o que foi exibido em 2017 já valeu muito em emoção).

Todos os demais animes deste agrupamento tiveram seus méritos mais do que incontestáveis, sobretudo Made in Abyss e Mobile Suit Gundam: Iron-Blooded Orphans 2nd Season. Contudo, e talvez, a presença de Re:Creators entre os dez melhores possa ser considerada como um tipo de "citação estranha" para tanto. Na verdade, a diferença deste até o décimo quinto colocado do ano, no todo, foi muito tênue. Ao final, o que acabou contando mais foi o apreço final que a minha pessoa teve com cada obra, cada uma no seu devido e justo mérito.

Considerações finais...





Por mais que muito deste texto tenha apresentado opiniões pessoais (na verdade quase a totalidade), a verdade é que nada teve uma "escolha a dedo" ou forçada. Tudo acabou sendo minucioso, levando em conta todos os fatores mostrados ainda no início deste post (bem como as regras e os animes elegíveis para tanto, cujo link para apreciação também se encontra nos primeiros parágrafos deste texto).

Tal como se fez prever neste mesmo post referente a 2016, houve mesmo um sensível decréscimo no número final de animes elegíveis, por razões do cotidiano pessoal deste humilde blogueiro. Para 2018, entretanto, nenhuma previsão será aqui feita. Até porque, algumas incertezas poderão ser transformadas em certezas e, caso assim ocorra, até um pequeno acréscimo poderá ser considerado. Mas isto é algo que apenas o tempo, com toda a sua força, ousará responder.

De toda a forma, a minha pessoa agradece humildemente pela sua atenção em ter acompanhado este trabalho do início ao fim. Uma vez mais, se faz aqui pedir para que deixe registrado nos comentários os pontos nos quais tu concorda e/ou discorda deste texto, além de citar os seus próprios top's pessoais e/ou considerações gerais que tenha à fazer, no que tange aos animes exibidos em 2016.

Muito obrigado!

Reveja os destaques dos anos anteriores aqui do Netoin!

Até a próxima!

O Netoin! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in Netoin! ]


Conheça o autor do Netoin!, visitante...
Carlírio Neto
Carlírio Neto, um fã de animação e cultura japonesa desde os anos noventa. Dramas são a especialidade pessoal. O personagem Wataru, de Sister Princess, representa bem a personalidade de minha humilde pessoa.

  • 0Blogger
  • Disqus

Deixe o seu comentário

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre este texto do Netoin!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as ideias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!

comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - Netoin! 2006-2018 (ano 11)
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons