Em pauta!

quinta-feira, 14 de maio de 2020

[Volta ao Passado] Como estreou Gekkan Shoujo Nozaki-kun


É sempre bom de relembrar...

A temporada animística de julho-2014 apresentou alguns títulos bem interessantes. Um dos quais este blogueiro mais se recorda é Barakamon. Contudo, escrever aqui sobre tal obra ficará para uma oportunidade mais adiante, pois o momento é para outro anime aparecer com maestria e tanto merecimento quanto. Não por menos, a obra cuja estreia será brevemente dissertada apareceu como um dos grandes destaques de 2014 na opinião do Netoin! [clique aqui para ver o texto correspondente].

Trata-se de Gekkan Shoujo Nozaki-kun. Basicamente, o nome deste anime no português aproximado seria Mangá Mensal para Garotas Nozaki-kun. O sentido do título é amplo e irrestrito, dado o fato de que seu alicerce principal está em um protagonista que escreve e desenha mangás da demografia shoujo, sendo o mesmo alvo da atenção e sinceros sentimentos de uma jovem com os seus dezesseis anos que, atrapalhada e extremamente tímida no momento de dizer o que sente ao rapaz, acabou se tornando próxima à ele em outras vias.

No caso, tal mangaká chama-se Nozaki Umetaro . Ele é um estudante colegial normal e despretensioso, nada ou pouco chamativo para os demais, a não ser pela sua exagerada altura. Por sua vez, Sakura Chiyo é o nome da garota que tem muito carinho por ele, que sempre se atrapalha quando pensa em lhe fazer uma confissão amorosa. Na escola, ela está no Clube de Artes e seus trabalhos em cartazes chamam a atenção do Nozaki tem um certo tempo, embora não exatamente da maneira que ela gostaria.

E tudo começou na pacata sala de aula...

O primeiro episódio de Gekkan Shoujo Nozaki-kun foi muito conciso em sua meta, que era basicamente de apresentar os dois principais personagens, ambientação e toda a dinâmica do roteiro da obra. Sim, nobre visitante, basicamente o anime está - em boa parte - envolto pelas interações entre Nozaki e Chiyo, mesmo que muito mais nas falhas tentativas da jovem em falar do seu amor, gerando os famosos mal-entendidos que, para este humilde blogueiro, neste anime acabaram sendo positivos.

Em seu início de jornada, o anime já demonstrou o quanto a moça tenta falar o que quer, enquanto o rapaz - extremamente incógnito - não percebe algo que está nítido à sua frente. Seja na sala de aula ao final do dia, ou em uma rua alguns dias após, a Chiyo continua com sua empreitada sempre adiante. Aliás, o pseudônimo do Nozaki como mangaká, sendo este conhecido como Yumeno Sakiko, também ficou em evidência.

Várias ações mostradas no anime em pauta foram interessantes no seu episódio inaugural. Interessante frisar que o Nozaki realmente pensa que a Chiyo o vê como uma fã, unicamente, chamando-a inclusive para lhe ajudar com alguns de seus trabalhos. Acredite, nobre visitante, que este anime realmente tem melhora exponencial a cada episódio e que, com cada personagem que adentra na história, a somatória com a dupla Nozaki e Chiyo acaba tornando Gekkan Shoujo Nozaki-kun ainda mais interessante de ser assistido.

E assim se seguiu...

Momentos...



"O que a Chiyo deseja, para todo o sempre..."


"Do quarto do Nozaki até a descoberta sobre Yumeno-sensei..."


"Ideias para uma nova história em andamento..."


"No 'arco da bicicleta', a diferença entre expectativa e realidade foi grande..."


"Uma desolação momentânea..."


"E na nova tentativa de fazer a sua declaração de amor..."


Gekkan Shoujo Nozaki-kun
Episódio #1 - "Esse amor vai se transformar em um mangá para garotas"


"A Sakura Chiyo e sua inabalável determinação.."
 
Até a próxima!

O Netoin! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in Netoin! ]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre este texto do Netoin!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as ideias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!