Especial Little Busters! Refrain - "O poder de grandes vínculos" ~ Netoin!

sábado, 4 de janeiro de 2014

Especial Little Busters! Refrain - "O poder de grandes vínculos"

O logo do anime.

O anime Little Busters! Refrain já teve seu encerramento que, contra boa parte dos prognósticos iniciais, foi digno e bem emocional. O drama característico das obras provenientes da Key Visual Art's fez-se uma vez mais presente. Como se isso não bastasse, houve ainda uma carga emocional muito forte, especialmente no que tange aos três últimos episódios de tal obra.

Minha pessoa já comentou sobre este anime em anterior oportunidade. Mais especificamente sobre o já clássico episódio onze, quando todas as ações do Kyousuke foram colocadas em xeque e muito pôde se perceber, em vias de fato, sobre aquela ambientação em seu completo resplendor.

Dica de leitura aqui no NETOIN!

Desta vez, um novo ponto de vista será mostrado. Trata-se do primeiro guest post de 2014, para o qual uma convidada especial foi chamada. Com o convite gentilmente aceito pela nobre pessoa, ela acabou aceitando o desafio e o resultado disto estará presente nos próximos parágrafos, nobre visitante.

Dito isto, quem terá a honra da palavra é a admirável Melima que, em suas palavras, mostrará o porque de Little Busters! Refrain ter deixado uma marca tão importante em sua mente e seu coração. Trata-se de um texto que contém spoilers do anime (um aviso sucinto para o caso de você não ter assistido a obra, visitante).

Tenha uma boa leitura.

"O poder de grandes vínculos"
Um guest post sobre Little Busters! Refrain
por: Melima

O grupo reunido. Que comece a diversão.

Prazer, eu sou a Melima!

Uma admiradora da cultura japonesa, especialmente de sua mitologia, dos mangás/animes e de Vocaloid. Aprecio também uma boa leitura em qualquer momento. Por sinal, através da união desses hobbies que pude conhecer o NETOIN! e o seu grande dono.

Em uma das conversas com o admirável e respeitado Carlírio, ele propôs que eu fizesse uma review sobre um anime que eu gostava muito de acompanhar. O anime em destaque é Little Busters! Refrain. Eu agradeço imensamente pelo convite desse grande amigo. Prosseguimos, então, com a breve a análise...

A grande chamada.

"What 'Adolescence' do you have? Do you remember 'Childhood'?"
("Que 'Adolescência' você tem? Você se lembra da 'Infância'?")

Com essa premissa somos apresentados ao mundo de Little Busters!. Uma história de amizade e superações, ensinando ao expectador a valorização da vida e dos bons momentos com aqueles que se ama. Enquanto que a primeira temporada apresentou cada personagem, a segunda se responsabilizou pelo drama e lições características das visuais novels da Key, escritas por Jun Maeda.

Em Refrain observamos a abordagem temas, como um possível afastamento entre amigos, inseguranças sobre o mundo dos adultos e a obscuridade do futuro. Dessa forma, percebemos que o mundo é mais que complexo que a visão de Riki Noe (dublado pela Yui Horie) proporcionava na primeira temporada. Analisando um pouco a personagem em questão, concluímos que ele não se importava muito com tais temas, por acreditar com veracidade que teria seus amigos sempre ao seu lado, principalmente Kyousuke Natsume (dublado por Hikaru Midorikawa), o seu porto seguro. O Riki não precisava temer pelo futuro e por tais indagações, pois, ele possuía três conselheiros.

Elos oriundos de uma família bastante divertida.

Durante o anime acompanhamos o desenvolvimento do principal personagem, sendo ele um garoto gentil, amigável e sorridente, que ganhava força física e psicológica através de seus amigos. Mesmo a sua fraqueza e os efeitos da narcolepsia eram ocultados pela força que seus amigos lhe davam. Masato Inohara (duublado por Nobutoshi Canna) era o responsável pela graça com toda sua infantilidade e delírios por seus músculos, mas que escondia um coração muito amigável e fiel. O Kengo Miyazawa (dublado por Yuusei Oda) proporcionava a razão e perseverança de seguir um sonho, não esquecendo de aproveitar a vida com quem gosta. A Rin Natsume (dublada pela Tomoe Tamiyasu) era tímida, mas não media esforços para ajudar os amigos. No início da primeira temporada era natural vermos ela se escondendo atrás dos garotos, mas, isso muda quando ela se permite a confiar nas pessoas por influência primordialmente por seu irmão, do Riki e pelos laços formados no decorrer do enredo, com destaque para Komari Kamikita (dublada pela Natsumi Yanase).

Contudo, o protagonista percebe posteriormente que o mundo a sua volta está sofrendo alterações preocupantes, que afetam os seus amigos. As ações e decisões realizadas pelo Kyousuke não condiziam com a sua personalidade, afetando emocionalmente os amigos de infância, especialmente ao Riki. Ele não compreendia a causa disso, pois, não esperava algo dessas proporções advindas do líder. O rapaz sempre o considerou como seu irmão mais velho, o ídolo que ele queria ser quando mais velho.

O Riki tentava intervir e conversar com o Kyousuke sobre as suas atitudes, entretanto elas apenas resultavam em falhas, chegando ao ponto de ele, Rikki, perceber que a pessoa tão especial para ele o abandona em meio à escuridão e dúvidas da vida. As discussões são intensificadas e lados se formam. O Kengo quer proteger aquele mundo e o casal, Riki e Rin, enquanto que o Masato apóia o Ryousuke, sem demonstrar explicitamente seus motivos. Portanto só uma conseqüência era prevista, o fim do querido Little Busters!, com muitas dores e pesares para os seus integrantes.

O Riki nem imaginava qual futuro estava no seu aguardo...

Entre essas discussões ocorre o desaparecimento das garotas, em que cada uma se despede do expectador e do Kyousuke, causando alguns lapsos de memórias nas demais personagens. Os vínculos estavam se desfazendo aos poucos. O Riki não sabia como reagir à isso. Quando ele perguntava sobre as garotas ninguém sabia responder exatamente o que havia ocorrido com elas. Os amigos estavam se esquecendo de pessoas importantes, inclusive ele. Aquele mundo estava enfraquecendo. Algo acontecia com mestre dele, pois, esse não possuía mais o mesmo poder para sustentar tudo adequadamente.

Em seguida, o Riki decide proteger Rin, fugindo de toda situação que vivenciavam. Isso acabou afetando drasticamente a garota. Graças à sucessão de “erros”, o loop ocorre. Porém, esse mundo não era igual ao de antes: agora era vazio e sem união, carregado de diferenças e amarguras. Cada um sofre com algo que prefere esconder, semelhante a uma proteção e carinho pelos dois companheiros em destaque.

Em uma situação trivial, o Kengo instiga Riki a pensar em uma boa idéia sobre algo que goste e traga diversão para todos. Após essa conversa, o jovem começa a se indagar sobre como Kyousuke reagiria nessa ocasião e o que ele poderia fazer para salvar esse querido amigo de sua depressão, isolamento e auto-flagelação. Para isso, o jovem se animou com a idéia de criar um time de beisebol. Com pequenos passos, ele busca a liberdade para seus amigos ao resolver os impasses de cada um. Aos poucos ele guia os parceiros rumo à idéia sugerida por Kengo. Sem perceber, o Riki cresceu muito, soube unir as diferenças e refazer o grupo outrora desfeito. Apenas faltava uma peça.

“Riki, Rin, se fortaleçam. A frente só o desespero os esperam. Vocês têm 
que ser capazes de aguentar a verdade e seguir em frente de cabeça erguida.”
A frase dita pelo Kengo ecoa com dignidade até agora...

O Kyousuke era responsável pelas desavenças e de alguns avanços que ocorriam nos mundos. Ele preferiu se tornar o alvo de ódio e raiva de seus amigos em prol do crescimento de sua amada irmã e de seu estimado amigo. Contudo, o mesmo preferiu não focar seus pensamentos nas conseqüências dessas ações sobre ele e nos demais, sendo que essas atitudes ocasionaram na cisão do quinteto e em momentos de fortes emoções sobre os membros do grupo. Provavelmente ele tentou de inúmeras formas que não ferissem alguém além dele. Infelizmente, os melhores resultados foram alcançados da pior forma possível. Ele lutou pelo bem maior, carregando consigo não apenas as suas magoas e seus anseios, e sim, de todos os seus amigos. Sendo que esses também fizeram a sua parte em não revelar o segredo. O grupo teria de aguentar tudo por aqueles dois.

Ele queria continuar forte durante toda sua árdua caminhada, pois, seus amigos o viam como grande alicerce de sustentação. Se perdesse a sua compostura, seria levado pelos sentimentos e jamais almejaria dor para aqueles que ele amava. Provando que, assim como os demais, que ele não queria um término com proporções tão trágicas.

Juntamente com ele, duas personagens sofrem muito durante essa caminhada de amadurecimento, sendo eles, Kengo e Masato. Cada um interpretava de uma forma os ideias e as ações de Kyousuke, produzindo divergências por parte do Kengo à respeito de tais atitudes. Assim como Kyousuke, os dois rapazes sofrem em seus âmagos por não poderem contar nada aos amigos e nem perderem a compostura diante de algumas situações. Eles são fadados a serem meros observadores em alguns momentos importantes, enquanto que em outros disfarçam desconhecer o fato indagado por seus queridos amigos, Rin e Riki.

Kyousuke, o principal responsável pelo "mundo".

Com a salvação dos amigos e o crescimento de Riki e Rin, o casal está preparado para enfrentar o fatídico dia. Ambos cumpriram muito bem o papel deles nessa data. Acompanhamos a nobre decisão de resgatarem a todos no ônibus, independente do risco de vida que correriam com isto. Um final de grande superação para todas as personagens, no qual dois deles superaram seus temores em prol dos amigos que tanto adoravam. Uma bela retribuição por todo apoio e empenho que esses tiveram sobre suas vidas, influenciando na atual forte personalidade deles.

A melhor forma de recomeçar a vida seria aproveitando o tempo com seus amigos através de uma viagem que não teve uma conclusão. Naquele automóvel, cada um possuía seus anseios para o futuro. Contudo, eles não tinham mais as inseguranças e os remorsos de antigamente, pois seus amigos estariam sempre ao lado desta dupla sempre que precisassem. O futuro não parecia mais tão amedrontador. Ninguém precisava ficar sozinho, pois, uma mão calorosa se estenderia para esse alguém.

A confiança é a salvação do tristonho companheiro.

Considero Little Busters! Refrain um excelente anime do ano passado. A segunda temporada abordou bem as temáticas ressaltadas e aguardas desde a primeira temporada. Surtindo efeitos de reflexão e emoção ao final de cada rota com suas lições, algumas com uma carga emocional muito forte e outras mais leves. Sendo que carrego comigo tais lições para vida, pois, o enredo possibilita que façamos isso. Enfoques simples como auto-confiança, valor a vida, resiliência, amizade e amor. Além de que o choro nem sempre representa uma fraqueza, ele em conjunto com a linguagem corporal expressam muito bem sentimentos em determinada ocasião. Acredito que se cada expectador conseguiu extrair um pouco desses temas, Little Busters! cumpriu adequadamente o seu papel.

Eu recomendo Little Busters! Refrain à quem aprecia uma boa história com reflexões sobre a vida e romance. Mesmo com a polêmica sobre a adaptação da J.C. Staff, acredito que alguns episódios produziram um bom feeling. Entretanto, se o anime pudesse dispor de mais episódios, talvez a obra fosse adaptada com mais dignidade. Independente disto, o anime dispõe de credibilidade e pode ser apreciado por aqueles admiram um slice-of-llife com drama ao estilo Key.

Um breve adeus para os Little Busters!.

Com isso encerra-se o guest post feito com carinho e dedicação
pela nobre Melima, para o NETOIN!

Minha pessoa agradece por tal atenção e envolvimento
por parte da nobre e respeitável pessoa dela e, quem sabe, 
novos guests posts poderão surgir com o tempo.

Até a próxima, visitante!

O NETOIN! está com você, no Facebook e no Twitter

[ made in NETOIN! ]

Conheça a convidada do NETOIN!, Melima...
Melima
"I think... I write a chapter."

Esta é a jovem Melima, sonhadora e amante de um bom drama e muito mais...              

  • 8Blogger
  • Disqus

8 Comentários

  1. Não vou mentir: eu não gostei desse anime.

    Assisti ele desde o começo, e após uma lomge pausa após o episódio 15, retomei a série assim que o Refrain saiu esse ano. O drama em muitas partes é bem característico das histórias da Key, e algumas histórias são de certa forma interessantes, como a das duas gêmeas. Contudo, eu não consegui gostar desse anime, os personagens não fizeram eu me importar com eles, não de deixaram curioso com os seus desenvolvimentos, muito pelo contrário. Isso sem dizer muitas coisas mal-explicadas e conveniências qua a adaptação da JC Staff deixaram pra trás, deixando-me a sensação que o refrain deveria ter sido mais explicativo, e deveria ter tido mais destaque, ao invés das "brincadeirinhas de escola" tão presentes na primeira temporada.


    A história é focada em amizade e superação, algo que já me é saturado, então desde o começo já sabia que não iria conseguiur gostar de Little Busters. Entretanto, ela poderia muito bem ter transpassado isso e me mostrado um drama no nível de suas "irmãs" animadas pela Kyoto Animation, mas não conseguiu.

    Considero até então como Little Busters sendo a pior obra já animada da Key visual arts, e só fico imaginando se ele tivesse sido adaptado pelo mesmo estudio de seus antecessores se a história teria sido diferente, afinal, quando uma obra é baseada em um jogo, a adaptação chega a pesar mais do que a obra original propriamente dita, vide Kanon 2002 e Kanon 2006.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações


      Eu acredito imensamente que o ponto de impacto para você não ter gostado do anime é este: o foco do enredo. O mesmo já não é de seu agrado, pelo que pude assim interpretar. Desta forma (e independente de qual estúdio o trabalhasse) acredito que Little Busters! (em um todo) dificilmente seria de seu agrado, nobre M.N...

      A primeira temporada foi muito mais de apresentações e de pequenos eventos de impacto reduzido do que quaisquer outra coisa. Entretanto, confesso aqui os últimos cinco episódio da citada temporada foram muito dignos, porém não altura de que se esperava da premissa. Por sorte, Refrain com apenas a metade dos episódios, se saiu muito melhor que a série predecessora, com muitos méritos (apesar de alguns visíveis pontos de questionamento na mesma).

      E tenho, por mim, que as piores obras animadas da Key sejam Kanon2002 e One ~Kagayaku Kisetsu e~ (muito embora a segunda obra tenha no time o prenúncio histórico dos bastidores da Key, não sendo ainda "a Key" propriamente dita).


      Até mais!

      Excluir
    2. Hello, M.N!

      Devido a J.C. Staff adaptar todas as rotas, muitas personagens ficaram com seus arcos compremetidos, dessa forma, diminuiram todo o carisma que eles poderiam apresentar.
      De forma sutil essas brincadeiras expressavam um pouco sobre os focos do anime, sendo eles bem reforçados na segunda temporada. Se compararmos os eventos da primeira temporada com os motivos apresentados posteriormente, perceberemos que eles serviram para proporcionar o crescimento do casal, como também mostrar as brincadeiras que compõem grandes amizades.

      Concordo que boa parte do drama presente nos arcos das garotas não foram bem adaptados, contudo Refrain soube demonstar isso de forma agradável, focando nos principais mediadores da estória.

      Essa característica pesa muito mesmo. Eu ainda considero um defeito da obra a falta de tempo para adaptar da melhor forma a VN, mais episódios com bom trabalho proporcionaria bem os sentimentos explorados no jogo. LB! Refrain conseguiu isso, mesmo que os arcos dos rapazes, principalmente o do Masato, fossem tão breves.
      Um detalhe interessante, meu caro, seria de que em questão de adaptação das rotas LB! ganha de CLANNAD, porém, o primeiro não conseguiu se equiparar com After Story, mesmo com todo o potencial dela.

      Excluir
    3. O grande Carlírio comentou um ponto interessante, a sua provável não apreciação do tema e Refrain não conseguir superar isso. Como bem enfatizou, Refrain é isso, uma estória sobre amizade com superação e valor a vida.

      Agradeço pela sua leitura, caro M.N.

      Até mais o/

      Excluir
  2. Não conhecia esse anime!
    Vou coloca-lo na minha listinha para assistir mais pra frente^^

    então,estamos com novidades no blog,venha visitar e conferir de pertinho,tá?!
    te espero lá *-*
    abraços!!

    http://gliter-lovely.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações

      Pelo pouco que lhe conheço, acredito muito que acabará gostando deste anime, jovem Melissa.

      Novidades? Passarei por lá mais tarde, asseguro-te.^^


      Até mais!

      Excluir
    2. Hello, Melissa!

      Se a review fez com se interessasse pela obra, recomendo que assista mesmo. Little Busters! Refrain consegue cativar bem em alguns momentos.

      Até mais o/

      Excluir
    3. Agradeço a sua leitura, cara Mellissa.

      Até o/

      Excluir

Dê a sua opinião sobre este texto do NETOIN!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as ideias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!

comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Blog sobre animação japonesa - Não copie os textos. Favor entrar em contato com o dono do blog para maiores dúvidas e detalhes. - Netoin! 2006-2017
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons