sábado, 19 de novembro de 2011

Análises em Geral - parte #42: uma pequena maravilha de nome Chobits

Os dezesseis volumes de Chobits no Brasil.

A seção Análises em Geral aparece uma vez mais para trazer até você, visitante, mais um texto cujo propósito é de apresentar uma obra que, há muito tempo, foi publicada no Brasil. Hoje esta mesma obra só pode ser encontrada em grandes eventos ou em sebos.

O mangá do qual será tratado pega um pouco da ideia mostrada em Angelic Layer, com o diferencial de elevá-la a um nível mais acima. Uma ficção que carrega consigo arquétipos que vão um pouco além de uma premissa básica, onde há drama, amizade, romance e até passagens à se pensar...

Uma história que faz alusão à um futuro possível? Ninguém sabe. O que se tem absoluta certeza é de que, em se tratando de Chobits ( mais uma obra com o selo de qualidade CLAMP ) a qualidade é inegável. Seja na história, seja em sua publicação ( que realmente ficou acima da média na época em que foi publicada a obra no Brasil ).

Desta forma, é a hora de ficar confortável em seu canto. E escutando esta música no fundo, aprecie esta edição do Análises em Geral, sobre o mangá de Chobits no Brasil.

Conhecendo a obra...

Chobits, na publicação brasileira.

Como já foi mencionado anteriormente, Chobits é mais uma obra que carrega toda a responsabilidade e qualidade do grupo CLAMP consigo. No Brasil, o mangá foi publicado pela Editora JBC no ano de 2003, com um total de dezesseis volumes. E trata-se de uma obra cuja história é carregada de simplicidade, mistério e sentimento...

Em Chobits, você é convidado a entrar em um mundo que muitos asseguram como sendo parte de um futuro próximo. Neste mundo, os humanos possuem "robôs de estimação" chamados Persocons. Trata-se da última tecnologia do momento. Há Persocons para todos os estilos e ocasiões, onde variam-se desde o tamanho destes robôs até as suas mais diferentes finalidades...

Com tal conjuntura, um jovem de nome Hideki se faz apresentar. Vindo do interior japonês, ele está em Tóquio para concluir seus estudos universitários. Ele vive só em um pequeno e apertado apartamento ( talvez quarto seja a melhor definição ). Ele trabalha em um restaurante e tem no jovem de nome Shimbo a pessoa que considera como sendo seu grande amigo.

Exemplo de páginas coloridas em Chobits.
Chii e Chii? Não é bem isso...


A vida de Hideki muda substancialmente quando, ao sair do restaurante depois de um dia normal de trabalho, ele acha uma Persocon jogada no lixo. Cercada por fitas em boa parte de seu corpo, a Persocon é carregada pelo Hideki até o seu apartamento.

Mostrando total inexperiência com a mais alta tecnologia que o cerca, Hideki sofre um pouco até achar o lugar para ligar a sua Persocon. Ele se assusta inicialmente mas, com a demonstração de felicidade por parte da bela Persocon, ele acaba tranquilizando-se. Hideki dá para ela o nome de Chii, em razão da Persocon só falar isto durante todo o tempo.

À partir de então, Chobits passa por várias etapas. Tais etapas são tratadas, em boa parte, de forma paralela. Para um melhor entendimento, as passagens que envolvem comédia, drama, mistério, amizade e romance são ligadas em uma mesma linha.

Esta linha é a história de um livro. Um livro infantil, diga-se de passagem, escrito por uma jovem que nele falava sobre esperança. Tal esperança era traduzida no anseio em encontrar alguém... Um alguém em especial, naquela cidade... O sentimento de solidão é forte e, impreterivelmente, se faz passar durante as passagens do mangá...

Chii e Hideki tem uma lição para mostrar à todos...

O mangá em si...

Chii em versão natalina...

Quando se fala da publicação brasileira, talvez haja algum confrontamento de ideias, o que é bem natural de se acontecer. Contudo, Chobits em especial conseguiu se sobressair quando lançado no Brasil.

Amigo visitante, esteja à par de que o mangá de Chobits continha páginas coloridas. Obviamente, tais páginas não se faziam existir em todos os volumes, nem tão pouco em todas as páginas das publicações. Mas estavam lá, bem feitas, para o deleite do leitor ( este humilde blogueiro recorda-se bem disso ).

Um exemplo da arte do mangá.

Em um tópico mais à fundo, faz-se citar a tradução. Este humilde blogueiro é bem sincero em assumir que, no ano de 2003, não via a questão com o mesmo olhar aguçado que vê nos dias atuais. Ainda assim, Chobits tem uma tradução realmente muito boa. Os diálogos são apresentados de uma forma cuja compreensão se torna muito fácil. Detalhe: sem grandes alterações para tentar se ajustar, nem que seja de forma mínima, ao padrão do público brasileiro.

A arte do mangá de Chobits é realmente maravilhosa, de encher os olhos. É um pouco mais simplória daquilo que este blogueiro tenha visto em Magic Knight Rayearth, mas ainda assim é de um padrão de qualidade muito alto. À primeira vista é fácil imaginar Chobits como sendo um shoujo mangá puro, mas não é bem assim...

Objetivamente

Pôster o início do último volume de Chobits no Brasil.

Certamente, Chobits foi uma das melhores publicações de mangás que já apareceu no Brasil. É bem verdade que não houve a perfeição ou o assombro no quesito qualidade, mas certamente esta obra do grupo CLAMP foi bem adaptada em solo tupiniquim.

A história de Chobits carrega consigo muitos estigmas da sociedade atual. Muito embora o traço bem feito e alguns diálogos ( principalmente nos primeiros volumes do mangá ) tentem ser mais suaves, na medida em que a história prossegue o enredo vai desvinculando-se do fator inocência para seguir pelo tortuoso caminho da seriedade. E o faz com maestria pois, tratar de temas como a inveja, a amizade e a solidão não é tarefa das mais fáceis.

Este humilde blogueiro faz forte recomendação para o mangá de Chobits. E trata-se de uma recomendação das mais vibrantes e felizes...

[ made in NETOIN! ]

----------------------------------------------------------------------------------------------

Netotin recomenda!!!

Se você gostou da análise do mangá de Chobits , poderá ser de seu agrado ler a análise do mangá de Angelic Layer ou a review do anime Kowarekake no Orgel. Netotin recomenda muito ambas as leituras!!! Com um detalhe: Netotin sempre lê tudo comendo muitos marshmallows. E bisnaguinhas com chá é tão bom... ~netin!

3 comentários:

  1. Conheço Chobits mais pelo anime, comecei a colecionar o mangá há pouco tempo e preciso completar logo. =D

    O traço me lembra mais Tsubasa Chronicle, embora um pouco mais simples. Quanto à história... Bom, há uma certa polêmica sobre como as ideias sobre os persocoms e o moe da Chii foram desenvolvidos, levando em conta o contexto otaku da época. Mas, particularmente eu gosto da obra e é uma de execução mais coerente da CLAMP. =D

    ResponderExcluir
  2. Chobits é a minha grande paixão do grupo Clamp. Gostaria muito de ter esses meio tankos ai XD Realmente, para a Jbc conseguiu sim fazer um ótimo trabalho (pelo que aparenta).

    Ótimo post Carlírio =)

    ResponderExcluir
  3. Belo post, Carlírio. Chobits é uma das minhas obras do Clamp favorita, só atrás de Tsubasa.

    ResponderExcluir

Dê a sua opinião sobre este texto do NETOIN!, visitante.

Critique, elogie, argumente sobre o post que acabou de ler.

Quer indicar alguma matéria? Fique à vontade. Esse espaço também é seu.

Expor as idéias é legal e algo bem-vindo, tenha certeza. Apenas peço para que mantenha o bom senso no que você escrever.

Agradecido pela sua visita e por seu comentário.

Até mais!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Procure aqui...

Carregando...

NETOIN!


Presente desde
22 de dezembro de 2006...

O layout anterior foi implementado em
11 de fevereiro de 2008...

E o template atual está aí desde
15 de setembro de 2011...
( créditos mantidos no final do blog ).

 
Blog sobre animação japonesa - Favor não copiar os textos do blog sem antes entrar em contato com o dono do mesmo - NETOIN! 2006-2014
^
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons